sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

AIRTON REIS-VICE-GOVERNADOR DE POETAS DEL MUNDO EM CUIABÁ-MATO GROSSO-VER PUBLICAÇÕES


FUNDAÇÃO DE AIPOM 
ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE POETAS DEL MUNDO 
EM CUIABÁ-MATO GROSSO

DIA: 12 DE FEVEREIRO DE 2014
HORÁRIO; 18 HORAS
LOCAL:
RUA GENERAL VALLE 321-SALA 701
EDIFÍCIO MARECHAL RONDON
-
ATENÇÃO DE

SUELI BATISTA-
GOVERNADORA

AIRTON REIS-POETA DE CUIABÁ
VICE-GOVERNADOR

-//-


-//-

ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL POETAS DEL MUNDO – MATO GROSSO

FUNDAMENTAL LANÇADA!

     Aqui nesta lendária Cuiabá, Capital eternizada em versos do Estado de Mato Grosso. Daqui deste Centro Geodésico da América do Sul. Diante das constelações brilhantes no firmamento do Planeta Azul. Muito mais do que uma Cidade Verde em vias do crescimento vertical acelerado. 

     Muito mais do que os rios afluentes de um Pantanal ora seco, ora alagado. Várzeas dos nativos habitantes. Caminhos fluviais dos bandeirantes. Ouro de uma aluvião de abril. Fronteiras ampliadas do Brasil. Bandeiras alvissareiras da cidadania mundial. Flâmulas tremulantes da democracia nacional.

     Braço forte. Sul e Norte. Leste e Oeste. Volver e remar. Navegar e ancorar.  Escrever e rimar... Nascer, crescer, viver, perpetuar... Cultivar, colher, compartilhar... Letras e palavras edificantes. Polir e lapidar. Pepitas e diamantes.

     Embarcação literária em lemes e lumes seguros, promissores e iluminados. Continentes aproximados. Mãos unidas. Associados acolhedores. Senhoras e senhores:

           Terra à vista!
     Porto seguro da liberdade de expressão mais do que gramatical. Enseada acolhedora da comunicação virtual. Ilha da sabedoria universal. Cá estamos entrelaçados em ideal. Cá estamos movidos pela força da união fraternal. Cá estamos na terra desbravada por Paschoal Moreira Cabral. Desembarquemos em poesia no delta da humanidade em sintonia cordial. Avancemos irmanados pela arte no compasso ampliado do fazer cultural.

     Localizada na Rua com o nome de General (Valle). Instalada provisoriamente em Edifício com o nome de Marechal (Rondon). Presidida em prisma nacional. Governada pela competência associada à ética profissional. Fonte da moral ilibada em nível mundial. Com a Glória, a Graça e a Bênção do Pai Celestial, a Associação Internacional Poetas del Mundo em representação estadual formada.

            Viva a Pedra Fundamental lançada! 
            Airton Reis, vice-governador - AIPOM-MT. 
            Cuiabá-MT, 12 de fevereiro de 2014.

-//-

[AssociacaoInternacionalPoetasdelMundo] AIPOM-MT - PEDRA FUNDAMENTAL LANÇADA!

DIVULGAÇÃO: DELASNIEVE DASPETATENÇÃO!!!!!!!!!!!!!!
PARA DIVULGAR - ENVIE O SEU  TRABALHO APENAS PELO EMAIL:
brppoetasdelmundobrasil@gmail.com 
.
OBSERVEM OS DIREITOS AUTORAIS.
.
ANEXOS:
NUNCA  MANDO MENSAGENS COM ANEXO.
PARTICULAR - RARAMENTE - ME COMUNICO VIA GRUPO.
.

Cadastram-se no blog da ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL POETAS DEL MUNDO:
http://a-internacionalpoetasdelmundo.blogspot.com/
.
Delasnieve Daspet
Embaixadora Universal da Paz -Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix
Genebra - Suiça
Presidente da Associação Internacional Poetas del Mundo
.
BIOGRAFIA
http://delasnievedaspet.blogspot.com.br/p/biobibliografia.html
PRÊMIOS - CONDECORAÇÕES E INDICAÇÕES
http://delasnievedaspet.blogspot.com.br/p/premios-e-condecoracoes.html
OCUPAÇÕES
http://delasnievedaspet.blogspot.com.br/p/ocupacoes.html
VIDEOS DE POESIAS E ENTREVISTAS
http://delasnievedaspet.blogspot.com.br/p/videos-de-delasnieve-daspet.html
PUCLICAÇÕES
http://delasnievedaspet.blogspot.com.br/p/publicacoes.html
BIBLIOGRAFIA 
http://delasnievedaspet.blogspot.com.br/p/obras.html
EVENTOS
http://delasnievedaspet.blogspot.com.br/p/recomendo.html

