domingo, 20 de outubro de 2013

O CASAMENTO DA ARARINHA AZUL-COLÉGIO NOSSA SENHORA DAS DORES-16H 30MIN-AV FRANCISCO SALLES 77B-FLORESTA-BH-MG-




O CASAMENTO DA ARARINHA AZUL-COLÉGIO NOSSA SENHORA DAS DORES-16H 30MIN-AV FRANCISCO SALLES 77B-FLORESTA-BH-MG

Um musical divertido, cheio de emoções e com profundo significado para educação ambiental, conta a história de como as crianças de uma cidade mobilizaram toda a população para salvar a ararinha azul. 

Autor: Prof. Angelo Machado

Direção: Fernando Bustamante

Duração: 50 min
Classificação: livre

-



Casamento da Ararinha-azul 

narra uma história criada a partir da mistura mitologia grega 

com mitologia indígena. 

Tendo como base a história real da ararinha-azul, 

a ave mais ameaçada de extinção do mundo, 

peça conta como crianças de uma cidade 

mobilizam toda a população para salvar a espécie. 

Com um texto divertido e cheio de emoções, 

espetáculo tem profundo significado 

a educação ambiental.
-
·         Encante-se com uma história divertida e cheia de emoção, 

com um profundo significado para educação ambiental

·         A história narra como as crianças de uma cidade 

mobilizam toda a população para salvar

ararinha-azul, uma das aves mais ameaçadas do mundo


·         Com um desfecho muito feliz, o espetáculo 

uma bela reflexão sobre a preservação das 
espécies: 

em 2003, a ararinha-azul foi considerada 

extinta na natureza pelo IBAMA, 

e hoje há apenas

poucos exemplares mantidos em cativeiro



http://www.peixeurbano.com.br/belo-horizonte/ofertas/teatro-nossa-senhorvfzska





DIVULGANDO...
APOIO ALB-MG


AUTOR
Natural de Belo Horizonte, Angelo Machado é cientista, ambientalista e escritor. Suas obras literárias já receberam vários prêmios, destacando-se: o Jabuti, Adolfo Aizen e o selo de Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infanto-juvenil. 
Pela peça teatral "O Casamento da Ararinha-Azul", recebeu o prêmio SESC-SATED de melhor texto de teatro infantil de 1996. Professor Emérito do Departamento de Zoologia da UFMG e membro da Academia Brasileira de Ciências. Participa de organizações ambientalistas como o Centro para Conservação da Natureza em Minas Gerais e a Fundação Biodiversitas, da qual é Presidente do Conselho Curador. Há mais de 30 anos desenvolve atividades visando à proteção do meio ambiente, destacando-se aquelas voltadas para a educação ambiental de crianças e jovens. Como escritor, conta hoje com 33 livros infantis e juvenis publicados e ainda um livro de humor para adultos. Sua obra literária tem como tema dominante as questões ambientais e caracteriza-se por um fino senso de humor.


[..]

http://www.ararinhaazul.tv.br/ararinha/produtores.htm

-//-


Informativo Cultural:



Nome popular
: Ararinha azul Nome científicoCyanopsitta spixii.Comprimento: 55 a 57 cm.Peso: 296 a 400 g.Coloração: inteiramente azul, sendo que na cabeça o tom é um pouco mais pálido e nas asas o tom é mais escuro.
Distribuição Geográfica
: Curaçá, cidade ao norte da Bahia.
Habitat
: Mata de galeria da caatinga onde predomina a caraíba (Tabebuia caraíba).

Alimentação
: Sementes de Jatropha sp, Cnidoscolus sp; e frutos de Ziziphus sp eMaytennus sp.
Status
: Considerada EXTINTA na natureza (CITES I). O último exemplar desapareceu em 2000, restando pouco mais de 60 indivíduos criados em cativeiro, sendo a maioria fora do Brasil. Existe um grupo de estudo com esforços internacionais para recuperação da espécie, coordenado pelo IBAMA. Os efeitos positivos do real envolvimento da população local, promovido pelo Projeto Ararinha Azul em Curaça na Bahia (www.ararinha-azul.vila.bol.com.br) ainda são efetivos e ao mesmo tempo que se busca o aumento da população em cativeiro, se conserva o habitat específico, visando futuras reintroduções.



