quarta-feira, 13 de junho de 2012

QUANDO O AMOR SE DESPEDE - Acróstico-poético nº 4650 Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil

QUANDO O AMOR SE DESPEDE
-
Acróstico-poético nº 4650
Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil
-
Q-Quando o amor, um dia se despede
U-Uma força interior traz nostalgia,
A-Apaga a chama que não se mede
N-Nos planos realizados com alegria...
D-Diante da tristeza por causa da solidão
O-O coração já não quer mais bater:
 -
O-Os bons momentos não voltarão jamais!
 -
A-A graça do simples olhar, não há mais,
M-Mas quando o AMOR pode estar perto
O-O perfume das flores chegam à mente,
R-Realmente, os motivos podem ser banais!
 -
S-Se o AMOR existe, há a busca de paz
E-E a presença amada constante será capaz
 -
D-De criar sonhos ilimitados a conquistar:
E-É que a gente vive uma felicidade intensa,
S-Se a fantasia vê uma lua nua imensa
P-Permite tudo o que doa, que satisfaz
E-E tudo perdoa em nome da eternidade;
D-Deixa a vida lá fora e vive o presente:
E-É que sabe a falta que lhe faz o amor.
-
Belo Horizonte, 11 de junho de 2012.
-
---***---
DEIXE UM COMENTÁRIO:

FALE DO AMOR REAL, IDEAL, INTERNO, FAMILIAR, FRATERNAL, COLETIVO, UNIVERSAL, PORQUE, QUANDO, ONDE, PARA QUE, PARA QUEM PERTO OU LONGE, PURO E VERDADEIRO, MAS , PENSE, ESCREVA, FALE E DIVULGE EM PROSA OU VERSO .

-----------------------*-------------------------


CONFIRA O VIDEO: NO YOUYUBE 

<iframe width="420" height="315" src="http://www.youtube.com/embed/ZxLx4WN4MwQ" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

----------------------*---------------------