terça-feira, 9 de junho de 2015

10 DE JUNHO-DIA DE PORTUGAL, DE CAMÕES E DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS

-




O Dia da Língua Portuguesa 
é comemorado no

dia 10 de junho, dia em que a morte de

 Luís Vaz de Camões é lembrada.

 Autor de obras memoráveis como “Os Lusíadas”,
Luís de Camões é considerado um dos maiores poetas épicos e lírico da história lusitana.

A língua portuguesa é nosso patrimônio comum,
 além de ser a matéria-prima para nossa literatura e poesia, por isso a importância da comemoração da data.
Vale lembrar, que o idioma tem sua origem no latim vulgar
– o latim falado, que os romanos introduziram na Lusitânia, região situada ao sudoeste da Península Ibérica, a partir de 218 a.C.

Atualmente, segundo dados da ONU,
 pelo menos 235 milhões de pessoas têm o português como primeira língua, em oito países que vão das Américas à Ásia.
 Mais de 80% desses falantes são brasileiros.
 Entretanto, muitos falantes do português vivem fora dos países lusófonos em nações da Europa e nos Estados Unidos.
Não oficialmente, o português é falado por uma pequena parte da população em Macau, no estado de Goa, na Índia, e na Oceania.

A língua portuguesa é a quinta língua mais falada do planeta e a terceira mais falada entre as línguas ocidentais, ficando atrás somente do inglês e do castelhano.
 Por toda a importância dada à  língua portuguesa, seu ensino agora é bastante valorizado nos países que compõem o Mercosul, e é a língua oficial em diversos países como:
 Angola,
 Brasil,
 Cabo Verde,
Guiné-Bissau,
Moçambique,
Portugal
e São Tomé e Príncipe e, ainda,
Timor-Leste após sua independência(LTimor-Lorosae)



-


http://pt.slideshare.net/natalialcubo/power-point-portugues-no-mundo-tema-5-tic-23372178?related=1
-//-

http://www.cplp.org/

-//-

http://pt.slideshare.net/lena21fernandes/histria-da-lngua-portuguesa-30275452?related=2
-//-
http://www.fd.uc.pt/CI/CEE/OI/CPLP/CPLP-D-Constitutiva_e_estatutos.htm
-//-



-

-


-
-
HINO NACIONAL DE PORTUGAL É

A  PORTUGUESA



O poema original é composto por três partes, 
cada uma delas com duas quadras (estrofes de quatro versos), 
seguidas do refrão, uma quintilha (estrofe de cinco versos). 

É de salientar que, das três partes do poema 
apenas a primeira parte foi oficializada como o Hino Nacional Português, 
sendo usado em cerimónias oficiais, 
sendo as outras duas partes praticamente desconhecidas 
já que não constam da versão oficial do Hino Nacional.

A Portuguesa é executada oficialmente em 
cerimónias nacionais, civis e militares, 
onde é prestada homenagem 
à Pátria, à Bandeira Nacional ou ao Presidente da República

Do mesmo modo, em cerimónias oficiais no território português 
por recepção de chefes de Estado estrangeiros, 
a sua execução é obrigatória depois de ouvido o hino do país representado.

A Portuguesa foi designada como um dos 
símbolos nacionais de Portugal na constituição de 1976
constando no artigo 11.°, n.º 2, da Constituição da República Portuguesa
 (Símbolos nacionais e língua oficial):

"2. O Hino Nacional é A Portuguesa."

FONTE:http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Portuguesa

-

HINO OFICIAL DE PORTUGAL

Data: 1890 (com alterações de 1957)
Letra: Henrique Lopes de Mendonça
Música: Alfredo Keil
I
Heróis do mar, nobre povo,
Nação valente, imortal,
Levantai hoje de novo
O esplendor de Portugal!
Entre as brumas da memória,
Ó Pátria sente-se a voz
Dos teus egrégios avós,
Que há-de guiar-te à vitória!

Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar!
Contra os canhões
marchar, marchar!

