sexta-feira, 14 de março de 2014

CONINTER -[CONSELHO INTERNACIONAL DOS ACADÊMICOS DE CIÊNCIAS LETRAS E ARTES ] SENADO ACADÊMICO CONVIDA PARA REUNIÃO DIA 14/03/2014 RIO DE JANEIRO



RIO DE JANEIRO-18H30MIN






357-CASTRO ALVES (Antonio Frederico de)

Acróstico-biográfico-dedicatório
Por Sílvia Araújo Motta

*1847 +1871

C-Cadeira-sete-ABL, Patrono,
A-Alta inspiração, poeta social.
S-Seu berço, no Muritiba baiano.
T-Tornou-se do Escravo, defensor especial,
R-Revolucionário, viveu vinte e quatro anos.
O-O verso é de guerra, de luta liberal.

A-Antônio Frederico de Castro Alves
L-Liberdade cantou, à nacionalidade.
V-Viu o pé amputado, morreu tuberculoso.
E-Eugênia Câmara-atriz, musa da realidade.
S-Seu poema é imortal, lírico-amoroso.

Belo Horizonte, 14 de março de 1995.
Dia Nacional da Poesia.

Belo Horizonte, 15 de março de 2006.


http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/123432


CASTRO ALVES APAIXONADO PELA ATRIZ
-
Acróstico-histórico nº 3140
By Sílvia Araújo Motta
-
C-Castro Alves também sofreu
A-A dor de perder  um Amor
S-Só seu...da atriz Dama Negra:
T-Tinha a “beleza da Vênus negra...”
R-Recebeu outros elogios do autor:
O-“O gênio de Safo, ardente, mística.”
 -
A-Ao ser contratada pelo Teatro,
L-Logo chegou ao Rio de Janeiro;
V-Veio dia 18 de outubro de 1859:
E-Eugênia Infante da Câmara,
S-Sinalizou paixões o tempo inteiro...
 -
A-Apesar de comprometida com
P-Parceiro, deixou o amante...
A-Acompanhada da sua filha
I-Iniciou vida unida ao Poeta...
X-X de uma paixão com “Cecéu”
O-O ator escreveu-lhe os textos...
N-No Teatro São João, na Bahia,
A-Alcançaram a ovação esperada:
D-Drama “Revolução de Minas”
O-Ou “Gonzaga”...Foram à glória.
 -
P-Porém, a tuberculosa lhe avançava...
E-E os ciúmes também, as más línguas,
L-Logo lhe provocaram a separação...
A-Afastou-se do Curso de Direito...
 -
A-Aos 24 anos, sua decepção e tristeza
T-Tiveram o fim: 6 de julho de 1871...
R-Revelou a despedida, com certeza!
I-Impossível...esquecê-la não pode!(ô)
Z-Zelou pelo amor, odiar não soube!
-
Belo Horizonte, 22 de agosto de 2010.


http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/2453445
-
[...]
Obrigado! Mas na terra
Tudo entre nós se acabou!
Adeus! ... É o adeus extremo...
A hora extrema soou.

Quis te odiar, não pude. – Quis na terra
Encontrar outro amor. – Foi-me impossível.
Então bendisse a Deus que no meu peito
Pôs o germe cruel de um mal terrível.

Sinto que vou morrer! Posso, portanto,
A verdade dizer-te santa e nua,
Não quero mais teu amor! Porém minh'alma
Aqui, além, mais longe, é sempre tua.
-
(In: Castro Alves-“Adeus”)
-
OBRAS DE CASTRO ALVES:
POESIA:
Espumas Flutuantes, 1870
A Cachoeira de Paulo Afonso, 1876
Os Escravos, 1883
Hinos do Equador, em edição de suas Obras Completas (1921)
Tragédia no Mar, que mais tarde, ganharia o nome de:
O Navio Negreiro

TEATRO:
Gonzaga ou a Revolução de Minas, 1875
---***---



-