terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Avante Camaradas-Hino e Letra vale a pena conferir...


-
https://www.youtube.com/watch?v=vR1znmMunZQ
-

Enviado em 22 de jul de 2011
-

Canções militares - Avante Camaradas.
Brasil, DEUS acima de tudo.
-
Letra de Antonino do Espírito Santos
-
Avante camaradas,
Ao tremular do nosso pendão,
Vençamos as invernadas
Com fé suprema no coração
Avante, sem receio
Que em todos nós a Pátria confia,
Marcharemos com alegria, avante !
Marcharemos sem receio.

Aqui não há quem nos detenha
E nem quem turbe a nossa galhardia
Quem nobre missão desempenha
Temer não pode a tirania, a tirania
E nunca seremos vencidos
Por que marchamos sob a luz da crença !
Marchemos sempre convencidos
Não há denodo que nos vença !

Avante camaradas,...

Havemos sempre audazes,
Afrontar o perigo
E seremos perspicazes
Ante o mais férreo inimigo,
Por isso não tememos
Sempre fortes, sobranceiros,
E com bravura, sempre lutaremos !
Brasileiros nós somos
Nós somos brasileiros !

Hipp Hurra....
-
Curiosidade:
[...]
"Quanto à história do dobrado Avante, Camaradas, em resumo é o seguinte: 

Quando Luiz Carlos Prestes, nos idos dos anos de 1920, 
andava com sua Coluna pelo Nordeste Brasileiro, 
até se exilar na Bolívia, no interior da Bahia, 
na cidade de Angical, existia um maestro, 
Antonino do Espírito Santos, 
que era um entusiasta de Prestes e de suas ideias. 

Quando se espalhou a notícia que a Coluna iria passar por Angical, 
ele compôs o dobrado, Avante, Camaradas, 
e passou a treiná-lo com sua banda na pracinha do lugar, 
à espera dos revoltosos. 
Mas eles, da primeira vez, não chegaram. 

Passou-se mais um tempo, 
espalhou-se de novo as notícias de que 
iriam passar mesmo por Angical, 
e o maestro, novamente entusiasmado, 
continuou a treinar o dobrado, 
com o qual queria saudar Prestes e seus seguidores. 

Só que, por essas ironias do destino, 
quem acabou aparecendo foi o exército, 
que chegou primeiro. 

Prestes, ao ficar sabendo, deu longas voltas, 
e não aparecem em Angical.
Mas os soldados gostaram do dobrado do maestro Antonino e, 
quando foram embora, saíram cantando-o, e o incorporaram,  
dessa forma - e para sempre - entre um dos mais lindos 
e famosos dobrados do exército brasileiro."
-
Fonte de informações: Carlos Herculano.