segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Eduardo Cunha-Cassado por 450 Parlamentares-10 Contra e 09 abstenções em 12-09-2016

-


Eduardo Cunha-12-09-2016
CUNHA negou que tenha Contas na Suíça. (Quarto Mandato eleitoral).
-
Votação Histórica para Cassação de Eduardo Cunha
336 dias de espera...
DIA D:
Julgado por seus colegas...
Estamos a alguns instantes para o resultado final
Rodrigo Maia não vota.
-
Quem assume a vaga de Eduardo Cunha?
Votos a favor da Cassação de Eduardo Cunha: 450
Votos abstenção:9
Votos contra:10
-Postura: FIRMEZA do OLHAR de Eduardo Cunha



-
20:30h-Aberta a Sessão
-
-
O cínico apelo de Eduardo Cunha
Deputado usa a cantilena antipetista para se defender, a mesma que, antes, permitiu-lhe operar livremente e remeter milhões para a Suíça
-
A votação da cassação do mandato de Eduardo Cunha encerra um ciclo político na Câmara dos Deputados. Não porque algo profundo tenha mudado com a saída dele da presidência da Casa — afinal, a composição do Congresso continua sendo a mesma e Rodrigo Maia, o novo presidente, era um dos principais colaboradores de Cunha —, mas porque simboliza o ocaso de uma figura que, depois de décadas nos bastidores do poder, foi alçado à categoria de figura pública e até de "herói nacional" pelos conspiradores que tomaram o poder no País e por alguns veículos de comunicação que os ajudaram nesse trabalho sujo.
Cunha saiu da toca onde sempre tinha estado escondido - primeiro como auxiliar de PC Farias e Collor, depois com serviços prestados a Garotinho - para se tornar articulador da "bancada evangélica", que nada tem a ver com os cristãos evangélicos de verdade, inteligentes e conscientes de que sua fé não deve intervir no direito alheio. Ergueu-se, ainda, como eminência parda do PMDB fluminense, chegando, no auge de sua visibilidade, a chefe do golpe de Estado que entregou a Michel Temer a presidência da República que jamais teria conquistado nas urnas.
O peemedebista saiu das sombras porque precisava cumprir tarefa para a qual não podia ser mais um operador anônimo. E também porque o ego o traiu, uma vez que, cansado de operar escondido, apaixonou-se pelos holofotes e a fama. E esse foi seu erro, em minha avaliação. Como disse Oscar Wilde sobre si mesmo (perdoe-me, caro Wilde, por usar sua frase em comparação com alguém tão indigno de sua grandeza literária): "a fama que tanto almejei foi aquela mesma que me destruiu".
Ser presidente da Câmara dos Deputados o colocou numa posição de poder cada vez maior, mas ao mesmo tempo desnudou seu modus operandi, seus malfeitos, seu cinismo, sua imoralidade.
Esse fim de ciclo também evidencia o cinismo da narrativa que foi vendida ao povo brasileiro através dos principais jornais e telejornais e da ação de grupelhos fascistas financiados por empresários e políticos, que os usaram para conquistar a adesão de muitos incautos nas redes sociais.
Essa narrativa apontava para o PT e os governos de Lula e Dilma como "os inventores da corrupção no Brasil". Um antipetismo que mistura doses exatas de udenismo, macarthismo, simplismo, mediocridade e hipocrisia conseguiu convencer parte da população de que o grande problema da corrupção no Brasil era o PT e que, eliminando-o da arena pública, o problema seria extinto.
Não que o PT não tenha responsabilidades nesse processo (tem muitas!), mas o que torna o ciclo de Cunha terrivelmente cínico é o fato de que até mesmo as responsabilidades do PT têm a ver, principalmente, com o fato de ter se associado ao PMDB de Cunha e Temer, aos partidos do chamado "centrão" ou "baixo clero", as legendas de aluguel que fizeram parte da base governista durante os últimos anos.
A narrativa construída é cínica porque o que foi dito ao povo é que essa gente — Cunha, Temer, o PMDB, o "centrão", as bancadas da Bíblia, do Boi e da Bala, as legendas de aluguel — numa nova aliança com a velha direita incapaz de vencer uma eleição — PSDB, DEM, PPS — é que iria "salvar o Brasil da corrupção petista" [pausa para risos altos!].
Ou seja, o PT errou ao se aliar a esse bando, que convenceu parte do povo de que a solução era tirar o PT do poder e deixar tudo para eles...
A cassação de Cunha encerra esse ciclo. Alçado à categoria de "herói", de "salvador da pátria", ele conduziu o processo de impeachment de uma presidenta eleita e honesta, e agora será retirado de cena. Mas o estrago já foi feito!
Por incrível que pareça, Cunha está usando essa mesma cantilena antipetista para se defender, a mesma que, antes, permitiu-lhe operar livremente e remeter milhões para uma conta na Suíça. Este é o seu último apelo. Mas quem ainda cai nesse teatro de vampiros?
O Brasil, senhoras e senhores, não é para amadores!
-