II
Desfralda a invicta bandeira
À luz viva do teu céu!
Brade a Europa à terra inteira:
Portugal não pereceu
Beija o solo teu jucundo
O oceano, a rugir d'amor,
E o teu braço vencedor
Deu novos mundos ao Mundo!

Às armas, às armas!
Sobre a terra e sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar!
Contra os canhões
marchar, marchar!

III
Saudai o Sol que desponta
Sobre um ridente porvir;
Seja o eco de uma afronta
O sinal de ressurgir.
Raios dessa aurora forte
São como beijos de mãe,
Que nos guardam, nos sustêm,
Contra as injúrias da sorte.

Às armas, às armas!
Sobre a terra e sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar!
Contra os canhões
marchar, marchar!
-//-


-//-

DEZ DE JUNHO-DIA DE PORTUGAL, DE CAMÕES E DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS
-
Acróstico-informativo Nº 5927
Por Silvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil
-
PORTUGAL COMEMORAÇÕES LOCAIS-2015(LAMEGO, o Palco de 2015.)
Cavaco Silva nomeou como presidente da comissão organizadora das comemorações do Dia de Portugal a investigadora Elvira Fortunato.
-
P-Portugal, neste 10 de junho de 2015,
O-Oferece comemorações oficiais para
R-Reverenciar portugueses, em  LAMEGO,
T-Tradição com festa no Largo de Camões,
U-Uma oportunidade para valorização à terra,
G-Garantindo o içar da Bandeira Nacional
A-Atendendo principalmente os Jovens,
L-Liderados, pela Câmara Municipal;
 -
C-Com homenagens a D. Miguel,
O-O Chefe de Estado irá ao
M-Mosteiro das Chagas para
E-Escutar o afinado Coro dos
M-Melhores da Universidade Sênior;
O-Os Paços do CONCELHO
R-Receberão o Exmo. Sr. Cavaco Silva,
A-A descerrar uma PLACA,
Ç-Com alusão ao grande evento:
Õ-O Presidente da República de Portugal
E-Estará prestando homenagens para
S-Selecionadas Autoridades e Cidadãos
 -
L-Ligados à Cultura, Empreendedorismo,
O-Outros à Ciência, ao Associativismo...
C-Com o Corpo Diplomático presente
A-Acreditado em Portugal e fará Palestra:
I-Importante tema da atualidade,
S-Sobre "A Interioridade e os Desafios da
    Emancipação Jovem."
---FELIZ FESTA! BEM HAJA!---
Belo Horizonte, 9 de junho de 2015,
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/5271833
-//-

LAÇOS SECULARES CULTURAIS ENTRE BRASIL E PORTUGAL
-
Homenagem acróstica nº 5064
Por Silvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil
-
L-Laços seculares sem barreiras
A-Ao tempo contemporâneo fazem
Ç-Congraçamento luso-brasileiro
O-Oferecendo troca de conhecimento
S-Sensacional entre Brasil e Portugal.
 -
S-Sabemos que depois do Fado, [Xutos
E-E Pontapés] já completaram 30 anos,
C-Com novos ritmos criados em Portugal.
U-Um Brasil socioeconômico cultural tem
L-Legados maiores que futebol e carnaval:
A-Artes, Literatura, Universidades, Pesquisas
R-Reverenciadas no mundo, no tempo atual,
E-Empresários, Artistas, Professores, Doutores
S-Sabem fazer e mostrar todo o diferencial.
 -
C-Com o avanço da ciência e tecnologia temos
U-Um Brasil e Portugal com várias atrações
L-Ligadas ao estudo e turismo internacional.
T-Temos em Língua Portuguesa nossas relações:
U-Um caminho certo de coração e portas abertas,
R-Reverenciando o passado, o presente promissor,
A-Alcandorado em rota certa, futuro entre nações;
I-Irmãos na Fé, no Turismo, nas Universidades,
S-Sobretudo na igualdade que nos traz a realidade.
-
Belo Horizonte, Minas Gerais, 18 de abril, 2013,
Ano de Portugal no Brasil e Brasil em Portugal!
-
http://www.recantodasletras.com.br/acrosticos/4246606
---***---

