quarta-feira, 20 de abril de 2016

SONETO À VERDADE [ XIII da Série] A PAZ COMEÇA EM MIM - Noneto-Poético-Teatral Nº 35-Soneto Nº 6.095 Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil (*) Comentando a Reflexão de Klinger Sobreira de Almeida -

-


SONETO À VERDADE [ XIII da Série] A PAZ COMEÇA EM MIM
-
Noneto-Poético-Teatral Nº 35-Soneto Nº 6.095
Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil (*)
Comentando a Reflexão de Klinger Sobreira de Almeida
-
O ser humano quer viver em Paz;
sem utopia quer somente o Bem;
em seu poder com livre-arbítrio faz
revolução interna e diz também:
-
[Paz é possível] bem vivida traz
evolução dos graus; transcende além...
Na Fé constata tudo que é capaz;
Felicidade, em pauta canta:_Amém!
-
Buscar paz gera o bem...vontade expressa,
sabedoria e graça infinda! Orai!
Vence quem crê; louvor porém, não cessa.
-
Sem egoísmo tem saber profundo:
_Amor na essência humana vem do Pai.
[ A PAZ começa em mim ] convence o mundo.
---

PAZ É AUSÊNCIA DO MAL EM MIM E NA HUMANIDADE!---
-
http://www.recantodasletras.com.br/sonetos/5545988
-
(*)Soneto-Clássico-sáfico- heroico; com sílabas fortes//
na 4ª, 6ª, 8ª; 10ª sílabas - Rimas: ABAB, ABAB,CDE, EDE;
Noneto com 9 solos: jogral-teatral-toante-cantante-poético:
CORO:Rimas: AACEE-somente uma voz com apenas 5 instrumentos musicais.
SOLOS: Rimas: BAB-BAB-DC-D-9 vozes acompanhadas por solos de instrumentos musicais.
(Noneto musical criado por Villa Lobos)
(Noneto poético recriado por Silvia Araújo Motta)
Mensagem conclusiva no 14º Verso( Último do segundo terceto).

--
 http://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com.br/2016/04/soneto-verdade-xiii-da-serie-paz-comeca.htm

----------------------------------------



Prezados,
Neste momento em que tantos (às vezes líderes que deveriam ter um pouco de responsabilidade ética!) propagam o confronto e semeiam ódio, cabe-nos espalhar a mensagem da Paz, único e indesviável caminho de ascensão da humanidade. Eis o tema XIII – A PAZ-Começa em Mim – da série “Rastreando a Verdade”.
Abraços
Klinger
-
Rastreando a Verdade (XIII)
A PAZ - Começa em Mim

“A paz do mundo começa em mim/Se eu tenho amor, com certeza sou feliz...” (Versos da canção Paz Pela Paz, de Nando Cordel)

UM PEDIDO DE PAZ – Estado de Minas, 1ª pág. 22Fev16 – “O abraço simbólico da Praça do Papa foi a forma de chamar a atenção para ações efetivas contra a violência...” Clamor em favor da Paz! Não só em BH, mas em todas as cidades, vilas e povoados. No mundo inteiro – contra atos terroristas, repúdio à guerra, condenação à delinquência... – ecoa a voz dos que podem falar; e, também, a súplica silenciosa dos humildes que exibem a pungente face, retratando o anseio de Paz.

Paz – fruto do Amor – é relacionamento construtivo, interação no bem, travessia terrena plena de harmonia entre pessoas, grupos e nações. Por que ela é tão fugidia? Por que prevalece a violência opressiva? Para responder, uma ligeira digressão.

Correntes espiritualistas, em especulações metafísicas, escalonam os mundos onde os Espíritos fazem moradas em busca do progresso intelectual e elevação moral. Assim, o planeta Terra seria um campo de “provas e expiações”. Aqui aportam Espíritos em diferentes graus evolutivos, alguns adiantados, outros, no limbo da imperfeição.

A progressão do Espírito – “Regresso à Casa do Pai” – se processa por dois vetores: (1) um de ordem intelectual→nível de conhecimento; (2) outro de ordem moral→nível consciencial. Reportando-se aos primórdios da civilização, constata-se que, no primeiro nível, a evolução foi fantástica, porém, no que tange ao consciencial, progresso pífio. Ainda reina a violência grupal e individual: guerras, genocídios, chacinas... Pretensos bons eliminando os pseudomaus; massacre do mais fraco; cultivo do ódio religioso, racial... Enfim, violência sem tréguas e sem limites.

Quem engendra e lucra com a violência, as guerras e os conflitos? Não é o povo! Não são os humildes cidadãos que laboram no cotidiano, buscando a sobrevivência! Estes – a massa populacional – ao contrário, sofrem os efeitos atrozes; perdem entes queridos, ou a própria vida; têm seus bens destruídos; veem evolar suas esperanças...

Os senhores da guerra e construtores da violência são aqueles que alçaram alto nível de conhecimento, todavia permaneceram rastejando moralmente: (a) os estadistas como os Césares, Gengis Khan, Átila, Hitler, Stalin, Bush e centenas de outros; (b) os delinquentes que comandam hordas internacionais de tráfico de tóxicos e armas; (c) os líderes ideológicos, religiosos e raciais que manipulam e fanatizam as massas; (d) os capitalistas, fabricantes e mercadores dos artefatos de destruição; (e) os que, no delírio do egoísmo, entendem que o crime, em qualquer de suas formas, compensa.

A Paz é possível? Sim. Não é utopia! Ela virá à medida que o povo – 7,2 bilhões – cultivando a lei regente do universo – o Amor – evoluir em nível consciencial, ou seja, alcançar um patamar espiritual que permita ao livre-arbítrio optar pela trilha do bem. A opção é individual: o desabrochar da luz interior. As mensagens exteriores (Khrisna, Buda, Cristo...) esclarecem e indicam a senda, mas não afastam o poder do livre-arbítrio.  Alcançado o estágio de elevação consciencial massificado, a partir do despertar interior de cada um, os manipuladores e os falsos líderes cairão.

O Ser Humano da Paz – em condições de propagá-la e elidir os chamamentos negativos – é aquele que, num esforço introspectivo, quase sempre prolongado, erradicou o egoísmo e todos os “diabinhos” que lhe constituíam trevas. Teve seu despertar interior, acendeu-se-lhe a luz – eclosão do Amor! – a Paz foi conquistada.

Destas breves reflexões, podemos inferir uma verdade cristalina e incontrastável: A Paz → Começa em Mim. Em Você. No Próximo. Em Todos... Rumo ao INFINITO.

Klinger Sobreira de Almeida – Mil. Ref/PMMG, membro efetivo ALJGR
-
http://www.recantodasletras.com.br/sonetos/5569842

-
 http://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com.br/2016/04/soneto-verdade-xiii-da-serie-paz-comeca.html
-