Publicado em 12 de set de 2016
(( Inteligência brasileira ))
http://inteligenciabrasileira.blogspo...
Mensalão tucano
https://pt.wikipedia.org/wiki/Mensal%...
http://www.lula.com.br/
https://theintercept.com/brasil/
Exclusivo: Jornalista mineiro informou Janot sobre fundação ligada a Aécio Neves em Liechtenstein em março de 2015; revista Época escondeu o assunto por 3 anos e quatro meses
https://www.facebook.com/presalbrasil...
14 escândalos de corrupção envolvendo Aécio, o PSDB e aliados
http://www.cartamaior.com.br/?/Editor...
Aécio Neves comprou eleição para a presidência da Câmara, revela delator
http://aecioneves.blogs.sapo.pt/
Golpista Aécio Neves recebeu R$ 1.000.000,00 em propina
http://aecionevesnao.blogspot.com.br/
Caiu a ficha do PSDB”, diz Romero Jucá sobre a Operação Lava Jato, ex presidente Transpetro””Quem não conhece o esquema do Aécio?”
https://aecionevescensurado.wordpress...
A Globo Esconde , Mais a Gente Mostra! baixe o video e divulgue
https://www.youtube.com/watch?v=V5FSz...
Os nomes e valores da Lista de Furnas
http://jornalggn.com.br/blog/luisnass...
Sérgio Moro, um juiz a serviço da TV Globo e do PSDB
Os principais interessados na Operação Lava Jato são o PSDB e as multinacionais do petróleo. Ambos clientes da esposa de Sérgio Moro.
http://cartamaior.com.br/?/Editoria/P...
Sérgio Moro
http://www.marceloauler.com.br/tag/se...
O “mau passo” de Moro
http://tijolaco.com.br/blog/moro-nao-...
Delegado da PF espinafra Moro
http://www.conversaafiada.com.br/bras...
Marco Aurélio desqualifica Moro
http://www.conversaafiada.com.br/bras...
O que pesa contra Temer na Lava Jato
O substituto de Dilma teve seu nome citado diversas vezes no escândalo de corrupção
http://www.cartacapital.com.br/politi...
Michel Temer anuncia ministério ficha-suja
Presidente interino também está inelegível por oito anos por decisão da Procuradoria Eleitoral de São Paulo por doação de campanha acima do limite legal
http://www.redebrasilatual.com.br/pol...
fim da CGU enfraquece controle e combate à corrupção no país
http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/...
Vox Populi: Moro e Globo tomam uma surra
Lula é inocente !
http://www.conversaafiada.com.br/bras...
5 coisas que você não sabia sobre a Câmara
https://www.facebook.com/presalbrasil...
O Jornal do Brasil fez um levantamento detalhado da votação e chegou ao número de 119 deputados federais que esbravejaram contra a corrupção, mas que já responderam ou respondem por crimes na Justiça comum ou eleitoral. Vale conferir a listinha:
https://www.facebook.com/presalbrasil...
Globo pagou US$ 10 mi a offshore por direitos de transmissão
A empresa holandesa e a TV Globo tiveram contratos negociados de 2004 a 2019
http://www.conversaafiada.com.br/pig/...
http://plantaobrasil.net/default.asp
Documentário: o escândalo de sonegação da Globo
http://www.conversaafiada.com.br/tv-a...
http://www.megacidadania.com
http://www.tijolaco.com.br/blog/
http://www.viomundo.com.br/
http://www.diariodocentrodomundo.com.br/
http://jornalggn.com.br/luisnassif
http://www.ocafezinho.com/
http://www.blogdacidadania.com.br/
http://www.revistaforum.com.br/
https://www.brasildefato.com.br/
http://altamiroborges.blogspot.com.br/
http://www.conversaafiada.com.br/
Fonte:
---------------------------------///___________________________---
-

