terça-feira, 14 de junho de 2016

SONETO À VERDADE- (XVII Da Série) EXEMPLO ARRASTA-Soneto nº 6.120-Noneto nº 41-Por Silvia Araújo Motta-Reflexão de Klinger Sobreira de Almeida

-



SONETO À VERDADE- (XVII Da Série)
EXEMPLO ARRASTA A MULTIDÃO
-
Noneto-Poético-Teatral Nº 41-Soneto-nº 6.120
Intervenção-interpretativa da Reflexão de
Klinger Sobreira de Almeida/ALJGR/PMMG.
Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil (*)
-
Palavra empolga, apenas mente pobre;
o bom exemplo muda tudo envolta;
força motriz da vida é o gesto nobre,
eleva o ser humano, sem revolta.
-
Na multidão, conduta não se encobre;
ação correta toda língua solta,
plasma o caráter, luz que o templo cobre,
conduz modelo, traz poder à volta.
-
Corta a desculpa ou termo, sem verdade,
no patamar, bom-tom traduz a imagem,
leva à ribalta, o brilho da saudade.
-
Exemplo é tudo; tem farol melhor!
Essência da alma, corpo dá mensagem...
_Exemplo: força arrasta ao Bem maior.
-
Belo Horizonte, junho de 2016.
http://www.recantodasletras.com.br/sonetos/5594239
-
(*)Soneto-Clássico-sáfico- heroico; com sílabas fortes//
na 4ª, 6ª, 8ª; 10ª sílabas - Rimas: ABAB, ABAB,CDC, EDE;
Noneto com 9 solos: jogral-teatral-toante-cantante-poético:
CORO:Rimas: AACEE-somente uma voz com apenas 5 instrumentos musicais.
SOLOS: Rimas: BAB-BAB-DC-D-9 vozes acompanhadas por solos de instrumentos musicais.
(Noneto musical criado por Villa Lobos)
(Noneto poético recriado por Silvia Araújo Motta)
Mensagem conclusiva no 14º Verso (Último do segundo terceto).

-
 


Rastreando a Verdade (XVII)
EXEMPLO - Força Que Arrasta
 “Não há modo de mandar, ou ensinar mais forte, e suave, do que o exemplo: persuade sem retórica, impele sem violência (...) todas as dúvidas desata, e corta caladamente todas as desculpas. Pelo contrário, fazer uma coisa, e mandar ou aconselhar outra, é querer endireitar a sombra da vara torcida.”- Manuel Bernardes
Em Mar58, aos 17, ingressei no DI/PMMG. Iniciava uma formação de quatro anos. Muitos manuais de aprendizagem. Um deles, Manual de Princípios de Chefia/EB. Dentre os princípios alinhavados, um destaque: DAR O EXEMPLO - “Instintivamente os homens tomam o Chefe como exemplo que tanto pode ser imitado como citado para justificar suas próprias falhas...” Em Out61, parti para a vida, e o roto manual, enriquecido, acompanhou-me. Pude, nos entreveros mais cruciais, provar e constatar a dimensão incomensurável do princípio que nos fora dado como estrela-guia. Repassei-o em dezenas de conversas e palestras à tropa. A Força do Exemplo arrastava os policiais ao cumprimento do dever.
Exemplo é um termo substantivo forte, vernáculo dinâmico: traduz condutas, comportamentos, atitudes que se erigem em modelos a serem seguidos, quando coerentes e alinhadas aos padrões éticos/morais de cidadania, justiça social, normas legais, probidade, convivência harmoniosa e pacífica, feitos construtivos... Todavia, quando desviadas ou desalinhadas dos padrões ético-morais, tornam-se modelos nocivos que devem ser evitados, ou, se aceitos, conduzem à seara do mal.
Normalmente, os exemplos mais significativos e impactantes – delineadores de modelos – que influenciam para o bem ou para o mal, advêm dos detentores de status – político, institucional, empresarial, classista, artístico, intelectual... – ou daqueles que ocupam posições de mando. Destes, qualquer que seja o patamar em que se colocam, flui liderança; postam-se em alturas de onde são olhados e acompanhados de forma minudente; seus atos são faróis que indicam o caminho, ajudam a plasmar o caráter. DAR O EXEMPLO – positivo, inatacável, luminoso... – deveria ser o princípio basilar do segmento de pessoas que alcançaram patamares superiores na sociedade, pois a massa – o povo – mira-se neles, imita-os, elege-os como modelo para o bem ou para o mal. Quantos se volveram ao crime porque viram o exemplo de corrupção medrar no seio das elites políticas e empresariais?! Quantos se enveredaram na senda do tóxico à esteira de artistas famosos?! Quantos adultos trilharam as ínvias veredas da desonestidade porque fixaram no subconsciente a conduta incorreta dos pais?!
As palavras podem até convencer, mas só o exemplo arrasta pessoas” – Abraham Lincoln. Simples e breve, mas substanciosa mensagem que é um chamamento: aos pais, que lançam as primeiras sementes do caráter infantil; aos professores, que dão luzes e modelam os caracteres; aos políticos, empresários, autoridades públicas e líderes de movimentos, que, do cume da brasilidade, representam a ordem social e a dinâmica produtiva; aos artistas, que se situam na ribalta...
EXEMPLO - Força Que Arrasta! Verdade cediça! Deve ser refletida e enunciada em alto e bom-tom. Deve tomar assento na mente de todos que querem viver um mundo de harmonia e paz.
Klinger Sobreira de Almeida – Cel. Ref. - membro efetivo ALJGR/PMMG
-
 

http://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com.br/2016/06/soneto-verdade-xvii-da-serie-exemplo.html