domingo, 14 de dezembro de 2014

SANTARÉM CIDADE DE PORTUGAL PROMOVE EVENTOS CULTURAIS-VALE A PENA CONFERIR


De: Teatrinho de Santarém <teatrinho.santarem@gmail.com>

Data: 13 de dezembro de 2014 às 01:20
Assunto: Fwd: EVENTOS CULTURAIS ESTA SEMANA
Para: 
Dezembro de 2014:
Enviado por ARLETE PIEDADE

Est sábado e domingo, temos acontecimentos culturais
importantes na nossa cidade:

SÁBADO - dia 13 às 21h30 no Teatro Sá da Bandeira um espectáculo                        de Teatro premiado várias vezes a nível nacional - "Sobre a                    Mesa de Cabeceira", integrado no Festival do Inatel, 
                  com entrada livre.
                   (levantar ou reservar bilhetes com antecedência)

DOMINGO - dia 14 às 16h30 na Catedral de Santarém, Concerto de
                    Natal pelo Conservatório de Música de Santarém 
                   com entrada livre.

DURANTE O MÊS DE DEZEMBRO, FEIRA DO LIVRO E EXPOSIÇÃO DE ARTES PLÁSTICAS, NO FÓRUM ACTOR MÁRIO VIEGAS - CCRS, E ACTIVIDADES PARA CRIANÇAS NA LIVRARIA AQUI HÁ GATO.  

AO REENVIAR ESTA INFORMAÇÃO PARA A SUA LISTA DE CONTACTOS, ESTÁ A PRESTAR UM IMPORTANTE APOIO À
DIVULGAÇÃO E PROMOÇÃO DA CULTURA. 

OBRIGADO PELA SUA COLABORAÇÃO.










Santarém-portugal 2014

-//-

SANTARÉM-AGENDA CULTURAL-2014

-//-

Santarém  é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Santarém, com cerca de 29 600 habitantes.1
É sede de um município com 552,54 km² de área2 e 61 752 habitantes (2011),3 nota 1 subdividido em 18 freguesias.4 O município é limitado a norte pelos municípios de Porto de Mós, Alcanena e Torres Novas, a leste pela Golegã e pela Chamusca, a sueste por Alpiarça e Almeirim, a sul pelo Cartaxo, a sudoeste pela Azambuja e a oeste por Rio Maior.
Santarém integra a região estatística (NUTS II) do Alentejo e na sub-região estatística (NUTS III) da Lezíria do Tejo; continua, no entanto, a fazer parte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, que manteve a designação da antiga NUTS II com o mesmo nome. Pertencia ainda à antigaprovíncia do Ribatejo (da qual era a capital e centro urbano mais importante), hoje porém sem qualquer significado político-administrativo, mas constante nos discursos de auto e hetero-identificação.

-//-

Scalabitano (lat. Scalabitanus); Santarense; Santareno
552,54 km2
61 752 hab. (2011)
111,76 hab./km2
N.º de freguesias
18
Presidente da
Câmara Municipal
Ricardo Gonçalves (PSD)
Fundação do município
(ou foral)
-//-

PATRIMÓNIO:
Apesar de ser chamada de "Capital do Gótico",a cidade de Santarém é, hoje, uma cidade com apenas um vislumbre de todo o património arquitectónico que já possuiu. Almeida Garrett, no seu romance "Viagens na Minha Terra", já referia a decadência e incúria a que eram votados muitos dos ilustres edifícios da cidade.
Patrimónios de Santarém:
·         Torre das Cabaças
·         Fonte das Figueiras
·         Igreja de São Nicolau
·         Igreja da Misericórdia
·         Convento de São Francisco
·         Igreja de Santa Cruz
·         Igreja de Santa Iria
·         Convento das Donas
·         Convento das Capuchas
·         Ermida do Milagre
·         Templo Romano
·         Teatro Rosa Damasceno
·         Ponte de Alcource
Quem seguir da Igreja de Marvila, pela Torre das Cabaças, recentemente restaurada, passará pelo antigo Teatro Rosa Damasceno (num estado avançado de decadência). Mais à frente encontrará um jardim, junto às muralhas, de onde se pode desfrutar de uma das paisagens mais celebradas em Portugal, a lezíria e o Tejo, das "Portas do Sol".
-//-