Acusação: Deputado de Roraima afirma que o patrimônio tem CONTA no EXTERIOR-Era o beneficiário, contratante e contratado.
-
Defesa: Deputado Marcelo Nobre a seguir: Pede prova da conta de Eduardo Cunha na Suíça. Não há provas...
-

-
22:38h
Votação do Encaminhamento do Requerimento:
Em que momento haverá a Votação.
Depois de 336 dias, chegou o dia do Julgamento final no plenário.
-
Votação em Painel instantâneo
SIM ou Não
-
12/09/2016 21h39 - Atualizado em 12/09/2016 21h50
Cunha ataca o PT e diz ao plenário da Câmara: 'Amanhã serão vocês'
Deputados julgam processo que pode levar à cassação de Cunha.
Peemedebista responde por omissão de contas na Suíça.
Do G1, em São Paulo.
-
O advogado Marcelo Nobre, que defende o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse, no plenário da Câmara dos Deputados, que "não há prova nenhuma" contra seu cliente. "Esse processo sempre foi natimorto. Ele não tem prova nenhuma, nem nunca teve."
-
Deputados analisam nesta segunda-feira (12) o parecer do Conselho de Ética, que pede a cassação do mandato de Cunha, por ter omitido a existência de contas no exterior. O deputado afastado nega irregularidades.
Marcelo Nobre disse que, caso condene um deputado sem provas, a Câmara abrirá um "precedente de linchamento", que servirá para vários outros casos. "O que vemos aqui nesta casa hoje é uma guilhotina posta em cima da mesa. Uma guilhotina com nome e sobrenome. Chama-se precedente de linchamento", afirmou.
O advogado criticou ainda a mudança de partido do relator do processo no Conselho de Ética, Marcos Rogério (DEM-RO). Segundo ele, o parlamentar, ao mudar para um partido do bloco do acusado, não poderia ter continuado relatando o caso. "Quando mudou de partido, neste momento, ficou impedido. E qual foi a resposta da Comissão de Constituição e Justiça? Foi a seguinte: se o relator é do mesmo bloco partidário do representado, mas propôs a sua cassação, então vale."
Marcelo Nobre criticou o julgamento do caso antes que tenha passado pelo Supremo Tribunal Federal. "Como é que o Conselho de Ética e a Comissão de Constituição e Justiça desta casa já concluem coisa que nem o Supremo concluiu?"
O advogado disse que só no STF será possível haver a ampla defesa, o contraditório e o arrolamento das testemunhas. "O Supremo já decidiu: delação e delator não é prova por si só."
Ele disse que a Câmara não pode julgar com isenção, porque há desafetos entre os "juízes" do caso. O advogado afirmou ainda que os deputados estão sendo induzidos a erro.
Leia abaixo a íntegra do discurso do advogado Marcelo Nobre:
Ilustres Deputadas e Deputados, pode existir alguém que respeite esta Casa tanto quanto eu; mais, é impossível. Fui criado nesta Casa e tenho um respeito profundo por esta Casa e pelos representantes do povo.
Quem ouve o Relator do Conselho de Ética falar nesta tribuna que existe conta do meu cliente no exterior fica com essa certeza encravada em sua mente. Todavia, o Relator descaracteriza o próprio Supremo Tribunal Federal, tendo em vista que, se conta existe, como é que o Supremo Tribunal Federal ainda não julgou meu cliente? Como é que o Supremo Tribunal Federal ainda não concluiu o julgamento se o Relator disse que a conta existe? Cadê ela? Cadê o número?
O que vemos aqui nesta Casa hoje é uma guilhotina posta em cima da mesa, uma guilhotina com nome e sobrenome: chama-se precedente de linchamento.
Quem acompanhou este processo no Conselho de Ética sabe muito bem que esta defesa, desde o início, disse que não existem provas, porque a prova é material: ou há conta, número, banco; ou não há.
E foi por essa razão que a defesa sempre clamou por dizer que o processo precisava ser arquivado, pois não existe prova. E o Relator gastou 90 páginas para tentar dizer o que uma linha diz. Se há conta do meu cliente no exterior, cadê ela? Uma linha bastava para o ilustre Relator do Conselho de Ética!
Dito isso, queria dizer a V.Exas. o que significa esse processo, seu início. Esse processo diz respeito a uma imputação de mentira ao meu cliente, como se ao dizer Todas as contas que eu possuo estão declaradas no Imposto de Renda tivesse mentido. Mas o meu cliente não mentiu, não há uma prova nos autos desse processo que V.Exas. estão a julgar hoje, porque V.Exas. hoje são julgadores, julgadores de alguém que está sendo linchado porque não há prova nenhuma da imputação que existe contra o meu cliente. Qual é a pena imposta a um Deputado que tem a imputação de ter mentido quando de um depoimento espontâneo que fez à CPI? A pena capital a um político, o encerramento da sua carreira política.