-

“Drummond entre aspas”
     “O problema não é inventar. É ser inventada hora após hora. E nunca ficar pronta. Nossa edição convincente”. (Carlos Drummond de Andrade, 1902-1987).
    “Alguma Poesia”, nos meandros de uma pátria versejada. “Sentimento do Mundo”, nas ladeiras nem sempre margeadas pela mesma calçada. “A Rosa do Povo”, despetalada em mais de um jardim. “Claro Enigma”, desvendado no princípio, no meio e no fim. “Antologia Poética”, entoada ao som harmonioso de um clarim. “José e Outros”, em personagens permanentes na mesma memória. “Corpo”, alma e coração, em trilogia paginada pela mesma história. Drummond entre aspas. Verso e voz: Glória!
     “Verbo ser”, em vértice gramatical. Verbo ser, em horizonte cultural. Verbo ser, conjugado em mais de um tempo verbal. Verbo ser, em manancial e em vazão. Verbo ser, na liberdade de expressão. Verbo ser, diante da poesia em qualquer ocasião. Verbo ser, em verso e em canção. Verbo ser, brasileiro em qualquer rincão. Verbo ser, poeta, jornalista e escritor. Verbo ser, intérprete do amor. Verbo ser, imagem e semelhança do Criador. Verbo ser, no espaço ampliado em compasso cidadão. Verbo ser, em busca continuada da perfeição. Verbo ser, enquanto aprendiz da emoção. (I).
     “Receita de Ano Novo”, em visão universal. Receita de Ano Novo, em cartão postal. Receita de Ano Novo, em versão original. Receita de Ano Novo, em recital. Receita de Ano Novo, em rima iluminada. Receita de Ano Novo, em alvorada estrelada. Receita de Ano Novo, na pátria amada nem sempre gentil. Receita de Ano Novo, no país tropical chamado Brasil. Receita de Ano Novo, pela igualdade em todos os quadrantes. Receita de Ano Novo, pela humanidade em pontos eqüidistantes. Receita de Ano Novo, em arestas seculares aparadas. Receita de Ano Novo, em pedras brutas sempre lapidadas. (II).
    “Acordar, viver, em expressão nacional. Acordar, viver entre o mel e o sal. Acordar, viver, entre o público e o privado. Acordar, viver, lado a lado. Acordar, viver, entre o sonho e a realidade. Acordar, viver, com toda a intensidade. Acordar, viver, por toda a eternidade. Acordar, viver, despertar a cada alvorecer. Acordar, viver, navegar. Acordar, viver, caminhar. Acordar, viver, procurar. Acordar, viver, encontrar. Acordar, viver, harmonizar. Acordar, viver integrar. Acordar, viver, admirar. Acordar, viver, trabalhar. Acordar, viver, alimentar. Acordar, viver, sentir. Acordar, viver, amar. (III).
    “José”, de uma pátria em final de festa institucional. José, de uma pátria proclamada republicana. José, de uma pátria rural e urbana. José, solitário e reflexivo. José, combatente e vigilante. José, próximo. José, distante. José, presente. José ausente. José, oculto. José, analfabeto. José, letrado. José, livre. José, censurado. José, simples. José composto. José, em folha de rosto. José, em página de jornal. José, sem teto. José, sem chão. José, na laje. José, no barracão. José, na cobertura. José, sem pão. José, na lona. José, no circo da exclusão. (IV).
    “Sentimos falta do que não existiu e dói muito”. “E cada instante é diferente, e cada homem é diferente, e somos todos iguais. No mesmo ventre escuro inicial, na mesma terra o silêncio global, mas não seja logo”.
     “Poema do jornal”, em página de opinião. “Poema das sete faces”, em imagem, semelhança e perfeição. Poema da paz duradoura. Poema da felicidade permanente. Poema do peito descontente. Poema da dor passageira. Poema da alma brasileira. Poema do hino soletrado em bandeira. Poema sem fronteira. Poema timbrado em melodia. Poema desfolhado em bem me quer. Poema rabiscado na imaginação. Poema polinizado em mais de uma estação. Poema despetalado. Poema frutificado e em nova floração. (V).
     “A bomba”, inflamada em mais de uma Primavera. A bomba, cinza e letal. A bomba, em arsenal. A bomba, em batalha continuada. A bomba, em guerra declarada. A bomba, ora falante, ora silenciada. A bomba, ora banida ora detonada. A bomba, ora atômica, ora gasificada. A bomba, “globalizada”. A bomba, desarmada. A bomba, finalizada. (VI).
     “A um ausente”, a poesia em flores e em frutos de uma Nova Era. A um ausente, a liberdade nunca tardia. A um ausente, a virtude muito mais do que o ouro reluzente. A um ausente, a gratidão e o reconhecimento. A um ausente, o pensamento. A um ausente, a estima e a consideração. A um ausente, a saudade compartilhada. A um ausente, a cadeira no coração. A um ausente, a lareira além do carvão. A um ausente, a clareira de uma floresta deveras civilizada. A um ausente, a água de uma nascente conservada. A um ausente, a palavra em pétala orvalhada. A um ausente, Drummond em poesia capitulada. (VII).
     “Quero ser amado por e em tua palavra”, aqui e agora. Quero ser lembrado por e em teu pensamento, sem demora. Quero ser o vento antes da tempestade. Quero ser o leito antes da enfermidade. Quero cantar a liberdade em mais de uma alforria. Quero reluzir a cada poesia. Quero iluminar a cada dia. Quero renascer a cada despertar. Quero viver no prisma do teu olhar. Quero sentir o teu pulsar. Quero ampliar a conjugação do verbo amar. Quero a vida poetizar. Quero a morte nunca prematura. Quero a palavra no esquadro da literatura. Quero o verso na linha sem remendo e sem costura. (VIII).
     “Os impactos de amor não são poesia”. “As coisas tangíveis tornam-se insensíveis à palma da mão. Mas as coisas findas muito mais que lindas, essas ficarão”. “Se eu gosto de poesia? Gosto de gente, bichos, plantas, lugares, chocolate, vinhos, papos amenos, amizade, amor. Acho que a poesia está contida nisso tudo”. “Não há vivos. Há os que morrem e os que esperam a vez”. “Tenho apenas duas mãos e o sentimento do mundo”.
     “Além da Terra, além do Céu”, sempre e em nova aurora. Além da Terra, além do Céu, para quem fica e para quem vai embora. Além da Terra, além do Céu, sem fraque e sem cartola. Além da Terra, além do Céu, nesta e naquela hora. Além da Terra, além do Céu, Hosana Ave Maria Imaculada! Além da Terra, além do Céu, Bem Aventurada Nossa Senhora! (IX).
     “No meio do caminho”, em retinas fatigadas pela insolação. No meio do caminho, em colunas erguidas com determinação. No meio do caminho, em ruas ladrilhadas. No meio do caminho, em esquinas cruzadas. No meio do caminho, em vielas esquecidas. No meio do caminho, em ladeiras colossais. No meio do caminho, em veredas verdejantes. No meio do caminho, em areias escaldantes. No meio do caminho, em enseadas depois de cada maré. No meio do caminho, em casas cobertas com sapé. No meio do caminho, o café colonial. No meio do caminho, a ética e a moral. Encontraras! (X).
     “Itabira”, em ferro fundido na imaginação. Itabira, em berço natal embalado. Itabira, em fonte cristalina. Itabira, em regato promissor. Itabira, em verso juvenil. Itabira, em conto publicado. Itabira, em romance perpetuado. Itabira, em prosa e poesia declamada. Itabira, em cidadania ilustrada. Itabira, em página amarelada. Itabira, em colina iluminada. Itabira, amada. Itabira, amante. Itabira, pedra bruta. Itabira, diamante. Itabira, sentimental. Itabira, manancial. Itabira, portal. Itabira, ponto de exclamação. Itabira, em reticências por um mundo irmão... (XI).
     “Poema que aconteceu”, ao acaso de uma inspiração. Poema que aconteceu, à luz da sabedoria do rei Salomão. Poema que aconteceu, em gestação literária. Poema que aconteceu, em parto natural. Poema que aconteceu, além de uma capital. Poema que aconteceu, em causa internacional. Poema que aconteceu antes dos royalties do pré sal. Poema que aconteceu durante mais de um vendaval. Poema que aconteceu depois do Brasil republicano. Poema que aconteceu sem qualquer desengano. Poema profano. Poema divinal. Poema alado. Poema contestado. Poema falante. Poema brilhante! (XII).
     “Se pensarmos pequeno, coisas pequenas teremos... Mas se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor, o melhor vai se instalar em nossa vida. Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura”. “O silêncio eterno desses espaços infinitos me assusta”.
      “Quadrilha”, na história conjugada pelo verbo amar. Quadrilha, na fogueira acessa pelo verbo representar. Quadrilha, na corrupção. Quadrilha, na festa de São João. Quadrilha, na pipoca. Quadrilha, no quentão. Quadrilha, no balão. Quadrilha, no céu nem sempre de brigadeiro. Quadrilha, na escotilha nem sempre da fumaça. Quadrilha da trapaça. Quadrilha da traça. Quadrilha da desgraça. Quadrilha da imputabilidade penal. Quadrilha da improbidade institucional. Quadrilha do bando marginal. Quadrilha da banda política. Quadrilha do bônus social. Quadrilha julgada pelo Supremo Tribunal Federal. (XIII).
      “O mundo é grande”, no breve espaço do verbo beijar. O mundo é grande, na imensidão de um mesmo firmamento estelar. O mundo é grande, na dimensão de uma mesma geometria angular. O mundo é grande, para quem sabe dividir para multiplicar. O mundo é grande, para construir e para edificar. O mundo é grande, a cada olhar. O mundo é grande, a cada despertar. O mundo é grande, basta acreditar. O mundo é grande, pequena é a nossa admiração. O mundo é grande, estreita é a porta da salvação. O mundo é grande, minúscula é a visão humana. O mundo é grande, é chama, é chamada. O mundo é grande, é palavra, é frase inacabada. (XIV).
      “Poema da purificação”, em templo lapidado. Poema da purificação, em monte elevado. Poema da purificação, concebido sem pecado. Poema da purificação, em ritual. Poema da purificação, em tempo verbal. Poema da purificação, em pia batismal. Poema da purificação, em confraria fraternal. Poema da purificação, em romaria espiritual. Poema da purificação, em cantoria angelical. Poema da purificação, em festiva alegoria. Poema da purificação, em suave melodia. Poema da purificação, no altar dos juramentos. Poema da purificação, em salutares renascimentos. Purifiquemo-nos! (XV).
      “Mãos dadas”, por um mundo irmanado. Mãos dadas, por um livro publicado. Mãos dadas, por um cidadão alfabetizado. Mãos dadas, por uma cidadania ignorada. Mãos dadas, por uma natureza em convulsão. Mãos dadas, por uma paisagem milenar. Mãos dadas, por uma infância vitimada e sem lar. Mãos dadas, por uma juventude assegurada além do dever parlamentar. Mãos dadas, por quem viveu para nos educar. Mãos dadas, em mais de uma travessia continental. Mãos dadas, em mais de um vendaval. Mãos dadas, em mais de um minuto existencial. (XVI).
      “Então desejo apenas que você tenha muitos desejos. Desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto ao rumo da felicidade”. “O essencial é viver”. “Tempo disso, tempo daquilo; falta o tempo de nada”.
      “Não passou”, na ilusão do mesmo passado. Não passou, enquanto não houver terminado. Não passou, para quem viveu desacordado. Não passou, para quem se sentiu amedrontado. Não passou, para quem se faz indiferente. Não passou, para quem não transformou o fruto em semente. Não passou, para quem está em febre ardente. Não passou, para quem ainda agoniza. Não passou, para quem ainda ignora. Não passou, para quem ainda permanece distante. Não passou, para quem ainda chegará. Não passou, não passa e não passará para quem ainda soletra o B, A, BA. (XVII).
      “O que Alécio vê”, além de um monte iluminado? Adjetivo? Verbo? Sujeito? Substantivo? Ou predicado? “Os ombros suportam o mundo”, enquanto a vida segue sem mistificação. “As sem- razões do amor”, em instante mais do que vencido pela emoção. “Poesia”, de um momento em verso sem duplicação. “A máquina do mundo”, movida pela palavra em frase e oração. “Congresso Internacional do medo”, em canto provisório de uma mesma filiação. “Tarde de maio”, sem testemunhas ao meio dos desatentos. “Ausência”, em inventos que ninguém imaginou. “Canção final”, em códigos que ninguém revelou. “Para sempre”, haverá a nova espiga em mais de um milharal. “O constante diálogo”, sem ponto final. “A Palavra mágica”, sempre procurada, sempre dormente, sempre encantada. “O novo homem”, em mais de uma página virada. (XVIII).
      “Desperdício” da solidão sem merecimento. “Os velhos” na floresta do esquecimento. “Briga”, sem qualquer contentamento. “Dois rumos”, na verdade de quem mente. “Certas palavras”, reservadas, proibidas e sem definições edificantes. “Irmão, Irmãos”, diferenciados e semelhantes. “Para o sexo a expirar”, em braseiros radiantes. “A castidade com que abria as coxas”, em ardente chama. “O que se passa na cama”, nos prazeres de quem ama? “Prece do brasileiro”, além de um firmamento estrelado. “O seu santo nome”, em horizonte iluminado. “Hipótese”, de uma geometria divinal. “Rio em flor de janeiro”, antes e depois de qualquer tempestade em nada ocasional. “Deus e suas criaturas”, deveras semelhantes. “O fim no começo”, dos legisladores, dos governantes. “Parolagem da vida” dos amantes. “A mão suja” empunhada pela ofensa. “Destruição” cadenciada pela descrença. “Sociedade” formalizada pela indiferença.” “Infância”, mais do que constitucional. “Mãos dadas”, pela pátria continental. “Canção amiga”, em verso fraternal. (XIX).
     “Escritor: não somente uma certa maneira especial de ver as coisas, senão também uma impossibilidade de vê-las de qualquer outra maneira”.
      “Confissão”, de um aprendiz. “Soneto da perdida esperança”, em mais de uma lição de giz. “Cuidado”, redobrado no que diz. “Aula de português”, em continuada aprendizagem. “O fim das coisas”, no reflexo de mais de uma imagem.” “Homem livre”, e, de bons costumes além de uma engrenagem. “Falta um disco”, mais do que solar. “Como encarar a morte”, diante do verbo eternizar? “Mortos que andam”, revestidos de asas para voar. “A hora do cansaço”, seguida do minuto de lazer. “Salário” de poeta no segundo soletrado pelo verbo ser. “O Deus de cada homem”, em seu templo interior. “Procura da poesia”, no itinerário do amor. (XX).
       “Inscrição tumular”, em epitáfio cidadão. “Sem que eu pedisse, fizeste-me a graça”, de uma canção. “Lição”, em partitura sonorizada no coração. “O amor antigo”, em mais de uma recordação. “A palavra”, escrita no delta em vazão. “A falta de Érico Veríssimo”, enquanto companheiro e irmão. “A visão de Clarice Lispector”, em bis e refrão. “Igual-desigual”, em lumes. “Ainda que mal”, o bem vigora e prevalecerá. “Verdade”, que já floresceu, mas que ainda não frutificou. “Soneto da perdida esperança”, que ninguém esqueceu e que alguém em verso poetizou. “O fim das coisas”, naquilo que ainda não acabou. Drummond vive, e, entre aspas permanecerá. Agora e para sempre. Assim será!
      “Além da Terra, além do Céu, no trampolim do sem-fim das estrelas, no rastro dos astros, na magnólia das nebulosas. Além, muito além do sistema solar, até onde alcançam o pensamento e o coração, vamos! Vamos conjugar o verbo fundamental essencial, o verbo transcendente, acima das gramáticas e do medo e da moeda e da política, o verbo sempreamar, o verbo pluriamar, razão de ser e de viver”. (Carlos Drummond de Andrade, 1902-1987).