5690-LÍNGUA PORTUGUESA LUSO-BRASILEIRA
(de Camões e de Machado de Assis)
-
Autora Sílvia Araújo Motta/BH/MG.
Soneto decassílabo-clássico-heroico;
acentuação forte na 6ª e 10ª sílabas;
rima poética: ABAB,ABAB,CDC,EDE).
-
A Língua Portu(gue)sa de Ca(mões),         (A)
Machado de Assis-(Gê)nios do sa(ber)      (B)
inteira luz gi(gan)te entre as na(ções)       (A)
conduz valor can(tan)te em cada (Ser.)     (B)
-
Impõe respeito, (gló)rias nas li(ções)!       (A)
Linguagem pura (cum)pre seu de(ver),     (B)
razão perfeita im(pe)de os arra(nhões),   (A)
palavra forte, i(ma)gem de po(der).          (B)
-
No linguajar que (fi)no trato al(can)ça      (C)
na mente mostra (fúl)gidos le(trei)ros,     (D)
reparte a bela (Flor) do Lácio-he(ran)ça.   (C)
-
Sonora e rica (bri)lha pelo (mun)do         (E)
e tem na escrita (bra)dos alta(nei)ros:    (D)
- Tesouro raro (dá) saber pro(fun)do.      (E)
----------------------------------------------------------------
.

VALE A PENA LER -FIQUE POR DENTRO:


ESTATUTOS DA CPLP
http://www.cplp.org/Files/Filer/Documentos%20Essenciais/Estatutos_CPLP_REVLIS07.pdf

-
CPLP
06/06/2015
II Reunião Extraordinária de Ministros dos Assuntos do Mar - Declaração de Lisboa

Os Ministros responsáveis pelos Assuntos do Mar da CPLP ou seus representantes, de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, reunidos em Lisboa, no dia 6 de junho de 2015, durante a II Reunião Extraordinária de Ministros dos Assuntos do Mar da CPLP, que teve lugar no âmbito da Semana Azul, Lisboa/2015; 

Realçando que todos os Estados-membros possuem territórios marítimos que agregam um vasto potencial de recursos vivos e não vivos; e que os oceanos constituem uma fonte de recursos fundamental para o desenvolvimento sustentável e para a economia destes países; 

Recordando a importância de sucessivas conferências no quadro das Nações Unidas no âmbito da temática do desenvolvimento sustentável e, nomeadamente, os compromissos estabelecidos no documento final da Conferência Rio +20, intitulado “O Futuro que queremos”;

Enaltecendo a importância da aprovação da Estratégia da CPLP para os Oceanos, como um instrumento que promove a junção de esforços dos Estados-membros, com vista ao desenvolvimento sustentável dos espaços oceânicos sob as suas respetivas jurisdições nacionais, inclusive por meio de cooperação internacional;

Considerando o interesse da CPLP em desempenhar um papel ativo e construtivo no reforço da coordenação e diálogo intersectorial, nomeadamente entre as áreas do Mar, Defesa, Ambiente, Economia, Agricultura e Segurança Alimentar, Ciência, Cultura e Educação para o Desenvolvimento, como contributo para o debate sobre uma nova Agenda de Desenvolvimento Sustentável; 

Reconhecendo a importância do aumento do conhecimento sobre os mares, da intensificação da investigação científica marinha e do reforço da observação dos oceanos e regiões costeiras, para uma gestão e governação dos oceanos efetiva e sustentável, assim como para o cumprimento de compromissos internacionais;

Lembrando a importância dos oceanos e mares como fonte de alimento para as populações e, neste contexto, recordando os compromissos assumidos no sentido de erradicar a fome e prevenir todas as formas de malnutrição;

Tomando nota dos efeitos nefastos produzidos por fenómenos de pesca ilegal, não declarada e não regulamentada;

Recordando ainda, e consequentemente, a Estratégia Regional de Segurança Alimentar e Nutricional da CPLP, aprovada na XVI Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP, em Luanda, a 22 de julho de 2011 e na IX Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, em Maputo, em 20 de julho de 2012;

