sexta-feira, 21 de março de 2014

ALB-PRINCÍPIOS, FINALIDADES E OBJETIVOS DA ACADEMIA DE LETRAS DO BRASIL



SÍNTESE DOS PRINCÍPIOS, FINALIDADES E OBJETIVOS 

DA ACADEMIA DE LETRAS DO BRASIL

Saiba mais em Estatuto Regimentar da ALB
SNP - Setor de Normas e Procedimentos/ALB

Através da escrita, palestras e conferências dos escritores Membros da Academia de Letras do Brasil, disponibilizamos à população brasileira e Mundial, as bases educacionais, culturais e científicas de evolução média humana, social, política, técnica e profissional - em harmonia com a Natureza e as outras espécies animais que dividem com o homem o Planeta.

Objetivamos interpretar e redimensionar paradigmaximizativamente, em assertivas, as distorções conceituais inconscientemente difundidas, assimiladas e incorporadas à práxis humana, social e institucional. Propondo-nos auxiliar ao redirecionamento do axiológico improfícuo e contra-educacional às classes analíticas, esclarecidas e formadoras dos seres individuais e da opinião pública. Áptas à reversão das inferências involutivas.

Entre outras metas da ALB, definimos a formação de elos concretos entre a produção mental, decodificada literariamente, criativa ou observável, com os meios e recursos de possibilidades à reversibilidade dos males que afligem a Humanidade.

Por fim, vibramos em participar ativamente da história de nossa contemporaneidade, invocando para o futuro da Humanidade, sonhos, ideais e realidades de prosperidade duradoura, sob bases sólidas e materializadoras, só conquistadas se alicerçadas nos princípios da verdade e determinação da vontade.

As seccionais internacionais, estaduais e municipais devem observar para que seus Estatutos não firam ou confrontem-se com as máxima, ideais e diretrizes do paradigma estatutário, regimentar e normas de orientações do Setor de Normas e Procedimentos da ALB.


CAPTAÇÃO DE RECURSOS. 

