quarta-feira, 3 de julho de 2013

Concurso de Contos do RJ-13 de julho 2013- 19:00h-Teatro Municipal de Cabo Frio-Lançamento da Antologia VINGANÇA 2


Teatro Municipal de Cabo Frio
Endereço: Rua Aníbal Amador do Vale, s/nº - bairro Algodoal
Horário de Funcionamento: Administração: 8h às 18h (segunda à sexta) e Eventos: 8h às 0h (todos os dias)
Telefone: (22) 2645-4471
E-mail: teatromunicipaldecabofrio@gmail.com



-//-




Em mais um final de semana cultural promovido pela Literarte - 
Associação Internacional de Escritores e Artistas, 
entre os dias 12 e 14 de Julho ocorreu na cidade de Cabo Frio 
o 1º Festival de Contos do Rio de Janeiro que, 
entre outras atrações, teve como finalidade a 
premiação dos melhores contistas 
dentre o grande número de inscritos 
em concurso realizado pela entidade.


-//-

-//-

VER PÁGINA 100:


Sílvia Araújo Motta

(*)Silvia Araújo Motta-Breve Curriculum Vitae
Brasileira/Comendadora/Acadêmica/Chanceler/Adesguiana/CEPE2012/Poeta/Sonetista/Trovadora, Rainha dos Acrósticos com 6 mil poemas,42 livros, em 4 idiomas;Embaixadora Cultural em 3 países; Presidenta do Clube Brasileiro da Língua Portuguesa/ANICAL-Internacional, Presidente-Fundadora da Academia de Letras do Brasil-ALB-MG e Diretora das Relações Institucionais para ALB, Cad. 02; Membro correspondente da ALAB/Búzios/RJ, da ANELCA/MG, da ALG-GOIÁS; ALB-Suiça; Assessora da Presidência da AIPM.Poetas Del Mundo-Cônsul para BH. Participou do 32º Salon Du Livre-Paris/na Antologia de MG e Jantar de Gala/Porto de Versailles, Medaille Du Vermeil-Académie Internationale Mérite et Devouement Français,Paris, 2012. Organizadora da [Anthologie Du Minas Gerais: Les Plus Beaux Horizons de la Poésie et de La Prose, para 33º Salon Du Livre-Paris/2013.] Coorganizadora do Jantar de Gala em BH/MG, para Académie Française des Arts, Letres et Culture-Paris. Pertence à Literarte, REBRA, Acad.de Valparaizo/Chile; UBT/BH, UBT Nacional, ABT/RJ, AMT, UBE/SP, ACLA: Cad.13; Arcádia de Minas Gerais Cad. 08; e outras. Participou de mais de 80 Antologias.Tem mais de 400 premiações, nacionais e internacionais; mais de 600 Diplomas e Certificados, profissionais, socioeducacionais e literoartísticos. Email: clubedalinguaport@gmail.com
-
http://www.recantodasletras.com.br/contos/4241420
-


TAPA DE LUVAS DA VINGANÇA AFINADA

Desde a adolescência, Ademar comprovou que o {Tempo é o senhor da razão} e mais tarde, aprendeu a origem desse ensinamento, em latim: {Tempus dominus rationis est.}.
Filho de pais pianistas, em casa, sempre ouvia sua mãe dizer:
-Com paciência e perseverança, tudo se alcança: {Labor improbus omnia vincit}.
O Sr. Agnaldo sorria e lhe dizia:
-Agnes, você tem razão, além do talento, tocar piano exige perseverança, boa vontade, inteligência, determinação de limites, humildade, boa visão, concentração, atenção, disciplina e muita paciência! Tenho de estabelecer a opção à prioridade musical a alguns convites que recebo.
Aos 14 anos, o jovem escolheu seu presente de aniversário:
-Quero um piano!
-Nada disso, você está na idade de estudar e ajudar sua mãe. Daqui a pouco, vai ter de arranjar o primeiro emprego!