A Monumental Celestino Graça é o nome da praça de touros de Santarém.
Com lotação para 13 500 pessoas, é a maior praça de touros de Portugal.
A Praça começou a ser construída a 10 de Janeiro de 1964, sendo inaugurada a 7 de Junho de 1964, com a realização de uma «corrida à antiga portuguesa», com a lotação completamente esgotada, e com a presença do então Presidente da República, Almirante Américo Tomaz e sua esposa.
-//-


O Santíssimo Milagre ocorreu em Santarém, no século XIII, sendo ainda hoje objecto de intensa veneração na cidade.
Corria o ano de 1266 (ou o de 1247, segundo alguns cronistas) quando, em Santarém, vivia uma pobre mulher, a quem o marido muito maltratava, andando desencaminhado com outra. Cansada de sofrer, foi pedir a uma bruxa que, com os seus feitiços, pusesse fim à sua triste sorte. Prometeu-lhe esta remédio eficaz, mas necessitaria de uma hóstiaconsagrada.
Depois de hesitar, a pobre mulher foi à Igreja de Santo Estêvão, confessou-se e, recebida a Sagrada Partícula, com suma cautela a tirou da boca, embrulhando-a no véu. Saiu rapidamente da igreja, encaminhando-se para a casa da feiticeira. Mas, então, sem que ela o notasse, do véu começou a escorrer sangue, o que, visto por várias pessoas, as levou a perguntar à infeliz que ferimentos tinha. Confusa em extremo, corre para casa, e encerra a Hóstia Miraculosa numa arca. Passou o dia, entretanto, e à tarde voltou o marido. Já em alta noite, acordam os dois, e vêem toda a casa resplandecente. Da arca saíam misteriosos raios de luz. Inteirado o homem do acto pecaminoso da mulher, de joelhos, passaram o resto da noite, em adoração.
Mal rompeu o dia, foi o pároco informado do prodígio sobrenatural. Espalhada a notícia, meia Santarém acorreu pressurosa a contemplar o Milagre. A Sagrada Partícula foi então levada, processionalmente, para aIgreja de Santo Estêvão, onde ficou conservada dentro de uma espécie de custódia feita de cera. Mas, passado alguns anos (em 1340), ao abrir-se o sacrário para expor à adoração dos fiéis, como era costume, encontrou-se a cera feita em pedaços e, com espanto, descobriu-se que a Sagrada Partícula se encontrava encerrada numa âmbula de cristal, miraculosamente aparecida. Esta pequena âmbula foi colocada numacustódia de prata dourada onde ainda hoje se encontra.
A Igreja Paroquial de Santo Estêvão é actualmente o Santuário do Santíssimo Milagre. Desde a ocorrência do milagre, esta igreja foi destino de inúmeras procissões, feitas pela corte régia, ou por grandes personalidades da nobreza e do clero, sobretudo a pretexto de doenças, cheias, ou de seca. Muitos são os ecos que, documentalmente, nos ficaram como testemunho, como o caso da Rainha Santa Isabel, que passando por Santarém a caminho de Coimbra, a fim de pacificar as discórdias entre seu marido D. Dinis e seu filho D. Afonso, mandou fazer uma procissão de preces, em que ela acompanhou descalça o Santíssimo Milagre, com uma corda ao pescoço e coberta de cinzas, implorando assim a misericórdia do Altíssimo. Também D. Afonso VI, a 25 de Janeiro de 1664, ao deslocar-se a Santarém, não deixou de visitar aIgreja do Santíssimo Milagre e o Convento de S. Domingos, onde, por esta época, se conservava a misteriosa toalha que envolvera a Sagrada Hóstia e na qual era ainda visível o sangue. No local onde se situava a casa da pobre mulher, encontra-se hoje a Ermida do Milagre.


-//-