Seis parágrafos sem travessão
    Vogal ou consoante? Semivogal! Cavidade bucal ou nasal? Regência do idioma nacional! Timbre aberto ou fechado? Reduzido! Intensidade átona ou tônica? Intempestiva! Articulação oclusiva ou constritiva? Federativa! Surda ou sonora? Falante! Grupo vocálico ou Encontro consoante?  Ditongo e Tritongo eleitoral! Crescente ou decrescente? Desgovernado e dissimulado!
    Ignorante ou Alfabetizado? Leigo ou letrado? Morfologia determinante! Estrutura ou formação? Opinião! Flexão ou classificação? Raiz e radical! Tema ou afixo? Desinência nominal e verbal! Gênero ou número? Grau! Infinitivo ou gerúndio? Particípio! Imperfeito do indicativo ou Mais que perfeito? Presidente e governador! Imperfeito do Subjuntivo? Deputado e senador! Futuro do Pretérito ou Presente do Indicativo? Pretérito Perfeito em perpetuada conjugação!
    Derivação ou composição? Hibridismo em expressão! Prefixo grego ou latino? Sufixo variado! Aumentativo ou diminutivo?  Alistado! Substantivo plural ou singular? Verbo votar! Artigo Definido ou Indefinido? Adjetivo! Numeral Cardinal ou Ordinal? Pronome Pessoal! Reto ou oblíquo? Reflexivo! Possessivo ou Demonstrativo? Pronome Indefinido:
    Algo, alguém algum. Outrem, ninguém, nenhum. Menos ou mais? Tudo ou nada? Vários, tudo ou todo? Diferentes ou diversos? Iguais ou privilegiados? Muito ou pouco? Quanto ou quem? Povo ou popularidade? Governante ou mediocridade? Legislador ou improbidade? Flexão ou locução pronominal? Verbo ou flexão temporal? Presente, Pretérito ou Futuro social? Advérbio ou locução adverbial? Tempo ou Lugar? Modo ou Negação? Dúvida ou Intensidade? Afirmação plena ou pela metade?
    Agora, ontem ou amanhã? Hoje, já ou sempre? Logo ou já? Depressa ou presentemente? Outrora ou atualmente? Presidenta ou presidente? Defronte ou detrás? Dentro ou fora? Abaixo ou acima? Alhures ou aqui? Nada ou nunca? Não ou jamais? Acaso ou porventura? Também não! Provavelmente ou quiçá? Talvez! Tanto como? Menos ou mais que? Acento grave, agudo e circunflexo. Apóstrofo e cedilha. Hífen e til.
      Vícios da linguagem! Barbarismo ou cacofonia? Crônica em poesia! Página de jornal! Palavras, frases, concordância gramatical! Sentido figurado... Reticências? Antônimo ou sinônimo? Homônimo! Ponto final!
Airton Reis, professor, poeta, embaixador da paz de Mato Grosso.


-//-



Sílvia e Rosimeire – Poetas Del Mundo
     Sílvia mineira. Rosimeire capixaba. Sílvia poesia frutificada. Rosimeire verso em página compartilhada. Sílvia expressão internacional. Rosimeire encontro mundial. Sílvia amizade verdadeira. Rosimeire comunicação brasileira. Sílvia simpatia. Rosimeire sintonia. Sílvia manancial. Rosimeire enseadas. Sílvia palavras publicadas. Rosimeire letras irmanadas. Sílvia Araújo da Motta. Rosimeire Leal da Motta.
      Duas poetas que, por via e-mail, a nós se apresentam em nome da Associação Internacional Poetas del Mundo. Duas Poetas Del Mundo que fazem do Brasil uma Nação exemplar. Nação berçário da língua portuguesa em ampulheta secular. Nação no diário dos cronistas de além mar. Nação no imaginário do dito popular. Nação de bravos guerreiros. Nação de brasileiros. Nação de brasileiras. Nação de bandeiras.
      Pátria continental. Pátria sertão. Pátria litoral. Pátria humana. Pátria republicana. Pátria constitucional. Pátria Tupi. Pátria Guarani. Pátria miscigenação. Pátria urbana. Pátria rural. Pátria porto seguro. Pátria Planalto elevado. Pátria Cerrado. Pátria Planície verdejante. Pátria Pantanal. Pátria Floresta Tropical. Pátria Pampas. Pátria Caatinga. Pátria beleza natural.
       País desigual. País em crescimento dito acelerado. País do infante marginalizado. País da violência de cada dia. País da periferia. País da democracia sem representação. País da cidadania em convulsão. País da falência governamental. País da educação relegada. País da saúde pública sucateada. País do Palácio do Planalto e da mordomia institucional. País do Pré Sal. País da corrupção e do Congresso Nacional. País da discriminação mais do racial, ora velada, ora declarada. País da reforma política adiada.
      Ó Silvia! Ó Rosimeire! Ó Poetas Del Mundo residentes e habitantes deste rincão brasileiro! O que de fato faz uma poesia diante de um nevoeiro? Traz a garoa que germina? Traz o temporal que desabriga e que desola? Traz a tempestade seguida da bonança que não se compara a qualquer bolsa esmola?
      Graças às palavras que nos unem em mais de uma poesia ilustrada. Graças às frases que nos animam em mais de uma direção segura e iluminada. Graças pela nossa juventude educada pela cultura. Graças pelas páginas irmanadas em literatura. Graças pela vocação na transmissão de conhecimento e saber. Graças pela Associação Internacional Poetas del Mundo que nos irmana em obrigação, direito e dever.
      Ouvidos sejam os nossos versos. Sonorizadas sejam as nossas cantorias. Publicadas sejam as nossas poesias. Juntos nós ampliaremos os madrigais da sabedoria em campos cultivados. Juntos nós multiplicaremos a língua portuguesa em todos os Estados Federados deste País, desta Pátria, desta Nação. Juntos nós cantaremos para o mundo o Brasil em bis e refrão.
      Que a Luz do Criador esteja conosco a cada criação. Que na fortaleza do fraterno Amor busquemos a nossa inspiração. Continuemos em sintonia pela poesia. Prossigamos no exercício da liberdade de expressão. Ouçamos a voz que vem do coração. E sempre, pela razão façamos do ato de escrever um instante humanizado compartilhado pela busca continuada da perfeição. Assim seja a nossa Associação! Atenciosamente, Airton Reis.
Airton Reis, professor, poeta, vice-governador AIPOM-MT, embaixador universal da paz.

-//-


Paradeiro da Princesa (D. Isabel) – Perguntamos!
   Andará Vossa Majestade, aonde não há qualquer gorjear de um sabiá laranjeira em uma palmeira imperial? Andará Vossa Majestade, aonde o vento e a tempestade não se fazem sinônimo de qualquer calamidade mais do que ambiental?
    Andará Vossa Alteza Real, por acaso, diante das colunas do templo da liberdade erguidas além da nossa terra natal? Andará Vossa Alteza Real, por ventura, dentro dos pavimentos de um palácio em nada corrompido e regido pela Justiça Celestial?
    Andarás, S.A.I.R (Sua Alteza Real e Imperial D. Isabel), além das inicias com que fora tratada em Vossa Regência, sendo ouvida e aclamada pelos fiéis súditos de uma Nação continental por natureza obreira? Andará, S.A.I.R, no tempo universalizado além de qualquer nobreza passageira?
    Ó Princesa, nos responda quer seja em alforria!
    Ó Princesa, o Vosso trono foi trocado pela república da pirataria!
    Ó Princesa, carecemos de uma Ordem para banirmos a anarquia!
    Aqui, o atraque é geral e continuado. Aqui, o público e confundido com o privado. Aqui, a inocência paga pelo culpado. Aqui, tanto na origem, quanto na duração ou na amplitude, a Lei é constitucional, penal, eleitoral, processual, trabalhista, militar, civil, etc. e tal... Aqui, não só os governos Municipal, Estadual ou Federal é que nos torna dignos do nome Brasil mais do que Tropical. Aqui, a desigualdade é mais corriqueira do que aquela constatada em nível social.
    Esparsos e extravagantes são todos os que fazem dos Poderes instituídos uma representação mais do que municipal. Nem tudo se consolida em democracia advinda de qualquer que seja o pleito eleitoral. Vivemos distantes do valor cívico de uma cidadania nacional. Aqui, até parece que imitamos o tempo romano além de um coliseu. Aqui, não há qualquer Marília em carta recebida pelo pseudônimo de Dirceu.
    Todavia, os derrames se alastram além das bocas e das garras de um leão esfomeado. Aqui, o público, por vezes, é tratado como gado. Explicamos: Não queremos dizer que vivemos de pasto numa invernada pantaneira. Não queremos afirmar que apenas pisotear seja o nosso verbo na sonoridade de um berrante ecoado além de uma fronteira. Aqui, o pão de cada dia, nem sempre advém de uma regalia ou de uma caridade institucional mais do que agravante e costumeira. Aqui, mais de um infante já se alistou no mundo marginal sem qualquer uniforme, merenda, ou sala de aula sem professor e sem carteira.
    Médicos? Importamos em ilegalidade! Professores? Remuneramos em precariedade! Terra? Casa? Habitação! Lazer? Segurança? Legislação? Poucos com muita e muitos com pouca!
    Continuamos, nem sempre obedientes, a sermos um povo inerente à hierarquia além do âmbito legal. Continuamos brasileiras e brasileiros irmanados pelas conquistas advindas aquém de qualquer Poder regimental. Continuamos trovadores em versos que primam pela liberdade em mais de uma expressão.
    Continuaremos perguntando, insistentemente, por andará Sua Alteza Real e Imperial Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança, e depois Bourbon?
    Sabemos que Vossa Majestade não fora a primeira a comandar, como chefe de Estado e de governo, os destinos mais do que políticos do Brasil. Sabemos que, para as páginas da nossa História será sempre a terceira, após a Vossa avó D. Lepoldina e a Vossa trisavó Dona Maria I, a desempenhar os fados e encargos administrativos que não se restrigiram aos vereditos de uma inconfidência finalizada em prisão, degredo e forca...
    Todavia, ainda sabemos, que ocuparas, para sempre, e, incontestávelmente, o lugar de primeira senadora do Brasil, cargo a que teve direito, e, exerceu, como herdeira do trono a partir dos 25 anos de idade conforme aConstituição de 1824, a primeira Carta Constitucional do Brasil.
    Ó Redentora, precedida em regência pelo Vosso pai D. Pedro II do Brasil, e sem nenhum sucessor, posto que a República Federativa do Brasil foi proclamada! Olhai por nós filhos e filhos de uma Pátria outrora amada e idolatrada em mais de um Pavilhão!
    Ó Dona Isabel, que aos 14 anos e, de acordo com o artigo 106 da Constituição Imperial, prestastes o juramento de "manter a religião católica apostólica romana, observar a Constituição política da nação brasileira e ser obediente às leis e ao imperador”. Volvei os Vossos olhos ao nosso destino de Nação em desenvolvimento deveras sutentado, enquanto Estado laico e sem qualquer gênero ou espécie de preconceito velado ou declarado!
     Ao final, aprendemos que,  mesmo já banida desta Pátria que fizeste livre de mais de um cativeiro, com a morte do Vosso pai, em 1891, tornas-tes a chefe da Casa Imperial e a primeira na linha sucessória, sendo considerada, de jureSua Majestade Imperial, Dona Isabel I, Imperatriz Constitucional e Defensora Perpétua do Brasil.
    Por todos os páragrafos apontados nesta indagação, bem como pelo amor ao próximo que Vós declarastes ao assinar a Lei Auréa que nos assegurou a Abolição, responda-nos, sem demora, e, em mais de um artigo assinado em opinião:
    – Por andarás Vós Princesa Isabel? Qual o Vosso (real) paradeiro?
    Na esperança compartilhada, aquém e além de uma urna apurada em pleito universal, secreto e universal, de que ainda um dia, saberemos distinguir a monarquia, a que com fidelidade jurastes, de qualquer demagogia, ora e outrora, galopante e em mais de uma montaria que insiste em nos chicotear e nos cravar a espora sem qualquer parcimônia ou trégua de um autêntico cavaleiro em nada imperial, aqui nos despedimos em poesia...
    Sem mais, saiba ainda que pelo Brasil, continuaremos vigilantes não só em prosas ou quiçá em versos substancialmente margeados pela essência que nos torna, de fato e de direito, as obreiras e os obreiros de uma almejada democracia! Deste poeta que assina Airton Reis. Cuiabá-MT, 19 de fevereiro de 2014.
FONTE:
https://mail.google.com/mail/u/0/?tab=wm#inbox/1444d09e2e53bd4c
-//-