-//-


VER PÁGINA 101:


Desencantado pela resposta imediata do pai, o jovem chegou à janela, sentindo a frustração marcada pelo egoísmo paterno, que lhe emprestava o piano idolatrado, com todas as recomendações possíveis, quanto à higiene das mãos...
Perto do piano não podia dar um espirro, alimentar e muito menos colocar copos e pratos sobre ele. O cuidado era tão grande que ele sentia-se preso às exageradas normas para a utilização do seu passatempo favorito!
Não havia poeira, nem sujeira naquele instrumento. Com as teclas, o cuidado era maior, estava sempre coberto com um suporte de veludo vermelho e franjas douradas; marcando a lembrança de Dr. Klauss, seu avô.
De repente, Ademar ouviu uma voz doce que lhe falou baixinho aos ouvidos:
-Filho, venha ao meu quarto!
Vagarosamente, ele acompanhou D.Agnes e viu quando ela abriu um cofre secreto:
-Tenho dinheiro suficiente para comprar seu belíssimo instrumento musical. Há muitos anos, venho aguardando o momento certo de lhe oferecer esta poupança, que faço desde seu nascimento!
Ao amanhecer, os raios de sol vieram aquecer ainda mais a personalidade artística de Ademar e, aguçar-lhe o talento manifestado desde a infância...
Bons tempos em que sua mãe dava-lhe as primeiras lições de música. Além do infinito, observou que as nuvens brancas da paz passavam para levar as tristezas do mundo humano.
Diante do espelho do quarto podia ver maior brilho em seu
-//-

PÁGINA 102


olhar.
Ademar aprontou-se feliz, recebeu a bênção dos pais e saía para a Escola que ficava próxima de sua casa, quando atendeu o chamado de D. Agnes que lhe disse:
-Ademar, hoje preciso encontrar você à porta da Escola. Teremos novidades após suas aulas! Vamos à cidade, na Loja dos Pianistas!

Com lucidez materna e liberdade criativa, D. Agnes convenceu seu marido, de que nada lhe custaria dar aquela economia para realizar o sonho do filho.
-Não contem, comigo! Não terei tempo de dar lições diárias para Ademar! Estou com muitas apresentações marcadas e tenho minhas composições para terminar!!!
-Não se preocupe! Cuidarei, desse grande incentivo ao nosso filho!
O sonho e a fantasia misturaram-se através do jogo familiar, nas vibrações maternas positivas e na reação paterna, sem flores, da primavera que só apresentou os ramos secos metafóricos, sem o apoio harmonioso!
Passaram-se os anos e Ademar mostrava-se cada vez mais talentoso, com ajuda dos pianistas e professores de música, amigos de sua família. Logo, entrou para o Conservatório e a cada dia, crescia seu interesse pela música.
Professores e familiares puderam prever o futuro brilhante com chave de ouro, daquele gênio que cedo começou a fazer suas próprias composições. Os contratos foram aparecendo...Ademar chegou a ter um empresário para controlar tantas apresentações, em outros locais.

PÁGINA 103:

Ganhou uma Bolsa de Estudos, entrou para a Universidade e pode defender a Tese de Doutorado, para o título de Philosophy Doctor (Ph.D.) em Musicologia ...
Viajou para fazer muitas apresentações fora do país. Sua presença em festas e em Grandes Teatros sempre foi muito aplaudida pelos convidados e assistentes.
O pai, enciumado pelo sucesso do filho, não lhe enxergava marcas talentosas:
-Agora, basta! A apresentação anual de aniversário do Teatro Municipal sempre fui eu, o responsável pela abertura... Desta vez, não fui convidado para tocar! É inconcebível tal decepção! Não irei assistir a apresentação do pianista principal!
Ao ouvir tamanha lástima, o filho pianista, aproximou-se do pai e tentou explicar-lhe sua alegria:
-Pai, recebi a indicação do Diretor Cultural do Teatro! Meu empresário, minha mãe e eu estamos muito felizes. Será uma honra participar de um evento tão importante em nossa cidade. Prometo que não irei decepcioná-lo!
Agindo pelo impulso do ciúme, o Sr. Agnaldo foi ao piano de Ademar e rasgou a partitura que estava à espera das mãos do grande artista reconhecido por tantas pessoas!
Logo que Ademar viu sua partitura rasgada, diante de tanta maldade ficou com as mãos trêmulas e foi falar com sua mãe!
-E agora? Que devo fazer? Devo desistir? Preciso cancelar esta apresentação para não magoar meu pai?
-Calma, filho! Tenho cópia desta partitura que seu pai acaba de destruir. É a Ode à Alegria ou o Hino à Alegria, (em alemão Ode an die Freude); é o nome do poema cantado no quarto movimento da 9.ª sinfonia de Beethoven, conhecida 

