sábado, 25 de julho de 2015

Falácias da Vida Humana (II) - Entronizar o TER... Em detrimento do SER – Klinger Sobreira de Almeida- Noneto-Poético-Teatral Nº 17-Soneto nº 5970 //Por Silvia Araújo Motta

-
     Falácias da Vida Humana (II)
-    Entronizar o TER... Em detrimento do SER –

                                                                                                    Klinger Sobreira de Almeida*

Narra a lenda que Alexandre Magno, às vésperas da morte, convocou seus Generais e recomendou-lhes: - 1º) Meu corpo será conduzido pelos médicos mais eminentes do império; 2º) Minhas mãos, desnudas e vazias, colocadas fora do esquife; 3º) Toda riqueza que acumulei, jogada à beira do caminho. Os fiéis guerreiros, perplexos, exclamaram: - Mas, majestade! – E Alexandre explicou: - Isto é uma lição de vida. A morte é inexorável; chegada a hora, não há medicina que a evite; quando aqui aportei, vim de mãos limpas, e assim retorno à pátria espiritual; e, finalmente, as riquezas materiais, ilusórias, não têm serventia neste retorno.

TER – natureza quantitativa - é possuir bens, poder, honrarias...
SER – natureza qualitativa – significa elevação consciencial/moral, lei do amor.
“A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida...” –Art. 2º, CC. Do nascimento ao perecimento do corpo físico (morte), faz-se a travessia terrena num lapso de tempo fugaz diante da eternidade. O certo é que, entre o “nascer” e o “morrer”, cada um, no seu livre-arbítrio, guiar-se-á conforme sua consciência.

No início, o Ego humano – a face vivencial da personalidade – se depara com as duas vertentes: o TER e o SER. Qual a opção? Ambas! Aquele, compondo a tessitura da vida, é o instrumento necessário, mas acessório e perecível. Este, o fundamento, a essência que cristaliza e promove o avanço da Alma (a força motriz da Vida).

O TER, atrelando-se ao SER, segue-lhe os ditames morais/espirituais, e sublima-se nas quantidades que possui. Riqueza e Poder são direcionados à fraternidade, solidariedade e à promoção do bem-comum.
Acontece, no entanto, que a humanidade – privilegiada pela abundância da natureza – contém bolsões de imperfeição moral. A maioria, confrontada com as benesses ilusórias do TER, cai na armadilha. Deixa-se levar pelo Egoísmo (Ego inflado) e, ao invés de possuir, torna-se possuído. Quer poder e honrarias por uma questão de vaidade, ou para pisotear o próximo. Ambiciona acumular riquezas, mesmo que não lhe tenham destinação, pelo prazer egoísta de possuir. Nisto, isola-se do SER.

A atual situação da humanidade  é decorrência do baixo nível consciencial da maioria. De um lado, as chamadas elites econômicas e políticas a acumular, desvairadamente, poder, honrarias e riqueza, concentrando esta em especulações e estratégias fora da ética, quando não eivadas de corrupção. De outro lado, na esfera inferior, os despossuídos, excluídos da posse. Parte deles curte, no íntimo, inveja, raiva, revolta... Quando podem, vingam-se, extrapolam-se em gestos tresloucados de terrorismo, ou na rotineira delinquência.  Os primeiros – privilegiados em posses – morrendo, nada levam, exceto o egoísmo. Os segundos - camada de baixo - os sentimentos negativos que cultivaram. Ambos os segmentos, retornando à pátria espiritual, sustentam penosa carga que lhes dificultará a marcha cósmica. Perderam a oportunidade!

Entronizar o TER é uma falácia. Opção correta: entronizar o SER, atrelando-lhe o TER. Assim, a travessia humana constituirá uma ascensão moral/espiritual.

*O autor: Militar Ref./PMMG, membro da Academia de Letras JGR.


-



KLINGER SOBREIRA DE ALMEIDA,
Pesquisador-historiador
Escritor nascido em MINAS GERAIS.
-

Noneto-Poético-Teatral Nº 17-Soneto nº 5970 //
Clássico-sáfico, heroico; com sílabas fortes//
na 4ª, 6ª, 8ª; 10ª sílabas  Rimas: ABAB, ABAB,CDC, EDE;
Noneto com 9 solos: jogral-teatral-toante-cantante-poético.
(Noneto musical criado por Villa Lobos)
(Noneto poético adaptado por Silvia Araújo Motta)
Mensagem no 14º Verso( Último do segundo terceto).//
-
Homenagem - Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil//
-
A nau da vida aporta em mar fecundo,........[-Coro: RIMA ( A )]
onde as FALÁCIAS vão mostrar a rota ........{-Solo: 1-flute:}
com remos largos, podem ver o mundo......{-Solo: 2-oboé :}
no bem-estar, anseios de uma frota. .........{-Solo: 3-piano:}
-
As esperanças brotam lá do fundo,.............[-Coro:RIMA ( A )]
enquanto voa ao céu, feliz gaivota,............{-Solo: 4-saxophone:}
que só quer SER...atrela o bem profundo...{-Solo: 5-clarinet:}
ao TER que é neutro, tem prazer, anota. ....{-Solo: 6-harp:}
-
No mar dos anos, lemos garra...em história!..[-Coro: (RIMA ( B )]
Conhecer Klinger é encontrar saber: .............{-Solo: 7-bassoon:}
-Ler sua Obra faz reter memória! .................{-Solo: 8-xylophone:}
-
Na Travessia Humana dá lição .............................[-Coro:RIMA ( C )]
transcendental supera até o poder:......................{-Solo: 9-tambor:}
_Tem da ÁGUIA BRANCA a Paz, a Força e Ação...{-Coro:RIMA ( C )}
------------Parabéns, tens uma Peça Teatral!-------------

Belo Horizonte/MG/Brasil, terça-feira, 7 de julho de 2015.
-

SILÊNCIO NO SER APÓS O TER
-
Acróstico-reflexivo nº 6001
Por Silvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil
-
S-Silêncio! Que serenidade! A noite
I-Inesquecível de um SER namorante
L-Levou um prefixo que chegou ao sufixo
Ê-E satisfez a sede de ir fundo ao poço,
N-No reconhecimento da incompletude,
C-Com livre-arbítrio de quem diz:_Posso!
I-Ipsilone de exigências desnecessárias
O-Ou maturidade para tomar uma atitude.
 -
N-Na semeadura, o dono da terra pede
O-O cuidado  de quem capina sozinho...
 -
S-Sem medo do perigo, valeu o teste:
E-Enfrentamento da LEI da NATUREZA
R-Racional, com inteligência emocional.
 -
A-A troca desinteressada, sem querer
P-Pedir retorno ou mais nada é bem legal;
Ó-Ótimo gosto puro, de água cristalina,
S-Sobressai na sublimação anímica ideal;
 -
O-O tempo de espera trouxe apreensão!
 -
T-Tempo de prova,  uma decisão renova
E-E a profundeza da SAUDADE do SER
R-Reveste-se da NEUTRALIDADE do TER.
---[SAUDADE É SER, DEPOIS DE TER.]
-
Belo Horizonte, 25 de julho de 2015.
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/5322787