segunda-feira, 9 de março de 2015

MODA DA PINGA ( MARVADA PINGA ) - INEZITA BARROSO falece aos 90 anos, dia 8 de março de 2015



https://www.youtube.com/watch?v=x0aevIBTMi8
-
5805-INEZITA BARROSO FALECE AOS 90 ANOS EM SP
-
Acróstico in memoriam Nº 5804
Por Silvia Araujo Motta/BH/MG/Brasil
-
I-Inezita Barroso, pseudônimo de Artista...
N-Nasceu em São Paulo, 4 de março/1925
E-E faleceu aos 90, dia 8/março/2015/SP.
Z-Zelosa Cantora do Gênero Sertanejo,
I-Ignez Magdalena Aranha de Lima,
T-Teve o Prêmio da Universidade de Lisboa:
A-A honra de ser Doutora Honoris Causa,
 -
B-Belo Título em Folclore e Arte Musical;
A-Apresentadora de Rádio e TV no Brasil;
R-Renome aplaudido nacional e internacional;
R-Reconhecida Produtora de Espetáculos.
O-Onde cantava e tocava viola, violão.70 Discos!
S-Senhora Professora, casada aos 22 anos:
O-O esposo Adolfo C. Barroso, Advogado Cearense.
 -
F-Foi pianista, aluna do Conservatório de São Paulo.
A-Aluna da primeira Turma do Curso de Graduação
L-Ligado à Biblioteconomia da Universidade USP;
E-Esteve atuante em nove Filmes brasileiros;
C-Condecorada pelo Governador de São Paulo,
E-Em 1955, Melhor ATRIZ no filme:Mulher de Verdade.
U-Um Prêmio SACI!.Cidadã Bonifaciana.Troféu APCA:
(Associação Paulista dos Críticos de Arte/São Paulo)
-
Belo Horizonte, Minas Gerais, 8 de março de 2015.
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/5163416
-//-

http://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com.br/2015/03/moda-da-pinga-marvada-pinga-inezita.html
-//-






MARVADA PINGA
Compositor: Ochelsis Laureano e Raul Torres
Cantora: Inezita Barroso
-
Com a marvada da pinga é que me atrapaio                        
Eu entro na venda e já dou me taio
Pego no copo e dali num saio
Ali memo eu bebo, ali memo eu caio
Só pra carregá é que eu do trabaio, oi lai

Venho da cidade, já venho cantando
Trago um garrafão que venho chupando
Venho pros caminho, venho trupicando
Chifrando os barranco, venho cambeteando
E no lugá que eu caio, já fico roncando, oi lai

O marido me disse, ele me falô
Largue de bebê, peço por favô
Prosa de home, nunca dei valô
Bebo com sór quente pra esfriá o calô
E bebo de noite é pra fazê suador, oi lai

Cada vez que eu caio, caio deferente
Miaço pra traz e caio pra frente
Caio devagá, caio derrepente
Vô de corrupio, vô deretamente
Mas sendo de pinga, eu caio contente, oi lai

Pego o garrafão e já balanceio
Que é pra mór de vê se tá memo cheio
Não bebo de veiz porque acho feio
No primeiro górpe chego inté no meio
No segundo trago é que eu desvazeio, oi lai

Eu bebo da pinga porque gosto dela
Eu bebo da branca, bebo da amarela
Bebo nos copo, bebo na tigela
E bebo temperada com cravo e canela
Seja quaiquer tempo vai pingá na guela

Eu fui numa festa no rio tietê
Eu la fui chegando no amanhecê
Já me dero pinga pra mim bebê
Já me dero pinga pra mim bebê:
Tava sem fervê

Eu bebi demais e fiquei mamada
Eu cai no chão e fiquei deitada
Aí eu fui pra casa de braço dado
Ai de braço dado...é com dois sordado
(ai, muito obrigado).

Link: http://www.vagalume.com.br/inezita-barroso/a-moda-da-pinga.html#ixzz3Tsqk9imM


-