PÁGINA 104:

também como Hino Europeu ou Hino da União Europeia. É uma das minhas favoritas! Ele ficará orgulhoso de você! Dê um tempo!

E prosseguiu:{Nihil obstatt} [Nada impede] a quem tem um grande objetivo para alcançar! Venceremos mais este obstáculo! Você será o pianista da Noite de Gala do Teatro Municipal! Não desanime! O privilégio é seu! A hora é esta! Seu pai precisa descansar um pouco, pois apresenta uma certa dificuldade para enxergar as notas musicais. Não tem mais a habilidade anterior. Toca com dificuldade em ambientes com pouca iluminação! Agora, precisa ceder o lugar artístico para você que tem uma vida pela frente! Com seu avô foi a mesma coisa! Ele foi um pianista famoso!
Quando seu pai quis tocar piano ele também, tentou impedir a carreira artística de Agnaldo. Hoje, posso lhe afirmar que a vida é um círculo vicioso. Ainda bem que a persistência e a boa vontade são primordiais para atingir metas, quase inalcansáveis...
E assim, podemos avaliar o quanto as pessoas são imperfeitas! Afinam e desafinam nos diversos momentos históricos. A natureza cuida de recriar a realidade do círculo infinito com os artifícios das artes.
O ser humano capta da natureza sua tendência à beleza e chega ao conflito na vertente da destruição. {Homo homini lúpus.}: [O homem é o lobo do próprio homem.]
-Mãe, meu pensamento passa por cima das diferentes reações de meu pai que vê em mim, um obstáculo ao seu sucesso!
-Não meu filho, seu pai tem grandes valores pessoais, artísticos e profissionais. Esta reação será passageira, tenho certeza! Ele tem um bom coração! Está apenas, vendo sua vaidade

PÁGINA 105:
ameaçada!
Chegou o grande dia!
O Sr. Agnaldo foi convidado do Teatro Municipal, para receber uma Medalha de Honra ao Mérito, em agradecimento, por tantos anos que fez a abertura dos eventos. Tratava-se da estréia inefável do porvir!
Mês de abril! Cenário perfeito para desfazer o conflito entre um pai e um filho. Quando as cortinas se abrem, o direito grita ao mundo! Justiça seja feita!
Ademar tocou com precisão a dialógica conformação hierárquica e mostrou a multiplicidade de seu talento. Interpretou [Sonata ao Luar] e [Ode à Alegria] de Beethoven, tão bem que viu a platéia inteira levantar-se para o aplauso final.
A eficácia não abriu a compreensão, no foco observador de seu pai, que continuava assentado, cabisbaixo!
Por um instante, Ademar fixou seu olhar na primeira fila do maravilhoso salão e sentiu a bipolaridade da consonância marcante! Seria possível dizer que, a conduta paterna revelou-lhe o TAPA de LUVAS bem afinado?
-Não! Não me cabe julgar!
De repente, contaminado pelo aplauso incessante, o Sr. Agnaldo levantou-se e enxugou tantas lágrimas que tentava esconder de sua esposa ao lado e dos amigos presentes!
{Tempus longum vitiat lapidem}:[Tudo passa sobre a terra.}
-Agnaldo, você rasgou o papel das notas musicais, mas não conseguiu tirar a sensibilidade do gênio que temos em nosso lar, resmungou D. Agnes.
-Sim, minha querida! Quis vingar-me de meu filho, mas a vida agregou-se concretamente a ele. Tive medo que Ademar me 