PAZ PRESENTE!
   Mato Grosso mundialmente reconhecido pela paz urgente. Várzea Grande, Barra do Bugres e Diamantino em laço cultural irmanado pelas nossas presidentes Sra. Delasnieve Daspet – Brasil, e, M. M. Gabriele Simond – França-Suíça. Associação Internacional Poetas Del Mundo e Círculo Universal dos Embaixadores da Paz, ambas filantrópicas e sem fins lucrativos, movidas pelo bem da pátria, da família e da humanidade. Representatividade que nos conclama numa mesma cidadania universal. “Concurso internacional de poesia da paz”, advinda da Rowad American College  – Cairo-Egito, que classificou em 28 de março de 2013 duas alunas mato-grossenses em segundo lugar e enaltece com honrarias mais de duas escolas do estado de Mato Grosso em expressão cultural.
   Satisfação, alegria e continuidade do nosso trabalho enquanto embaixador da paz em nosso estado rico e promissor, todavia relegado e preterido da verdadeira responsabilidade política deveras inerente aos sucessivos governantes e legisladores estaduais e municipais, que, ao invés de investirem na educação, na cultura e na saúde do povo que os elegeram, só pensam e agem pela perpetuação do poder pelo poder. Obras ausentes e penitentes de apoio institucional. Favas e favelas. Favelados e violência disseminada. Juventude corrompida e marginalizada. Escolas prometidas e sucateadas. Hospitais sem vagas...
   Indignação, protesto e pedido de atenção. Valorização aos diretores, professores e alunos de um mesmo estado da federação. Palmas a todos os que se empenham pela humanização do saber sem ponto final. Direito e dever em tênue linha de um mesmo tempo mais do que constitucional. Brasil e Mato Grosso além de um ideal. Várzea Grande e Barra do Bugres em destaque internacional. Diamantino enquanto pedra polida e lapidada da educação mais do que fundamental.
   Centro Educacional de Aprendizagem, e, Escola Estadual Paulo Freire, Assentamento Antônio Conselheiro, nossas mais brilhantes estrelas em nível mundial. Mato Grosso reluzente. Várzea Grande, Barra do Bugres e Diamantino num mesmo trinômio mais do que competente. Paz presente!
   Parabéns às alunas classificadas e premiadas Ana Luíza Nascimento e Luciene Nascimento Gonçalves, nossas jovens classificadas em segundo lugar. Parabéns diretores, diretoras, professores e professoras pela condução da educação pelo saber mais do que espetacular, uma vez que disputaram com 40 países do mundo e mais de 1500 inscritos. Paz presente!
   Recebam a nossa gratidão valorosas alunas e escolas participantes, em nome do Círculo Universal dos Embaixadores da Paz, França-Suíça, em nome da nossa presidente MM. Gabriele Simond, bem como em nome da Associação Internacional Poetas Del Mundo da qual em Mato Grosso nós somos o representante estadual, em nome da nossa presidente, e, também embaixadora da paz Delasnieve Daspet, este honroso certificado de honra ao mérito, em anexo, referente ao “Concurso internacional de poesia da paz” advindo da escola Rowad American College , no Cairo-Egito.
      Ainda registramos e agradecemos pelo apoio incondicional dos obreiros e obreiras dos meios de comunicação, em rádios, em revistas, em jornais e na televisão pelo registro desse fato inédito na história da educação e da cultura do povo mato-grossense. Nosso muito obrigado!!!
Airton Reis é poeta em Cuiabá-MT. Representante Estadual da Associação Internacional Poetas Del Mundo em Mato Grosso. Embaixador da Paz pelo Círculo Universal dos Embaixadores da Paz, França-Suíça. email: airtonreis.poeta@gmail.com
Fonte:
http://cercleuniverselambassadeurspaix-dd.blogspot.com.br/2013/04/paz-presente-por-airton-reis.html
-//-

Pela ordem, a poesia!
      Já nos ensinou Demóstenes que: “A prudência esclarecida é o princípio de toda a virtude; e a coragem encontra nela a perfeição. A primeira ensaia e escolhe o caminho, a segunda nela nos firma. E nas democracias, um dos mais nobres títulos, um dos numerosos direitos, a quem os homens devem firmemente ligar-se, é a liberdade de dizer de público as verdades, sem o menor obstáculo... A ninguém deve ser vedado o acesso às congregações do povo, nem tolhida qualquer liberdade no dizer. A Constituição que nos rege, nada tem que invejar de outros povos: Não as imita; antes lhes serve de modelo, porque seu fim é a utilidade da maioria e não da minoria. Todos são iguais perante as leis. Todavia, o saber, o talento e as virtudes não são as únicas coisas que estabelecem entre nós diferenças...”.
      Já nos disse Simon Bolívar que: “Se for verdade que o Estado pode suportar os infortúnios de seus membros, mas que estes não podem suportar os do Estado, claro está que nosso primeiro dever é nos congregarmos para defender o nosso direito... Tanto vale não ter idéias, como telas sem o talento de comunicá-las”.
     Assim é que, envoltos em redoma planetária diante do céu anil, nos tornamos associados da Associação Internacional Poetas Del Mundo em bem aventurada instalação em Cuiabá, em Mato Grosso, no Brasil. Cá estamos numa Capital, num Estado Federado, numa Pátria, num País, numa Nação.
     Chegamos para somar em poesia e realização. Cruzeiro do Sul em constelação. Palavras no horizonte da comunicação. Letras perpetuadas pela busca continuada da perfeição. Diretorias formadas. Diretrizes elencadas. Páginas e pegadas. Palavras iluminadas pela harmonia. Poesia. Pensamento e ação. Tempo e espaço cidadão. Humanidade em construção. Pátria dos obreiros. Estado dos celeiros. Cidade dos canteiros. Nossa missão? Edificar e colher! Nossa meta? Cultivar e florescer! Nosso objetivo? Frutificar sempre! Nosso ideal? Versejar em cultura! Nosso lema? Fomentar a literatura! Meio ambiente, fauna e flora. Educar sem esmola. Crianças, jovens e adultos. Pacificar sem demora. Nesta hora!
       Senhora presidente, Delasnieve Daspet, Senhora Governadora Sueli Batista, Membros da Diretoria, Convidados e Associados, Senhoras e Senhores, Leitores:
       A poesia se faz alada... Voa no vértice da Pátria Amada! Façamos parte dessa jornada! Prossigamos em caminhada. Ouçamos a chamada da inspiração. Avistemos nos versos o Universo em evolução. Alcancemos a luz do saber. Ampliemos a conjugação do verbo ser... Sejamos poetas irmanados em bem querer!
       Doravante, rotação e translação. Doravante, empenho e determinação. Doravante, constância e boa vontade. Doravante, excelência e qualidade. Doravante nosso Estado, nossa cidade, nossa família, nossa vida, nossa obra em tempo real, nossa missão existencial. Doravante a nossa Associação em prisma mundial. Declaramos aberto o nosso primeiro encontro organizacional. Que Deus ilumine-nos, unifique-nos e nos conduza pela seara do bem, do belo e do universal. Assim será!
Airton Reis, vice-governador da AIPOM-MT. Cuiabá-MT, 13 de fevereiro de 2014.
-//-------------------------------------------------------//-----------------------------------------------//-


Artífices do Verso

Azul anil: Pátria Brasil!
Verde colossal: Associação Internacional!
Cidade Morena. Poesia plena!
Presidente Delasnieve Daspet: Nossas asas, nossas penas!
Poetas Del Mundo: Antenas!
Ação e reação: Liberdade de expressão!
Bandeiras Estaduais tremulantes: Pepitas e diamantes!
Universo iluminado: Amor cultivado!
Flor e fruto: Estatuto!
Páginas desfolhadas: Vidas irmanadas!
Paz e cidadania: Concórdia e Harmonia!
Ordem do dia: Verbo poetizar!
Força, Beleza e Sabedoria: Humanizar!
Avante!
Vamos rimar!
Vamos remar!
Vamos realizar!
Airton Reis, vice-governador AIPOM-MT.
Cuiabá, 17 de fevereiro de 2014.

-//-

CÍRCULO UNIVERSAL EMBAIXADORES DA PAZ BRASIL –
-
 ACRÓSTICO DE AIRTON REIS DE CUIABÁ-MATO GROSSO


Colunas erguidas pela Paz sem fronteiras.

Igualdade e Liberdade cultivadas em sementeiras.

Respeitabilidade institucional.

Conformidade regimental.