As Seccionais Internacionais, Estaduais, Regionais e Municipais, através de seus dirigentes, devem, após registrada a Seccional, junto ao Ministério da Fazenda ou respectivos órgãos de outros países, habilitarem-se através de projetos em incentivos públicos 'Ministério da Cultura, Petrobras... e privados 'Lei de Incentivo à Cultura'. Ainda, com marketing publicitário, organizar palestras 'com cobrança de ingressos' - onde, os Membros das respectivas Seccionais, segundo suas especialidades e linha de escrita, fazem-se palestrantes, reunindo fundos para a Seccional. Não obstante, estudos de viabilização econômica das Seccionais podem também se fazer em projetos de metas de vendas de livros dos Membros, seja em mini-feiras públicas em pontos centrais ou bairro-a-bairro, como na distribuição e campanhas publicitárias sobre as obras, acordando com os autores/Membros, percentuais pelos serviços da Seccional. Não obstante, em reunião conjunta com os Membros, colocarem em pauta 'Meios Institucionais Conjuntos de Arrecadação Econômica, como também, a promoção de estudos objetivos a Pesquisa, Escrita e Publicação Conjunta de livros que, sabidamente, sejam de interesse público.
Entre 4, 7, 12, 30, ou mais pessoas, é muito facilitando a Pesquisa e Escrita de um dado Livro com foco em um ponto específico de interesse social, seja biografia, fato Histórico, fato Científico... Isto, a partir da divisão cronológica ou delimitação das partes constitutivas do objeto em estudo. Possibilidades outras de arrecadação de recursos podem ser criadas através de reunião com pauta específica de estudos de viabilização de roteiros 'adaptação para o cinema' de livros dos Membros, direcionando esforços conjuntos, com divisão de responsabilidades e canalização dos recursos necessários. Não obstante, reunião conjunta com pauta sobre a viabilização de adaptação para o teatro de obras dos Membros, seguido de estudos de formação de grupos teatrais, com a nomeação de um 'diretor e coreógrafo', ocupando os espaços públicos de teatro, difundindo as obras dos Membros, com retornos percentuais financeiros à Seccional, somam às possibilidades de viabilização da Seccional, de forma 'Ativa e Operante'. Os escritores Membros 'Músicos' podem, a partir de programações conjuntas, organizadas por sua Seccional, participarem de Shows, com destino de percentuais à viabilização econômica da Organização. Cursos segmentares à população e empresas, dentro das áreas de domínio e interesses dos Membros, podem somar às ações de captação econômica. Antologias, sob diversas frentes, podem ser abertas à participação de poetas, cronistas, como também, às múltiplas áreas do conhecimento, reunindo professores e pesquisadores como, por exemplo, a Seccional abrir inscrições para Antologia de História do Município 'A', participando da mesma, professores e pesquisadores da área. Assim, uma antologia para cada segmento. Sob o título 'Poesias da Gaveta' a população pode ser conclamada a participar também de Antologia Organizada pela Seccional, coordenadas por escritor Membro, designado, a partir de seu interesse, para este fim. As páginas da Antologia serão pagas pelos coautores, destinando-se 5 exemplares para cada participante, vendendo-se os exemplares restantes a arrecadação de fundos à Seccional, além de um percentual previsto sobre organização e mediação com as editoras e ou 'gráficas'. Os Sites, Jornais e Livros Conjuntos, organizados e administrados pelas Seccionais 'com CNPJ' próprio, podem contar com a inserção de propagandas pagas, advindas do comércio, governos e profissionais liberais da localidade, como, por se tratar de material de grande abrangência, também com investidores de outras regiões e mesmo outros países. Mister a ALB ser vista, além de uma Organização de Cultura, como uma empresa à serviço de seus Membros e Sociedade. Para tanto, é necessário que as presidências locais conheçam, com profundidade, os potenciais de seus Membros, seja para área publicitária, marketing, vendas, cursos, webdesigner, música, teatro, cinema. Isto, entre tantas outras formas de trabalhar os potenciais reunidos, através dos escritores Membros, em cada Seccional. Um grupo de estudos, segundo suas especializações, convidados pelas presidências das Seccionais, devem pesquisar profundamente as possibilidades de utilização como também os benefícios da Lei Rouanet, repassando os resultados das pesquisas, em sessão específica, aos demais Membros. Em 2010, por exemplo, de aproximados 1 bilhão aprovados pelo Ministério da Cultura, de incentivo à cultura através da Lei Rouanet, somente 500 milhões foram captados pelos gestores de cultura no Brasil. Estude-se a Lei Rouanet, designe-se Membros dinâmicos e atuantes à captação de recursos. Simplificadamente, os recursos destinados à cultura, até 3% do valor à pagar ao Imposto de Renda, pelas empresas, indústrias e comércio, podem ser deduzidos, havendo real interesse de investimentos.Indispensável, no contexto de movimentos financeiros, uma Secretaria Institucional de Finanças da Seccional 'competente', garantindo a liquidês e manutenção da legalidade pública da organização, com apresentações anuais da devida Declaração de Imposto de Renda. Saiba tudo sobre a Lei Rouanet (Mário Carabajal).

______________________________
* Mário Carabajal. Presidente Fundador do Conalb - Conselho Superior das Academias de Letras do Brasil e ALB - Palestrante. Escritor, 23 livros publicados e trinta em fase de revisão. Três cursos médios (Magistério, Contabilidade e Transações Imobiliárias), Superiores: Jornalista, Educador Físico e Psicanalista. Especialista em Pesquisa Científica 'UFRR'. Estudos de Especialização em Tecnologia Educacional 'UnB' e Gestão Pública/UFSC). Mestre em Psicanálise Clínica e Doutor em Psiconeurofisiologia.. Mestre em Relações Internacionais e, Doutor em Ciências Educacionais/UAA. Professor de Ensino Técnico e Tecnológico. Bacharelado, Especialização, Mestrado e Doutorado em Ciências da Religião. Pós-Doutor em Filosofia da Religião. Ex-Professor de Pós-Graduação da Universidade Gama Filho: cursos Psicopedagogia', 'Psicomotricidade'. Ex-Consultor do Ministério da Educação 'Departamento de Tecnologia Educacional'. Ex-Consultor do Ministério da Saúde 'Departamento de Doenças Crônico-degenerativas; Ex-Consultor do Ministério Extraordinário dos Esportes 'Departamento de Educação Física e Saúde'; Ex-Consultor da UNICAMP 'Departamento de Motricidade Humana. Atua como Professor de Graduação 'Pedagogia' e Pós-Graduação 'Psicopedagogia' em diversas Universidades Particulares do Brasil. Disciplinas: Metodologia Científica; Neurocognição; Bases Neurocientíficas do Comportamento Humano e da Aprendizagem; Clínica I; Clínica II; Psicomotricidade Funcional e Relacional; entre outras.