PÁGINA 106:

superasse ao piano! Isto posto, vejo a realidade saltar aos meus olhos!
-A problemática da perfeita execução dominou todas as sensações provisórias de seu coração. A música dominou o ambiente e todas as mentes, disse Agnes. Os acordes finais, os afetos latentes evolutivos, permanecerão vigentes, em outras apresentações que hoje, abrem novos caminhos de alegria e emoção em nossa casa! Não podemos ver Deus, mas podemos ouvir sua presença no trovão, na torrente, no mar, nos ventos, na terra! Se possível for avaliar, creio que Deus esteve presente no Teatro Municipal! A vingança também surge da dor!
{Omnia fert aetas}: [O tempo tudo traz.]
Mozart deixou a amostra de que a ‘razão não pode conter a erupção de sua presa, a contingência do inusitado.”
-Nosso filho teve disciplina e não viu a noite tão distante do amanhecer, disse Agnes. Ele venceu e convenceu a todos que seu talento merece todo o respeito. Ainda posso ouvir o público, em pé, gritando o bravo, o bravíssimo, o brilhante e inesquecível show!

A abertura da Noite de Gala do Teatro Municipal continuou mostrando outras faces da racionalidade, entre o conflito constante na difusão do exasperado e do harmônico, do verso e do anverso, da moeda lançada ao bel-prazer, da natureza que dá seu maior exemplo à humanidade!
Os caminhos e descaminhos podem ser identificados na música e nas formas de regulamentação das condutas das pessoas, em sua historiografia, com intersecções plurívocas e concomitantes. {Quae sunt Caesaris, Caesari.}: [A César, o que é de César...].
-



-//-                                            
Regulamento do livro Vingança - 2
Organização: Literarte
Regulamento
Prazo para envio dos textos e das obras: 05 de maio de 2013
 
1) DA PARTICIPAÇÃO
1.1. A coletânea é promovida e representada legalmente neste ato pela Literarte - Associação Internacional de Escritores e Artistas - e organizada por Dyandreia Portugal e Izabelle Valladares.
1.2. Poderão participar da antologia escritores e artistas plásticos maiores de 18 anos, ou menores com permissão do responsável, residentes legais no Brasil ou em qualquer outro país, bem como brasileiros residentes no exterior. Também poderão participar da Antologia escritores que sejam artistas plásticas, artesãos e fotógrafos de outras nacionalidades, desde que cientes que a obra será editada em Português.
1.3. Das características da Obra: A Obra receberá única e exclusivamente contos ou crônicas que não excedam o limite de 6 páginas.
1.4. A participação se dará no sistema de cotas, sendo que cada autor deverá proceder ao pagamento de R$400,00 (Quatrocentos reais) , que devem ser pagos em até duas vezes de R$ 200,00, com o vencimento em 5 de maio e 5 de junho.
O lançamento nacional será no Festival de Contos do Rio de Janeirowww.festivaldecontosdorj.com.br,  no mês de julho  de 2013, na cidade de Cabo Frio.
O lançamento internacional acontecerá na Feira de Frankfurtwww.buchmesse.de/en/fbf/ no mês de outubro de 2013.
1.6 Os participantes receberão um total de nove exemplares da Antologia, mais 1 exemplar de direitos autorais .
Formato: 160 x 230mm  (fechado)
Componentes:
Papel Polen
Capa tripléx
1.7. A presente antologia será confeccionada pela Literarte. Será registrada, receberá
ISBN, mas cada autor é responsável por registrar suas obras. A antologia  tem como
finalidade estimular a produção de contos, formação e divulgação de novos autores e
suas obras de artes.
 