Unidade ampliada em manancial.

Lume cultural.

Ordem e ação.

Utilidade pública à luz da razão.

Nível intelectual em continuado alvorecer.

Iluminação do saber.

Vértice educacional.

Egrégio pavimento mundial.
Radiação fraternal.
Solar da boa vontade.
Alameda da solidariedade.
Labuta pelo bem da pátria, da família e da humanidade.
Eficiência efetivada.
Moralidade elevada.
Brado retumbante.
Afluência determinante.
Iluminação brilhante.
X em equação resultante.
Atuação constante.
Diamantes verdadeiros.
Obras e obreiros.
Radiação pela concórdia e pela harmonia. Embelezamento da cidadania. Sabedoria compartilhada. Ditame com hora marcada.
Afinidades irmanadas.
Palavras ilustradas.
Agendas interligadas.
Zênite da pacificação.
Bandeira tremulante em Pavilhão.
Ramificação florida e frutificada.
Articulação em alvorada iluminada.
Sinergia bem aventurada.
Interface efetivada.
Legalidade abençoada.
Fonte:

http://www.jornaloeste.com.br/?pg=artigo&ida=1888
-//-


Os poetas Sueli Batista e Airton Reis,
governadora e vice-governador da Associação Internacional Poetas del Mundo- Mato Grosso
-//-


Associação Internacional Poetas del Mundo chega a MT
-
No dia 12 de fevereiro, às 18 horas, em Cuiabá,  será a primeira reunião pró-fundação da Associação Internacional Poetas del Mundo- Mato Grosso. Trata-se de uma OSCIP- Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, que tem dentre os objetivos da sua missão, a promoção de  foros de debates entre poetas del mundo e  outras instituições, com vistas à superação de obstáculos à promoção cultural e à prática de escritores e artistas brasileiros e estrangeiros.
 Estão à frente dos trabalhos, colocando seus nomes na formação da primeira diretoria, em nível de governadoria os poetas Sueli Batista (governadora) e Airton Reis (vice-governador). A organização segundo Sueli tem ações muito abrangentes, que contemplam não só poetas, mas a classe artística e cultural como um todo, além de desenvolver trabalhos sócio educativos e voltados à paz.
 Estão também entre seus objetivos, promover, incentivar e apoiar, intercâmbios, congressos, encontros, conferências, palestras, exposições, cursos, concursos, campanhas sócios-educativos-humanitários e eventos outros, sempre visando o aprimoramento das Culturas e Artes com divulgação e realização nacional e/ou internacional, de acordo com as normas desta Associação, aqui especificadas, como das leis vigentes em seus locais de aplicação; Atuar na promoção da Ética, da Paz, da Cidadania, dos Direitos Humanos, da Democracia, da Cultura da Paz e apoiar a Variedade Cultural.
 A reunião de fundação da  Associação Internacional Poetas del Mundo será na sede da Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais- BPW Cuiabá, que fica na Rua General Valle, 321- Sala 701- Edifício Marechal Rondon. Confirme sua presença através dos telefones: 9981.3389 - 9965.7552, ou  3052.2872 (das 13 às 19h00). Os organizadores esperam a participação de poetas, escritores, compositores, e outros profissionais ligados a cultura, mas será aberta para os que quiserem abraçar juntos o desafio da fundação, e ajudar a  escrever um importante capítulo na história da Associação Internacional Poetas del Mundo, em Mato Grosso.
 Para conhecer um pouco mais da associação e seu estatuto basta acessar o seguinte endereço: http://a-internacionalpoetasdelmundo.blogspot.com.br
-
Publicado em em: 2014-02-10
Fonte: Studio Press Comunicação




-//-








Cinzas...
      Quarta feira de um samba enredo inacabado. Fim de um reinado anual. Fim de uma folia nacional. Momo recolhido. Momo resguardado. Sapucaí silenciosa. Sapucaí esvaziada. Bateria recuada. Bateria sem madrinha. Alegoria desmontada. Alegoria de um Carnaval. Cinzas de curta duração. Cinzas de larga utilidade. Cinzas de uma fantasia bordada em barracão. Cinzas de um cinegrafista alvejado por rojão. Cinzas de uma Passarela em bis e refrão. Cinzas de uma Cidade Maravilhosa. Cinzas em verso. Cinzas em prosa.
      Cinzeiros, braseiros e borralhos. Alhos e bugalhos. Desvios e atalhos. Rotas de uma fuga em vão. Cinzas dos chacinados em mais de um rincão. Cinzas dos assassinados a luz do dia. Cinzas dos excluídos de qualquer cidadania. Cinzas dos finados sem qualquer defensor. Cinzas dos executados sem nenhuma defensoria. Cinzas dos desvalidos pela democracia.
      Nas cinzas, a violência desmedida e desenfreada. Nas cinzas, a banalização da baderna reincidente e mascarada. Nas cinzas, as páginas amareladas de uma Pátria idolatrada em cantos mil. Nas cinzas, as asas de uma fênix chamada Brasil. Nas cinzas, o verbo renascer conjugado no tempo presente. Nas cinzas, as obrigações elencadas. Nas cinzas, as regiões distanciadas. Nas cinzas, as encostas soterradas. Nas cinzas, as moradias improvisadas.
      Educar por Princípio. Moralizar por Precisão. Assegurar a Justiça. Aprimorar a Legislação. Efetivar Direitos. Cumprir Deveres. Valorar a Constituição. Pão é pão! Circo é circo! E a governabilidade em questão? Representação política ou encenação teatral? Pacto federativo ou Poder central? Protagonista popular ou figurantes no Congresso Nacional? Promessas ao vento ou acomodação ministerial? Dúvida permanente ou certeza passageira? Caçarola ou frigideira?
      Quem vem lá? Quem permanece? Quem entra? Quem sai? Quem leva? Quem traz? Quem acrescenta? Quem representa? Quem a clareza? Quem a escuridão? Quem o candidato? Quem o eleitorado? Quem o deputado? Quem o senador? Quem o presidente? Quem o governador?    
      As cinzas, no corolário das urnas, nos dirão quem serão os postulantes eleitos na hora do voto certeiro. As cinzas, no corolário das urnas, nos revelarão quem seremos nós enquanto povo brasileiro. As cinzas, no corolário das urnas, nos tornarão a extensão do emergencial, do justo e do verdadeiro.
Airton Reis, professor, poeta, embaixador da paz, vice-governador da Associação Internacional Poetas Del Mundo – Mato Grosso. airtonreis.poeta@gmail.com


-//-






AMIGOS, VAMOS PERSONALIZAR NOSSO BANNER DE POETAS DEL MUNDO???
ADOREI A IDEIA!!!!




-//-


O Poeta Airton Reis emociona platéia02/09/2011 - 15:42
O poeta Airton Reis emocionou aos presentes no evento de posse da primeira dama-Roseli Barbosa, como presidente de Honra da Fundação, hoje, (02/09) em Cuiabá, declamando a poesia "Amor fraterna" :

Amor fraternal

Grande Arquiteto do Universo glorificado.
Verbo abrigar no presente do indicativo conjugado.
Sujeito composto engajado pela dignidade humana.
Adjetivo da solidariedade assegurada na pátria republicana.
Boa vontade de mão em mão ofertada.
Família mato-grossense ampliada.
Bem cuidar e bem proteger.
Bem estar e bem querer.
Amar ao doar.
Amar ao prover.
Amar ao ofertar.
Amar ao acolher.
Amar ao socorrer.
Amar ao proteger.
Amor fraternal 24 horas por dia.
Amor fraternal no portal da cidadania.
Amor fraternal radiante em ação social.
Amor fraternal cultivado em salutar parceria.
Amor fraternal lapidado em diamante e cristal.
Amor fraternal traduzido em conforto espiritual.
Amor fraternal que cuida, que veste e que alimenta.
Amor fraternal que afaga, que conforta e que orienta.
Amor fraternal que acompanha, que ampara e que guia.
Amor fraternal em poesia. Agora e para sempre. Assim seja!

Irmão Airton Reis
Venerável Mestre Antônio Carlos Jaudy
ARLS Legionários do Saber Número 89
Cuiabá-MT, 02 de setembro de 2011. 
Fonte: Neila Barreto
http://www.abrigobomjesus.com.br/noticias/noticia.asp?cod=33
-//-




Oráculo cidadão...
       Latinos e latinizados. Conquistadores e conquistados. Nem gregos e nem romanos. Tribunos e tribunais. Oradores e poetas ocasionais. Línguas e gramáticas. Análises sintáticas. Expressões e locuções. Verbos e orações. Sujeitos ocultos. Sujeitos indeterminados. Sujeitos letrados. Discursos repetidos. Discursos inflamados. Discursos equivocados.
       Estados e estadistas. Governos e governados. Nobres e plebeus. Livres e escravizados. Patriotas e expatriados. Elegíveis e eleitores. Senhoras e senhores. Brasileiras e brasileiros. Obreiros e bem feitores. Leigos e doutores. Interlocutores e leitores. Povo e pão. Democracia e Nação. Circo e exclusão.
       Gladiadores e cidadania. Legisladores e demagogia. Premissas e promessas. Saúde e educação. Segurança pública defasada. Baderneiros de plantão. Morros e pacificação. Litoral e sertão. Liberdade de expressão. Igualdade constitucional. Brasil continental. Brasil atual. Brasil futuro. Brasil ideal.
       Pátria do Pré sal. Pátria da desigualdade mais do que regional. Pátria da calamidade mais do que ambiental. Pátria do Poder Central. Pátria do Congresso Nacional. Pátria da maioridade penal em vias contestadas. Pátria das prisões abarrotadas. Pátria das famílias ignoradas. Pátria das famílias abastadas. Pátria das famílias vitimadas.
      Rodovias e estradas sucateadas. Planaltos e nevoeiros. Planícies e picadeiros. Celeiros e celeumas sociais. Famintos e impactos ocasionais. Finitos e finados. Civis e fardados. Indiferentes e acomodados. Eleitos e reeleitos por votos apurados. Eleitos e reeleitos pela maioria. Eleitos e reeleitos em nome da democracia. Canto da sereia. Pranto da periferia. Bandeira da pirataria.
       Saques e saqueadores. Violência e horrores. Pacificadores em extinção. Rumores e rumos da Nação. Condutores e lideranças em extinção. Governabilidade questionada. Pátria amada. Pátria idolatrada. Pátria imperfeita. Pátria reordenada. Pátria parcelada. Pátria progressista. Pátria estreita. Pátria ampliada em cantos mil. Pátria mãe nem sempre gentil. Pátria Brasil.
       Quem te vê? Quem te eleva? Quem te conduz? Quem te faz luz? Quem te reduz? Quem te envolve em escuridão? Quem te serve? Quem te engrandece? Quem te engana? Quem te ama? Quem te expropria? Quem te representa? Quem te orienta? Quem te desfigura?
       Quem te sustenta? Quem te aplaude? Quem te apóia? Quem te guia? Quem te norteia? Quem te exalta? Quem te assegura? Quem te burla? Quem te saqueia? Quem te livra? Quem te defende? Quem te macula? Quem te fere? Quem te corrompe? Quem te salva? Quem te cura?
       Quando a Ordem? Quando o Progresso? Onde a Carta Magna Constitucional? Onde o infante marginal? Por que o Palácio do Planalto? Para que o Congresso Nacional?
       Responda-nos antes do próximo pleito eleitoral! Responda-nos em tempo real! Responda-nos antes que sucumbamos pela inércia mais do que governamental!
Airton Reis, professor, poeta, embaixador da paz, vice-governador da Associação Internacional de Poetas – Mato Grosso. airtonreis.poeta@gmail.com