Mas não se iludam, V.Exas., porque esse precedente que figurativamente eu disse que a guilhotina está aqui posta, e esse precedente de linchamento que se encontra hoje aqui servirá, como V.Exas. bem sabem, como precedente para vários outros.
Quando existir um inimigo político que tenha contra si a maioria, será usado esse precedente contra ele. E não importa se há ou não prova, porque este processo, sem prova, está criando este precedente. Este processo sempre foi natimorto, ele não tem prova alguma e nunca teve. Como prosseguir?
Mas ele prosseguiu, e, ao continuar, quando da sua admissibilidade, um Deputado do Conselho de Ética disse: Temos de suprimir uma das imputações, pois eram duas: mentir à CPI e o recebimento de vantagens indevidas. Uma delas, a pedido do Deputado Paulo Azi, foi suprimida, retirada. Por quê? Porque essa imputação se encontra no Supremo Tribunal Federal, com o devido processo legal, com a ampla defesa, coisa que não existe no Conselho de Ética, porque o Conselho de Ética não tem poder investigativo.
Como é que se concluiu, da forma como se concluiu, um processo que não tem poder investigativo? Com matérias jornalísticas! É isso que V.Exas. estão a julgar. São matérias jornalísticas! São matérias veiculadas, publicadas que estão aqui a servir de prova inconteste de que teria o meu cliente conta no exterior.
A prova é material, ou tem ou não tem. Cadê a conta? Cadê o número? Cadê o banco? Cadê a conta corrente do meu cliente para condená-lo? Ou vão condenar sem provar? Não existe prova!
Depois da supressão, proposta pelo ilustre Deputado Paulo Azi, o processo continuou, mas houve um aditamento, houve um aditamento no processo posteriormente. E com esse processo, depois disso, deveria acontecer o quê? Deveria voltar àestaca do início do processo para permitir a esta defesa que arrolasse as testemunhas daquele fato novo incluído indevidamente, aditaram indevidamente depois da instrução do processo.
O que V.Exas. estão aqui a ver e a julgar hoje fará este precedente de linchamento, e com certeza repercutirá nesta Casa, porque V.Exas. sabem — e muito bem! — o que significa um precedente nesta Casa.
Como se isso já não bastasse, o ilustre Relator no meio do processo que relatava mudou de partido, aproveitou a janela e mudou de partido, foi uma opção dele, ele podia não ter mudado, ele podia ter mudado para um partido que não fizesse parte do Bloco do meu cliente; mas, não. Ele resolveu por opção mudar para um partido que faz parte do Bloco do meu cliente.
Neste momento, ele ficou impedido, porque a lei de V.Exas., o Regimento Interno, o Código de Ética, assim diz, não sou eu, não é a defesa, não é o meu cliente.
Hoje, se entrarem com uma representação contra o meu cliente, pode o Deputado Marcos Rogério ser o Relator? Não. Por quê? Porque ele pertence a um partido de mesmo bloco do meu cliente. Então, essa é a resposta. E, quando ele mudou de partido, ficou impedido.
E qual foi a resposta no recurso da Comissão de Constituição e Justiça acerca desta imputação?
Está aqui a decisão que prevaleceu na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. A alegação com relação a esse impedimento superveniente do Relator foi a seguinte: se o Relator é do mesmo bloco partidário do Deputado representado, mas propôs a sua cassação, vale.
Mas é precedente. Ou ele pode ser, ou ele não pode ser. Como ele, não podendo ser, só éRelator se condenar o colega de mesmo bloco partidário? Isso é uma loucura, é inimaginável!
E V.Exas. estão aqui a criar esse precedente hoje. Esse precedente hoje permitirá processo contra Deputado, sem prova, com Relator impedido. E valerá. Ou só vale para o meu cliente ou contra ele? Tudo que é contra o meu cliente, vale; o contrário, não. Contra V.Exas. não vale, não valerá, só contra o meu cliente. Ele está sendo julgado pelo nome na capa do processo.
Isso é inconteste. Não existe alguém que possa dizer que não é verdade o que a defesa diz neste momento.
Nem o Supremo Tribunal Federal decidiu acerca das provas no processo que está em instrução nele. Como é que o Conselho de Ética e a Comissão de Constituição e Justiça desta Casa já concluem coisa que nem o Supremo concluiu, porque ainda não conseguiu terminar a sua instrução? E se ela for contrária? E se V.Exas. aqui decidirem que há conta corrente, e o Supremo disser que não há, que ficou provado na instrução que ela não existe, o que será feito? O mandato já terá sido cassado. É sobreisso que a defesa pede para V.Exas. refletirem.
Como eu disse, estáposta a guilhotina em cima da mesa desta Câmara, com o precedente de linchamento que ficarápara todos desta Casa e para os que a ela vierem no futuro também, porque o precedente continuará existindo no tempo. O tempo não para!