-//-
A ARARA AZUL
Aqui você encontrar informações gerais sobre as araras azuis, especialmente sobre a arara azul, objeto de estudo do Projeto Arara Azul e o maior representante da família Psittacidae.

Você também vai encontrar informações sobre os psitacídeos, espécies ameaçadas, lista de psitacídeos ameaçados no Brasil, araras do gênero Ara e outras espécies de araras, menores e conhecidas como maracanãs que aqui ocorrem, bem como referências sobre esses assuntos.

Para maiores informações consultar também 
publicações.http://projetoararaazul.org.br/arara/Home/AAraraAzul/tabid/118/Default.aspx

-//-



OUTRAS INFORMAÇÕES:

arara-azul-grande (Anodorhynchus hyacinthinus), também chamada arara-jacinto,2 araraúna,3 arara-preta3 e araruna,3 é uma ave da família Psittacidae que vive nos biomas daFloresta Amazônica e, principalmente, no do Cerrado e Pantanal. Possui uma plumagem azul com uma pele nua amarela em torno dos olhos e fita da mesma cor na base da mandíbula. Seu bico é desmesurado, parecendo ser maior que o próprio crânio. Sua alimentação, enquanto vivendo livremente, consiste de sementes de palmeiras (cocos), especialmente o licuri.

"Arara" é oriundo do tupi a'rara.4 "Jacinto" é uma referência à flor homônima, também de coloração azul. "Araraúna" e "araruna" são oriundos do tupi a'rara una, que significa "arara preta",3"arara escura".5


Essa arara torna-se madura para a reprodução aos três anos e sua época reprodutiva ocorre entre novembro e janeiro. Nascem dois filhotes por vez e a incubação dura cerca de trinta dias. Depois que nascem, as araras-azuis-grandes ficam cerca de três meses e meio no ninho, sob o cuidado dos pais, até se aventurarem no primeiro voo. A convivência familiar dura até um ano e meio de idade, quando os filhotes começam a se separar gradativamente dos pais.
Esta espécie ainda é avistada em três áreas brasileiras e em pequenas partes do território boliviano.6 A Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestres Ameaçadas de Extinção proíbe sua venda, mas a arara-azul-grande é popular no comércio ilegal de aves.6
-


Referências

  1. Ir para cima BirdLife InternationalAnodorhynchus hyacinthinus. 2012. Página visitada em 24 de setembro de 2012.
  2. Ir para cima [1]
  3. ↑ Ir para:a b c d FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.156
  4. Ir para cima FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.155
  5. Ir para cima [2]
  6. ↑ Ir para:a b Arara-azul-grande precisa de uma companheiraScientific American Brasil (25 de julho de 2011). Página visitada em 27 de julho de 2011. "Anodorhynchus hyacinthinus ainda são encontradas nas florestas em três áreas do Brasil e pequenas partes da Bolívia. São protegidas pelo Convention on International Trade in Endangered Species of Wild Fauna and Flora – CITES, que proíbe sua venda, embora essa espécie continue sendo popular no comércio ilegal de animais de estimação."
FONTE:


-//-



CONFERIR TAMBÉM:


-//-

VIDEO DE DIVULGAÇÃO


<iframe width="420" height="315" src="//www.youtube.com/embed/dNDUttEsdD4" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>




-//-

CONFIRA MAIS:



O CASAMENTO DA ARARINHA-AZUL: Protótipo



Enviado em 18/03/2011
Assista ao capítulo inicial da emocionante história de uma ararinha-azul, cujo marido é capturado por traficantes de animais em extinção, logo após a cerimônia. Ela contará com a ajuda de um menino mágico e das crianças do Sacurá Futebol Clube para reencontrar o seu Ararinho. Adaptação da obra literária de Angelo Machado. Patrocinado por: Instituto Unimed BH e MRS Logística S/A. Produção: Animare / F7 Filmes.

<iframe width="560" height="315" src="//www.youtube.com/embed/1_73fMmWWks" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>


-//-