FOTO DE 2009:

FOTO:Montagem, feita por Bilá Bernardes, com 
fotos de Lú Peçanha e Antônio Carlos Dayrell.I 
ENCONTRO DE EMBAIXADORES DE LA 
PAIX/FRANCE/SUISSE-CÔNSULES-
POETAS DEL MUNDO-
DIAS 11,12,13,14 
DE NOVEMBRO DE 2009 
EM BELO HORIZONTE-MINAS GERAIS-BRASIL SOB A 
COORDENAÇÃO -GERAL DE SILVIA ARAÚJO MOTTA
-//

VER TAMBÉM:

http://escoladeredes.net/group/poetasdelmundoembelohorizonteminasgeraisbrasileami
-




GRANDE ABRAÇO:
SILVIA ARAÚJO MOTTA-BELO HORIZONTE-MINAS GERAIS

Email: clubedalinguaport@gmail.com


-//-

POETAS DEL MUNDO EM BH/MG SERÃO HOMENAGEADOS

Nos dias 11, 12 e 13 haverá uma programação feita com  POETAS DEL MUNDO  do Clube Brasileiro da Língua Portuguesa, Paz e Poesia, Semente de Poesia, Rede Catitu Cultural, Liber Livros e Mural dos Escritores, Alô Vida, Imersão Latina, Mulheres Emergentes, Munap, da Amulmig, da Afemil, do IHGMG, da AMI, da Arcádia de Minas Gerais, da UBT/BH, da Academia de Letras do Brasil e outras.
------------------
ATIVIDADES

QUARTA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2009

18h – CREDENCIAMENTO-ENTREGA DOS  CRACHÁS – Cafeteria Palácio das Artes – Subsolo.

------------------------------------------

QUINTA-FEIRA, 12 DE NOVEMBRO DE 2009

09h30min – ACADEMIA MINEIRA DE LETRAS – Rua da Bahia, 1466.
09:30 Recepção e Identificação dos Convidados
          Projeção de Vídeos – Poetas del Mundo – BH – MG, outros estados e países.

--------------------------------------------

10h –ACADEMIA MINEIRA DE LETRAS
Abertura
Hinos: Chile – Brasil – Hino dos Poetas Del Mundo

Saudação
Sílvia Araújo Motta – Anfitriã Cônsul Poetas del Mundo de Belo Horizonte .

Bilá Bernardes – Cônsul Poetas del Mundo de Minas Gerais.

PRONUNCIAMENTOS:
          Delasnieve Daspet – Embaixadora dos Poetas del Mundo e Secretária Geral para as Américas.
Arias Manzo – Fundador e Cônsul Geral dos Poetas del Mundo – Chile.

Diplomação / Homenagens
Cônsules e Poetas del Mundo, feita por Sílvia Araújo Motta – Cônsul dos Poetas del Mundo em Belo Horizonte, Bilá Bernardes – Cônsul dos Poetas del Mundo em Minas Gerais, Delasnieve Daspet - Embaixadora dos Poetas del Mundo e Secretária Geral para as Américas - e Arias Manzo - Fundador e Cônsul Geral dos Poetas del Mundo – Chile..
--------------------------------------------------------
12 às 14h – ALMOÇO  LIVRE
--------------------------------------------------------
14h – ASSOCIAÇÃO MINEIRA DE IMPRENSA – AMI – Rua da Bahia, 1450.
Abertura
Execução dos Hinos do Brasil, Chile e França.
Saudação de Carlos Lúcio Gontijo – Poeta del Mundo e vice-presidente da AMI.
Conferência
Liberté, Egalité et Fraternité ecoam em minha alma verde e amarela – Diva Pavesi: Embaixadora Poeta del Mundo para a França, Membro e Delegada  da Académie Française de Artes, Sciences et Lettres, Diretora do Festival de Cannes para o Brasil.
Apresentação Artístico-Cultural
-----------------------------------------------------------
18h – RECEPÇÃO E CONFRATERNIZAÇÃO DOS POETAS DEL MUNDO NO MUSEU ARTE CULTURA –
Manuel Antônio Carvalho – Casa da Luz e da Poesia – Rua Eduardo Porto, 612 – Cidade Jardim – (31) 7811-8362 – Apresentação poética dos Embaixadores, Cônsules e Poetas del Mundo – Apresentação musical.(Cada Poeta Del Mundo deverá levar um livro com poemas para a foto oficial.)

------------------------------------------------------
SEXTA-FEIRA, 13 DE NOVEMBRO DE 2009

10 às 12h – Caminhada e visita  a EXPOSIÇÃO DE ESCULTURAS & SEMENTE DE POESIA  especial
com Poetas del Mundo no Parque Municipal. Organização: Regina Mello.
-------------------------------------------------------
12h – ALMOÇO  LIVRE.
-------------------------------------------------------
14 às 17h – Passeio à PRAÇA DA LIBERDADE.
-------------------------------------------------------
18h – Inauguração do ESPAÇO MIX CULTURAL LIBER LIVROS. Recital com participação de Poetas
del Mundo. Endereço: Avenida Getúlio Vargas, 622 – Savassi – Belo Horizonte.
-------------------------------------------------------
SÁBADO, 14 DE NOVEMBRO DE 2009

PASSEIO A OURO PRETO (Opcional).
Custo: R$ 380,00 – fracionados entre os interessados.
Contatos(Bilá e Sílvia)

-----------------------------------------------------------
COMISSÃO ORGANIZADORA

COORDENAÇÃO GERAL
Sílvia Araújo Motta.

APOIO
Bilá Bernardes – Jaak Bosmans – Ana da Cruz – Kid Moreira –
 Wilson Miranda – Romeu Queiroz – João Wilton Alves.
-------------------------------------------------------------
CONTATOS:
Sílvia Araújo Motta 55 (31) 9928 2798 clubedalinguaport@gmail.com
Bilá  Bernardes:  55  (31)  9128 7347  bilapsi@gmail.com
-------------------------------------------------------------
INSCRIÇÕES
brppoetasdelmundobrasil@gmail.com
--------------------------------------------
mgpoetasdelmundo@gmail.com
--------------------------------------------

fonte da publicação:
http://www.recantodasletras.com.br/homenagens/1886650

-//-

VALE RECORDAR DO DIA 
DA POSSE DE SILVIA ARAUJO MOTTA
POETA DEL MUNDO
NO RIO DE JANEIRO 
DIA 10 DE JANEIRO DE 2007
-
879- HOMENAGEM RECEBIDA
CONVITE E POSSE DA CÔNSUL Z-NO-BELO HORIZONTE NO MOVIMIENTO DOS POETAS DEL MUNDO,NO RJ/10/JAN/2007

REUNIÃO COM O ÁRIAS MANZO

Comunicamos a todos que  por deferência especial do Sr. F. NOBRE - 
Presidente da Confederação Brasileira das Academias de Letras e Artes  - CONFALB -
Data: 10 de janeiro de 2007.
Horário:  Ás 16 horas

Endereço: Rua Teixeira de Freitas,  nº 5 -  3º andar - sala 303 - 
( esquina com a rua Augusto Severo )  - 
no prédio do IHGB  - 
Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro - 
Centro -  Rio de Janeiro - RJ( Centro ou Lapa ou Passeio Público -  
o prédio fica na rua que dá fundos para o passeio publico começa na igreja).
-
PROGRAMAÇÃO ESPECIAL.
Palestra de Luíz Arias Manzo, do Chile, 
Fundador dos POETAS DEL MUNDO, hoje, com 1965 participantes, em 128 países.
Delasnieve Daspet-Embajadora do Brasil.
Haverá um SARAU litero-musical - na Sede da CONFALB.
Posse de Sílvia Araújo Motta: CÔNSUL Z-NO -
para Belo Horizonte-Minas Gerais-Brasil.

Referências:
(*) Sílvia Araújo Motta-Belovalense/BH/MG/Brasil.
E-mail: clubedalinguaport@gmail.com
Blog em 2014:
http://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com.br

www.recantodasletras.com.br/autores/silviaraujomotta
www.silviaraujomotta.virtualismo.com.br
http://www.ebooks.avbl.com.br/biblioteca3/silviaraujomotta.htm
http://www.mundopoeta.net/autores/silvia_motta.htm
http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_america.asp?ID=1481
http://www.avpb.olga.kapatti.nom.br/84_silvia_motta.html
http://www.lunaeamigos.com.br/varal/varal02ano6.htm
http://www.lunaeamigos.com.br/varal/varal03ano6.htm
---***---


Palavras de Sílvia Araújo Motta
Empossada Cônsul-Z-NO-Belo Horizonte,MG,Brasil.


