sexta-feira, 21 de novembro de 2014

CABEÇAS DE PAPELÃO NA SOCIEDADE.-Emile Durkeim-Reflexões na Aula de Sociologia-Mestre Lúcio Alves de Barros-Aluna Silvia Araújo Motta-Curso de Direito-FAMIG-2008

CABEÇAS DE PAPELÃO 
NA SOCIEDADE.

Acróstico sociológico Nº 1798
Por Sílvia Araújo Motta

C-Considerações de Emile Durkheim trazem reflexões:
A-Apresentamos duas CONSCIÊNCIAS em sociedade...
B-Bem caracterizada é a consciência COLETIVA:
E-Crenças e sentimentos comuns na organização social;
Ç-Consciência INDIVIDUAL é perceptível em nossa personalidade:
A-A que diz respeito ao que somos, sentimos e percebemos;
S-São citadas na sua obra:"Da Divisão do Trabalho Social"(1893.)
-
D-Destaca a dependência na coercitividade do corpo social,
E-Em que a sociedade existe como força moral.
-
P-Para Durkheim há dois conceitos de solidariedade:
A-A MECÂNICA, oriunda da semelhança entre os indivíduos,
P-Porque é o grupo, notadamente na religião, que liga o indivíduo à sociedade
E-E a ORGÂNICA, produzida pela Divisão do Trabalho humanos:
L-Leva os membros da sociedade à especialização,
Ã-À fonte principal da solidariedade nas relações sociais.
O-O autor identifica a mudança social entendendo a solidariedade.
-
N-No texto "O Homem de Cabeça de Papelão", o autor João do Rio
A-Apresenta o "Antenor", ser de razão, de verdade, de reciprocidade;
-
S-Sua "consciência individual era repleta de bondade e honestidade"
O-Ou melhor, contrária à consciência coletiva do "País do Sol"...
C-Com tantos fatos sociais, na solidariedade organizacional,
I-Influenciado pela coercitividade da vida em sociedade
E-Ele
 preferiu usar a "Cabeça de Papelão" daquela realidade:
D-Desprezou a sua verdade, adulou, falsificou e na verdade,
A-Aceitou a verdade "dos outros" e a moral do "senso comum."
D-Definiu cabeças e relógios conforme o clima e a moral conveniente a ele...
E-E o indivíduo gostou e ainda gosta da convivência em sociedade.
-
Belo Horizonte
, 23 de abril de 2008.
(*)Tema da Aula Magna ministrada por Doutor Lúcio Alves Barros/Professor/Sociólogo/Curso de Direito/FAMIG.
______________________________________
EMILE DURKHEIM (Épinal, 15 de abril de 1858- Paris, 15 de novembro de 1917) é CONSIDERADO UM DOS PAIS DA SOCIOLOGIA MODERNA. Durkheim foi o fundador da escola francesa de sociologia, posterior a Mafuso, que combinava a pesquisa empírica com a teoria sociológica. É reconhecido amplamente como um dos melhores teóricos do conceito da COESÃO SOCIAL.
Partindo da afirmação de que "os fatos sociais devem ser tratados como coisas"(...) em que o normal seria aquilo que é ao mesmo tempo obrigatório para o indivíduo e superior a ele, o que significa que a sociedade e a consciência coletiva são entidades morais, antes mesmo de terem uma existência tangível. Para que reine certo consenso nessa sociedade, deve-se favorecer o aparecimento de uma solidariedade entre seus membros. Uma vez que a solidariedade varia segundo o grau de modernidade da sociedade, a norma moral tende a tornar-se norma jurídica, pois é preciso definir, numa sociedade moderna, regras de cooperação e troca de serviços entre os que participam do trabalho coletivo (preponderância progressiva da solidariedade orgânica).
Obras:Da divisão social do trabalho (1893); Regras do método sociológico (1895); O suicídio (1897); As formas elementares de vida religiosa (1912). Fundou também a revista L'Année Sociologique, que afirmou a preeminência durkheimiana no mundo inteiro.
-