E, pior, esse é um precedente de linchamento, porque não há prova, não existe prova. Não se apresentou a prova no Conselho de Ética, não se apresentou a prova na Comissão de Constituição e Justiça. Vão apresentá-la hoje?
A defesa aguarda ansiosamente o número da conta corrente em nome do meu cliente no exterior! Ela não existe!
O Supremo ainda não concluiu o julgamento. Como se julgar um processo sem prova, dizendo que o meu cliente mentiu, e cassar um mandato popular? Por quê? Com que fundamento?
Esse precedente irá aniquilar muitos inimigos políticos. Quando se formar a maioria e se quiser aniquilar inimigos políticos, ainda que não haja prova, o precedente estará pronto para ser utilizado — épara isso que a defesa precisa chamar a atenção.
Só no Supremo Tribunal Federal é que será possível a ampla defesa, será possível o contraditório, será possível o arrolamento das testemunhas e o acompanhamento daqueles ditos delatores.
O Supremo já decidiu: delação de delator não é prova por si só; é preciso um processo, um processo que seja muito bem instruído. O juiz Moro já condenou um delator por ter delatado e não ter provado o que disse — o que ele delatou não se confirmou. Como acreditar em delatores neste momento sem o processo no Supremo? É com base nisso que estão a julgar.
Não é fácil para esta defesa. Ninguém aqui da defesa está solicitando certidão de idoneidade. Não é disso que estamos tratando. Não estamos aqui a pedir a V.Exas., ilustres julgadores deste processo, certidão de idoneidade. O que estamos aqui a pedir é um processo com julgamento justo, éum processo com julgamento isento, no qual magistrados, que V.Exas. hoje representam aqui, possam julgar com isenção.
Checar casamento!
Imaginem V.Exas. algum homem público ser julgado por um desafeto no Judiciário. V.Exas. concordariam ou exigiriam que esse juiz inimigo se desse como impedido ou suspeito e saísse do julgamento? Éisso que acontece também aqui.
Como se condenar alguém pelo nome na capa do processo se não há prova? E eu insisto: no Conselho de Ética não a apresentaram, na Comissão de Constituição e Justiça não a apresentaram. Vão apresentá-la hoje? Até este momento da oportunidade da defesa, também não a apresentaram. É uma linha. É uma linha. Cadê o número? Cadê o nome da instituição em nome do meu cliente? Não existe.
E V.Exas. estarão a julgar hoje, aqui, esse processo em que não há prova e que, lá atrás, deveria ter sido arquivado por absoluta falta de prova. Mas não! Estamos aqui, neste plenário sagrado do povo brasileiro, a decidir sobre a vida de um cidadão político e a puni-lo com a pena capital de um político, em um processo sem prova. É isso que está aqui a acontecer neste momento.
E é por isso, Excelências, que a defesa pede esta reflexão: que V.Exas. analisem que o voto de 90 páginas do ilustre Relator não traz uma linha com o número da conta e com a instituição bancária em nome do meu cliente.
Não existe. V.Exas. estão sendo induzidos em erro. O Supremo Tribunal Federal ainda está a realizar a instrução. Como condenar alguém sem prova?
A impressão que aqui nós temos com a fala do Relator, que, com todo o respeito, é acusador — e não sou eu que estou falando; quem está falando é a CCJ, porque a CCJ diz que pode ser Relator, desde que condene. Relator do mesmo bloco pode ser... Se for um Relator do mesmo bloco partidário, pode, desde que condene. É disso que estamos aqui a tratar. É isso que a defesa tinha a esclarecer a V.Exas.
Pedimos a V.Exas. que não criem um precedente de linchamento, que não façam o julgamento de um processo sem provas. Nem o Supremo Tribunal Federal decidiu acerca disso que V.Exas. estão a decidir. O que a defesa pede na reflexão desses ilustres julgadores é que não cassem o mandato popular e aniquilem a vida de um político num processo sem prova.
Por que V.Exas. incluíram na Constituição Federal, no art. 55, § 2º, que o Parlamentar perde o mandato quando condenado e quando não couber mais recurso?
Exatamente para que não acontecesse este momento que nós estamos vivendo. Aguardemos o julgamento do Supremo, que ainda está em fase de instrução.
Ilustre Presidente, era isso o que a defesa tinha a clamar aos ilustres julgadores. Peço esta reflexão: não julguem, num processo sem provas, o meu cliente e o punam através da pena capital para um político.
Muito obrigado.
http://g1.globo.com/politica/noticia/2016/09/nao-ha-provas-diz-advogado-de-eduardo-cunha-na-camara.html