CARVERSOS
(Carta em versos)

01-Ao brindar dez de janeiro,
02-dois mil e sete a crescer,
03-cá no Rio de Janeiro,
04-hoje venho agradecer.
05-Escrevo por meio desta
06-Cartinha a mostrar em verso,
07-o motivo desta festa,
08-que tem brilho de universo.
09-Senhoras e meus Senhores,
10-a todos do Movimiento,
11-Poetas Del Mundo, escritores,
12-eu abraço e cumprimento.
13-Honra-me sobremaneira
14-a este Grupo pertencer,
15-Belo Horizonte, altaneira,
16-feliz, vem comparecer.
17-Arias Manzo, fundador
18-do Movimiento que o faz
19-General Embaixador,
20-Universal do Amor e Paz.
21-Delasnieve, nossa guia
22-no Brasil, Embaixadora
23-transmite amor, harmonia,
24-grande realizadora.
25-Entre nós, não há distância
26-que nos faça esmorecer,
27-ao idoso e à infância,
28-a paz quer permanecer.
29-Vê-se no encontro diário
30-do Estudante adolescente,
31-do Jovem Universitário,
32-que a paz está quase ausente.
33-Como o pássaro certeiro
34-tem meta esperançosa,
35-o Poeta vem primeiro
36-dar a sua parte honrosa.
37-Vamos Artistas da PAZ
38-lá no coração do sol
39-descobrir como se faz
40-a paz do lindo arrebol.
41-Nesta POSSE, oro!
42-meu compromisso é legal:
43-Sou CÔNSUL-Z.NO  e moro
44-em Belo Horizonte, Capital.
45-Sempre irei representar
46-em minha localidade
47-POETAS DEL MUNDO, a buscar
48-a PAZ do mundo, em verdade.
49-promoverei reuniões
50-ordinária e extraordinárias,
51-com relevantes lições,
52-POÉTICAS, LITERÁRIAS.
53-Farei ampla difusão
54-muito apoio buscarei
55-porque sozinha em ação,
56-pouco realizarei.
57-Quero ver apodrecer
58-o mal! Paz e Bem vejo...
59-A raiz faz renascer
60-as pétalas do desejo.
61-Parceria, de certeza!
62-Trago o CLUBE BRASILEIRO
63-que é da LÍNGUA PORTUGUESA,
64-para a PAZ do mundo inteiro.
65-Em Belo Horizonte, afinal
66-tem POETAS excelentes,
67-Musicólogos, que ao final,
68-Somam Artistas competentes.
69-Cada nova pincelada,
70-de Literatura e de Arte
71-inédita, inacabada
72-a PAZ será sempre o encarte.
73-Na pauta vale a magia
74-das notas bem afinadas,
75-de paz, amor e alegria
76-serão sempre cultivadas.
77-Trago as mãos cheias de versos,
78-coração ensolarado,
79-no Tropical universo,
80-espírito bem-humorado.
81-Agora, vou terminar!
82-À todos, deixo um abraço.
83-Para a AMIZADE estreitar,
84-um sorriso, em lindo laço.
85-Sou a Sílvia Professora
86-bem feliz aposentada,
87-violonista e escritora,
88-pela vida apaixonada.
89-Mensageira de alegria,
90-cativa da Arte e Cultura,
91-a divulgar a POESIA,
92-Música e Literatura.
93-O tempo mudou meus traços
94-pôs meu físico mais forte,
95-bem mais fortes, meus abraços,
96-dentro da vida, mais sorte.
97-POETAS DEL MUNDO, AMADOS,
98-VAMOS DAR AS NOSSAS MAÕS,
99-CÔNSULES E CONVIDADOS
100-NUMA CORRENTE DE IRMÃOS.
101-COMPANHEIROS, MEUS IRMÃOS,
102-VAMOS VIVER DE MÃOS DADAS,
103-ONDE HÁ CORRENTES DE MÃOS,
104-NÃO HÁ MÃOS ACORRENTADAS.

Rio de Janeiro, 10 de janeiro de 2007.
Local: Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Leia mais:
http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_america.asp?ID=1481

-//-
1631-Poetas del Mundo-Série.UM MAR DE POESIA E PAZ-Cartrova aos Trovadores(1)

CarTrova ou CarVersos(Carta em Versos)Nº 1631
Por Sílvia Araújo Motta

Cumprimentos:

Belo Horizonte! Eu lembro:
dois mil e sete a passar...
Dia quinze de novembro
ao Congresso quis rimar.

Para o convite atender
na internet ponho os versos!
Hoje escrevo com prazer
esta cartinha ou carversos.

TEMA:

1-Um MAR de Poesia e Paz
responde à indagação:
-Quer saber como se faz?
Em NATAL há inspiração!

2-Um Mar de Poesia e Paz
no Congresso Mundial
revela esperança e traz
exemplo internacional.

3- Um Mar de Poesia e Paz
no “Movimiento del mundo”
planta a inspiração capaz
de brotar amor profundo.

4- Um Mar de Poesia e Paz
já em NATAL é real,
com magia se refaz
nas telas do virtual.

5- Um Mar de Poesia e Paz
liga-se aos mares do mundo,
os pensares que refaz
unem “Poetas del Mundo”

6- Um Mar de Poesia e Paz
no Rio Grande do Norte
une os povos e desfaz
todo o mal que leva à morte.

7- Um Mar de Poesia e Paz
em Natal ganha a alegria!
Reclamar já não compraz:
-Expulse a dor e sorria!

8- Um Mar de Poesia e Paz
Árias Manzo bendiz,
preparado há um tempo atrás,
em Natal cumpre o que diz!

9- Um Mar de Poesia e Paz,
do Brasil, a EMBAIXADORA
Delasnieve Daspet faz
a Nação realizadora!

10- Um Mar de Poesia e Paz
Deth Haak em Coordenação
diz:-Natal é longe, mas
perto do seu coração.

Despedida:

11-Companheiros Trovadores
vamos brindar em NATAL...
Na inspiração de mil cores
tornar o sonho real.

12-Sou a Sílvia Professora
bem feliz aposentada,
escritora e Trovadora
pela VIDA apaixonada.

13-Vamos fazer muita TROVA
no Mar de Paz e Poesia
porque em Natal já comprova
ter sementes de alegria.
-
Belo Horizonte, 15 de novembro de 2007.
Publicação:
http://www.clevanepessoa.net/blog.php
Leia:
www.recantodasletras.com.br/autores/silviaraujomotta

---***---
1632 -Poetas del Mundo- UM MAR DE POESIA E PAZ -Poema en Español-Série:  MOVIMIENTO MUNDIAL del Siglo XXI-Acróstico (2)

Acróstico Nº 1632
Por Sílvia Araújo Motta

P-Poetas del Mundo y de la Luz es un
O-Oficial Movimiento Mundial noble
E-En defensa de la vida llena del amor,
T-Trabajo para la Justicia, Igualdad, fraternidad
A-Auténtica, verdadera Libertad!
S-Somos especialistas Guerreros de la Paz del mundo.
 -
D-De una nueva etapa en la Humanidad,
E-Expresivo Poeta del Siglo XXI abre el camino
L-Luminoso siempre en cualquier diversidad.
 -
M-Manifestación colectiva mundial del la Poesía
U-Universal, no significa solamente escribir

U-Universal solamente escrito no es significación
N-Necesaria, ahora, es la práctica todos los dias
D-Dedicación en la VIDA y pensar para corazón sentir,
O-Operar sino, miente y cuerpo para vivir en paz.
-
Belo Horizonte,Minas Gerais, Brasil, 17  novembro de 2007.
Leia:www.recantodasletras.com.br/autores/silviaraujomotta
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/755883
---***--

1633 -Poetas del Mundo-Español-Série:MOVILIZACIÓN  EN  NATAL/2008-Acróstico  (3)

Poema en Español-Nº 1633

M-Movimiento Poetas del Mundo / Natal/2008:
O-Obertura oficial habrá con himno del Chile...
V-Valioso Primero Congreso Mundial en Brazil.
I-Iniciativa de la Embajadora Delasnieve Daspet,
L-Luis Árias Manzo, Deth Haak y muchos otros.
I-Integración del poder publico, académico y civil.
Z-Zabullida en mar da inspiración nosotros...
A-Arte representa el fuerte  grito universal del pueblo
C-Cantar la Paz con la esperanza de un nuevo amanecer:
I-Igualdad, Justicia, Unión, Libertad de acción.
Ó-Ojos abiertos para la vida feliz del hombres.
N-NATAL! Tierra del Río Grande del Norte. Iviva!
-
E-El tiempo contará la grandiosa recompensa:
N-Navegantes 3000 POETAS de los 130 Países...
-
N-Nuestra cultura de paz debemos multiplicar.
A-Apoyo institucional hemos de observar...
T-Todos de corazones, manos y brazos abiertos
A-Alcanzaron los rincones del Planeta Tierra
L-Lanzando en la vida unión, arte y poesía.
-
Belo Horizonte, 17 de  novembro de 2007.
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/755884
-//-

1634 -Poetas del Mundo- UM MAR DE POESIA E PAZ -Série: Poesia em Língua Portuguesa (4)

Acróstico Nº 1634
Por Sílvia Araújo Motta

P-Poetas del Mundo e da Luz é um
O-Oficial Movimento Mundial nobre
E-Em defesa da vida plena de amor,
T-Trabalha para a Justiça,Igualdade,Fraternidade
A-Autêntica, verdadeira Liberdade...
S-Somos especialistas Guerreiros da Paz no Mundo.
 -
D-Definitição de uma nova Etapa na Humanidade
E-Expressivo Poeta do Século XXI abre o caminho
L-Luminoso, sempre, em qualquer diversidade.
 -
M-Manifestação coletiva mundial da Poesia
U-Universal somente escrita, não tem significação
N-Necessária, agora, é a prática todos os dias
D-Dedicação na Vida e pensar para o coração sentir,
O-Operar o destino, mente e corpo para vivê-la.
-
Belo Horizonte, 18 de  novembro de 2007.
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/755885
---***--
1635 -Poetas del Mundo-Língua  Portuguesa.Série: MOBILIZAÇÃO EM NATAL /2008. (5)

Acróstico Nº 1635
Por Sílvia Araújo Motta

M-Movimento “Poetas del Mundo” NATAL/2008
O-Onde haverá abertura com o Hino do Chile...
B-Bem valioso, o Primeiro Congresso Mundial:
I-Iniciativa da Embaixadora Delasnieve Daspet,
L-Luis Árias Manzo, Deth Haak e muitos outros...
I-Integração do Poder Público, Acadêmico e Civil
Z-Zeloso mergulho em nosso mar de inspiração!
A-Arte representa o forte grito universal do povo,
Ç-Cantar a Paz com Esperança de um novo amanhecer:
Ã-A Igualdade, a Justiça, União, Liberdade de Ação.
O-Olhos abertos para a Vida feliz dos Homens.
 - Natal/RN, VIVA!
E-Em tempo, chegará a grandiosa recompensa,
M-Mais de 3000 Poetas navegantes de 130 Países!
 -
N-Nossa Cultura de Paz devemos multiplicar!
A-Apoio Institucional haveremos de observar!
T-Todos, de coração, mãos e braços abertos,
A-Alcançarão os rincões do Planeta Terra,
L-Lançando na VIDA: união, arte e poesia.
-
Belo Horizonte,  18 de  novembro de 2007.
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/757165
---***--
1636 -Poetas del Mundo-Série: SEMENTES DE AMOR (6)