2) DA ACEITAÇÃO DOS CONTOS
2.1. Serão aceitos contos, fábulas e poesias, haikais, pensamentos ou microcontos em língua portuguesa, de temática livre, com limite de novecentos caracteres com espaços por página, em formato A5, espaços de 1,5 entre linhas, fontes Times ou Arial tamanho 12, acompanhados dos dados de inscrição que constam no parágrafo 5.5 desse regulamento.
2.2. Não serão aceitos fanfics nem contos que pertençam ao universo de personagens já existentes criados por outro autor.
2.3. Os textos e fotos - devidamente formatados - deverão ser enviados paradyandreia@gmail.com com cópia para editora@grupoliterarte.com.br
2.4. Os contos inscritos deverão contemplar, obrigatoriamente, os seguintes elementos:
(a) narrativa em primeira pessoa ou terceira pessoa;
(b) temática livre.
(c) Biografia de até 5 linhas
2.5. Caso o autor deseje que seu conto tenha mais do que o espaço reservado, ele terá a opção de adquirir o valor de duas cotas, assim podendo ampliar seu espaço na antologia. Os procedimentos são os mesmos citados no item 1.5 desse regulamento.
 
3) NÃO SERÃO ACEITOS CONTOS QUE
(a) possam causar danos a terceiros, seja através de difamação, injúria ou calúnia, danos materiais e/ou danos morais;
(b) ofendam a liberdade de crença e as religiões;
(c) contenham dados ou informações racistas ou discriminatórias;
(d) tenham a intenção de divulgar produtos ou serviços alheios aos objetivos da antologia ou que tenham qualquer finalidade comercial;
(e) façam propaganda eleitoral ou divulguem opinião favorável ou contrária a partidos ou candidatos;
(f) tenham sido produzidos por terceiros;
(g) que não venham formatados nas normas estabelecidas por esse regulamento e descritas no item 2.1.
 
4) DO CONTEÚDO
Ao se inscrever na Antologia, o autor autoriza automaticamente a veiculação de seu conto, sem ônus para a Editora nos meios de comunicação existentes ou que possam existir com a intenção de divulgar a antologia.
 
5) SOBRE AS INSCRIÇÕES
5.0. Inscrições por e-mail: o candidato deve enviar, anexado a uma mensagem eletrônica, o arquivo (doc) contendo seu texto para o endereço dyandreia@gmail.com,  com cópia para editora@grupoliterarte.com.br 
No corpo da mensagem, o autor deverá fornecer as outras informações exigidas por este regulamento, para que se efetue a inscrição.
(i) O frete de entrega dos livros será por conta do autor, assim como suas despesas, caso queira participar dos lançamentos.
5.6. Só serão aceitas inscrições através dos procedimentos previstos neste regulamento. Os dados fornecidos pelos participantes, no momento das inscrições, deverão estar corretos, claros e precisos. É de total responsabilidade dos participantes a veracidade dos dados fornecidos à organização da Antologia.
5.7. Em caso de fraude comprovada, o conto será excluído automaticamente da Antologia.
5.8. Os participantes concordam em autorizar, pelo tempo que durar a antologia com a editora, que a organização  faça  uso do seu conto, suas imagens, som da voz e nomes em mídias impressas ou eletrônicas para divulgação da Antologia, sem nenhum ônus para os organizadores e para benefício da maior visibilidade da obra e seu alcance junto ao leitor.
 
6) OUTRAS INFORMAÇÕES
6.1. Dúvidas relacionadas a esta antologia e seu regulamento poderão ser enviados para o e-mail  dyandreia@gmail.com oueditora@grupolietarte.com.br, ou pelo telefone 22-2645-2368.
6.2. Todas as dúvidas e casos omissos neste regulamento serão analisados por uma comissão composta pela equipe organizadora e sua decisão será irrecorrível.
6.3. Para todos os efeitos legais, os participantes do presente Antologia, declaram ser os legítimos autores dos contos inscrit os e garantem o ineditismo dos mesmos, isentando a editora pessoa física  de qualquer reclamação ou demanda que porventura venha a ser, apresentada em juízo ou fora dele.
6.4. A participação nesta Antologia implica na aceitação total e irrestrita de todos os itens deste regulamento.
-//-