-

"Nós tivemos o prazer, por mais que o PT reclame, esse criminoso governo foi embora, e graças à atividade que foi feita por mim ao aceitar o processo de impeachment", disse ele, que foi aplaudido por parte do plenário. "É o preço que estou pagando para o país ficar livre do PT. Estão me cobrando o preço por ter conduzido o processo de impeachment."
Ele disse que recebeu ofertas e chantagens, mas o pedido de impeachment já tinha sido analisado 10 dias antes da votação do parecer no Conselho de Ética. Dirigindo-se ao plenário, Cunha disse ainda: "Amanhã serão vocês".
-
-



Ao se defender do processo que pode levar à sua cassação, o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) afirmou, nesta segunda-feira (12), que a votação é "puramente de natureza política". No plenário da Câmara, ele atacou o PT e relacionou as investigações contra ele ao pedido de impeachment para Dilma Rousseff, que Cunha aceitou quando era presidente da Casa.
-

Publicado em 12 de jul de 2016
VEJA O QUE O EX PRESIDENTE DA CÂMARA EDUARDO CUNHA DISSE
NESSA TERÇA FEIRA 12/07/2016
CONFIRA O QUE A OPOSIÇÃO JÁ ESTA TENDO COMO UMA AMEAÇA VINDA DE CUNHA, "HOJE FOI COMIGO,AMANHÃ SERÁ COM VOCÊS" QUAL SERIA ESSA CARTA NA MANGA?

COMENTEM ESSE VIDEO POLÊMICO, COMPARTILHE!
-//-
Acompanhe a votação da cassação do mandato de Eduardo Cunha
Atualizado às 12/09/2016 23h12
Marcada para as 19h desta segunda-feira (12), a sessão que pode definir a cassação do mandato de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara, foi suspensa por uma hora e deve começar somente por volta das 20h.
Um dos principais investigados na Operação Lava Jato, o deputado afastado é réu em duas ações.
O processo do peemedebista já se arrasta na Câmara há quase um ano. Aliados de Cunha planejam esvaziar a sessão desta segunda para evitar a cassação, já que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) pretende iniciá-la somente com a presença no plenário de 420 deputados de um total de 513.
-
------------------------------//----------------------------------
Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/09/1812444-entenda-as-acusacoes-contra-cunha-deputado-sera-julgado-nesta-segunda.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.
-


Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/09/1812444-entenda-as-acusacoes-contra-cunha-deputado-sera-julgado-nesta-segunda.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.
-