Acróstico Nº 1636
Por Sílvia Araújo Motta

P-Poetas del Mundo são sementes,
O-Olhos abertos para sedentos segundos,
E-Estrelas candentes, águas nascentes,
T-Terra que encerra a busca do amor.
A-Almas que esperam os novos mundos
S-São mistérios de lumes transcendentes.
 -
D-Digna lua cheia que posa nua à fotografia
E-Esperando sua reprodução inteira no
L-Lago, porque alta vive de beleza e poesia.
 -
M-Música afinada das eternas sinfonias,
U-Um cometa que passa em vários países,
N-No espaço que tem as mãos solidárias,
D-Domínio virtual e real da fala onde um ai
O-O sono desperta com ajudas extraordinárias.
-
Belo Horizonte, 24 de novembro de 2007.

http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/757167
---***---

1637 -Poetas del Mundo-UM MAR DE POESIA E PAZ- Poèma en Língua Italiana (7)

Acróstico Nº 1637
Por Sílvia Araújo Motta

P-“Poetas del Mundo” e de la Luce è uno
O-Oficiale Movimento Móndiale Nobile
E-En difesa de la vita piena d´amore.
T-Tutto fa per la giustizia,egualità, fraternità
A-Autentica verità e libertà di pensamento,
S-Siamo specialisti “Guerrieri de la Pace del mondo.”
 -
D-Definizione di una nueva tappa de l´umanità
E-Espressivo Poeta del Secolo XXI apre il cammino
L-Luminoso sempre en la qualche diversità!
-
M-Manifestazione collettiva móndiali de la Poesia
U-Universale solamente scritto no ho significacione:
N-Necessaria, ora, è la pratica tutti i gioni
D-Dedicazione en la vita e pensare  per il cuore sentire
O-Operare il destino, mente e corpo per viver en pace.
-
Belo Horizonte, 27 de novembro de 2007.

http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/757171
---***--

1638 -Poetas del Mundo-Série: UM MAR DE POESIA E PAZ- Acrósticos para NATAL/RIO GRANDE DO NORTE (8)

Acrósticos Nº 1638
Por Sílvia Araújo Motta

N-NATAL é rica cidade,
A-Agradável de ser vista
T-Tem cores da mocidade
A-A riqueza progressista,
L-Lindas flores de saudade.
-
N-NATAL, no Encontro pacífico
A-Aplaudimos teu sucesso
T-Tens um saldo magnífico:
A-Alegria, amor, progresso,
L-Liberdade e ideal poético.
-
N-No presente vê e projeta
A-Amor, produtividade...
T-Tem o progresso por meta,
A-Agora planta, em verdade,
L-Luz, educação e pão.
-
N-No cenário da Poesia
A-A Paz ao mundo renova!
T-Terra que irradia alegria!
A-Amor publica e comprova
L-Livro de grande valia.
-
N-Neste mar em comunhão
A-A crença tua, não importa,
T-Tens do universo a oração
A-Abres, do coração, a porta,
L-Libertas paz e união.
--
N-No sonho maior alcanças
A-Abraços e a paz floresces!
T-Tua luz traz esperanças...
A-A voz da guerra emudeces!
L-Louva ao Senhor e hoje cantas!
-
N-NATAL, terra que retrata,
A-A fibra da tua gente
T-Tem luares cor de prata!
A-Adornas sonhos, mereces
L-Louvores, eternamente.
-
Belo Horizonte, 30  novembro de 2007.
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/758729

---***--

1639 -Poetas del Mundo-Série:
Poem in English UM MAR DE POESIA E PAZ -(9)
Poem (Acróstico) Nº 1639
By Sílvia Araújo Motta

P-“Poetas del Mundo” and light is an
O-Official and noble Movement of the World,
E-Effectual defense of the life´s love,
T-Truth, Justice, Equality, Fraternity,
A-Authentic Work to the real liberty
S-Specialists are Warriors´s Peace in the world.
 -
D-Definition of new stage´s humanity,
E-Expressive Poeta of Century XXI open the way
L-Luminous in whover diversity.
 -
M-Manifestation collective Wordy of the Poetry
U-Universal only writing hasn´t signification,
N-Necessary now is the pratice whole day
D-Dedication in life and to think, to the heart, to feel to
O-Operate the destiny, mind and body to the live in PEACE.
-
Belo Horizonte, 30 de novembro de 2007.
http://www.recantodasletras.com.br/oracoes/758884

---***--


VER  PALESTRANTE SILVIA ARAÚJO MOTTA-POETA DEL MUNDO
DE BELO HORIZONTE-MINAS GERAIS EM BLUMENAU-SANTA CATARINA

-

CONVITE:[MG-ConsulesPoetasdelMundo] Programação em Blumenau: Santa Catarina-3º Encontro de Poetas del Mundo‏

3º Encontro de Poetas Del Mundo

De 31/07 a 02 /08/09
Sexta-feira – 31 de Julho de 2009

20:00h : Jantar dos Poetas Del Mundo
Local: Viena Park Hotel
Rua Hermann Huscher, 670
(47) 3334-8888
Contato: manczak@terra.com.br
47 84024233
Blumenau - SC

Programa:
· Mensagem de Delasnieve Miranda Daspet de Souza
Embaixadora Universal da Paz - Genebra - Suiça - Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix
Embaixadora para o Brasil de Poetas del Mundo;

· Marisa Cajado (Cônsul de Poetas del Mundo - SP) canta o Hino dos Poetas Del Mundo;

· Nivaldo Costa interpreta Fernando Pessoa;

· Sílvia Araújo Motta, Cônsul Z-NO POETA DEL MUNDO-BH/MG/BRASIL

Apresenta Félix Alexis Arvers – autor francês homenageado
(L´homme du sonnet " ) Distribuição do soneto impresso para 60 pessoas;

· Isnelda Weise ( Cônsul Cidade de Blumenau) recita AguAlento.

· Terezinha Manczak ( Cônsul de Poetas Del Mundo - SC) recita “de humanos e deuses”;

· Após o jantar- Sarau Livre
----------------------------------------------------------------------


Sábado – 1º de Agosto
Das 08:30h às 13:30 - Reunião preparatória para o Congresso de 2010

Local: SESC – Rua Amadeu da Luz, 181
-------------------------------------------------------------
Sábado: 14:00h

01 de agosto de 2009
Local: Cervejaria Expresso – Blumenau
Rua 15 de Novembro, 160
------------------------------------------------------------

Sobre o evento:
Feijoada Francesa comemorando o Ano da França no Brasil e os 10 anos de É! Gustavo Siqueira na TV

Entrega do Troféu Edith Piaf para personalidades destaques na cultura brasileira

Sessão de Autógrafos de Diva Pavesi – Jornalista da Caras em Paris e Delegada da Academia Francesa de Letras e Artes da França

Sessão de Autógrafos das obras dos Embaixadores Universais da Paz – Delasnieve Daspet e Celito Medeiros

Confraternização do Encontro do Poetas Del Mundo

Cantores franceses, escola de samba, bandas e DJs convidados
-----------------------------------------------------------------------------------------

Entrada franca: Evento aberto à comunidade

Sábado – 16:30 – Abertura do Festival “ Nosso Inverno”.

Local : Teatro Carlos Gomes

Rua 15 de Novembro, 1181
---------------------------------------------------
Domingo – 2 de Agosto
09:30h - Visita aos pés de IPÊ, Brasil, SC e Blumenau (plantados em 2008)
Colocação de placas de identificação.
Local: Mausoléu Dr. Blumenau, FCB – Rua 15 de Novembro, 161
-------------------------------------------------------------------------------------------
10:00h - Encerramento
Caminhada dos Poetas Del Mundo até o Teatro Carlos Gomes.
----------------------------------------------------------------------------------
Atenção: O trânsito não será fechado, será apenas um passeio pela Rua 15 de Novembro até o Teatro Carlos Gomes.
-------------
Tarde:
Festival “ Nosso Inverno”.
Local : Teatro Carlos Gomes
Rua 15 de Novembro, 1181
Almoço livre: Sugestão Shopping Neumarkt

Local: Rua 7 de Setembro, 1213 ( do outro lado da rua, cruzando o túnel)

A sua presença é fundamental!
Um abraço,
Terezinha Manczak
manczak@terra.com.br
---------------------------------------------------------------
[MG-ConsulesPoetasdelMundo] Programação  Blumenau:SC- 3º Encontro de Poetas del Mundo‏

http://www.recantodasletras.com.br/mensagens/1725484
-//-

SILVIA ARAÚJO MOTTA-POETA DEL MUNDO EM BÚZIOS-RIO DE JANEIRO


2500-POETAS DEL MUNDO VENHAM FAÇAMOS UM MUNDO MARAVILHOSO

Acróstico-convite -Nº 2500
Por Sílvia Araújo Motta

V-Venham Poetas del Mundo
E-Em busca da Paz, plantar
N-Nos corações, amor profundo;
H-Humanidade precisa levar
A-A todos os países a ação
M-Maior, em busca de solução.
 -
F-Fazer da alegria e liberdade,
A-A união sem fronteiras,
Ç-Clamar pela solidariedade;
A-Ainda é possível acreditar!
M-Mãos à obra! Vamos colocar.
O-Os nossso planos em versos
S-Semeá-los nas Nações inteiras.
 -
U-Um passo é importante!
M-Mantenha o rumo norte.
 -
M-Momentos decisivos exigem
U-Uma opção para continuação,
N-Na defesa, a favor da vida,
D-Dom universal de libertação,
O-O direito à Vida é de todos!
 -
M-Marchemos a Serviço da Paz!
A-Arte da Poesia produz ação,
R-Reconhece que a justiça traz
A-A igualdade entre os povos.
V-Verdadeira Paz entre as Nações
I-Indica o fruto de reconciliação,
L-Luta permanente para alcançar,
H-Hoje, aqui, agora, na corrente
O-O fruto doce da paz e amor,
S-Sinal profundo da aliança faz
O-O milagre que vem na esperança.
-
Búzios,RJ, 22 de agosto de 2009.
-
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/1775094