Realçando a proposta do Grupo de Trabalho Aberto para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que estabelece como objetivo específico e autónomo a conservação e uso sustentável dos oceanos, mares e dos recursos marinhos, para o desenvolvimento sustentável;

Atendendo à necessidade de promover o desenvolvimento de uma cooperação mutuamente vantajosa na base do respeito pelos princípios da igualdade soberana dos Estados, da integridade nacional, do primado da Democracia, do Estado de Direito, do respeito pelos Direitos Humanos e da justiça social;

Observando a elevada dependência económica assim como a elevada vulnerabilidade ambiental dos Pequenos Estados insulares em Desenvolvimento relacionadas com os oceanos;

Conscientes do potencial de cooperação entre os Estados-membros da CPLP, no desenvolvimento de capacidades e transferência de tecnologias;

Realçando a iniciativa portuguesa da Semana Azul, no quadro da qual se realizou a presente reunião extraordinária e que permitiu um encontro alargado de múltiplos intervenientes ligados aos assuntos do mar, quer ao nível de ministros (na respetiva reunião ministerial), quer ao nível dos negócios (no Blue Business Forum), quer ainda ao nível da reflexão estratégica e científica (no World Ocean Summit);

Reconhecendo o Lixo Marinho como um dos mais preocupantes aspetos da poluição dos mares e Oceanos, com graves impactes económicos, nomeadamente nos sectores da pesca e turismo, e ambientais; e identificam a importância de desenvolver o conhecimento e as competências para a redução desses fenómenos nos mares e oceanos da CPLP e a definição de uma visão comum para integrar a Parceria Global para o Lixo Marinho, lançada pelo Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP) em 2012;

Considerando os compromissos assumidos na I Reunião de Ministros dos Assuntos do Mar, realizada em Oeiras, em março de 2010, e na II Reunião de Ministros dos Assuntos do Mar, realizada em Luanda, em junho de 2012;

Os Ministros responsáveis pelos Assuntos do Mar da CPLP ou seus representantes declaram:

 Reforçar e intensificar os mecanismos de diálogo político e técnico para o aumento da concertação político-diplomática e cooperação nos assuntos relacionados com os mares na CPLP;

 Avaliar as iniciativas definidas na Estratégia da CPLP para os Oceanos com vista a uma atualização dos seus desafios, dotando-a de um Plano de Ação; 

 Realçar a importância de concertar esforços e proceder, sempre que se afigure apropriado, à partilha de informação relevante no que diz respeito aos projetos de extensão da plataforma continental, bem como a pertinência de desenvolver projetos de capacitação ao nível bilateral e no seio da CPLP no domínio das ciências do mar. Neste sentido, tomam boa nota dos trabalhos desenvolvidos no Seminário sobre as Plataformas Continentais dos países da CPLP, que teve lugar em Lisboa, a 3 de junho de 2015;

 Reconhecer que, no quadro da concertação política – diplomática, e sempre que afigure apropriado, os Estados-membros da CPLP poderão proceder à partilha de informação considerada adequada sobre candidaturas a órgãos internacionais no âmbito do mar; 

 Salientar o papel crucial que tem vindo a ser desempenhado pelas Nações Unidas nos temas afetos ao mar e, neste contexto, sublinham a centralidade da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, que estabelece o quadro jurídico regulador de todos os usos e atividades nos oceanos e o enquadramento para a conservação e o uso sustentável dos oceanos e seus recursos;

 Reconhecer a importância estratégica da Agenda de Desenvolvimento Pós 2015 e, em conformidade com a proposta do Grupo de Trabalho Aberto para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, reiteram a necessidade e a relevância de incorporar na Agenda Pós 2015 um objetivo específico e autónomo dedicado à conservação e uso sustentável dos oceanos, mares e dos recursos marinhos, para o desenvolvimento sustentável; 

 Reiterar a importância do desenvolvimento científico e do conhecimento sobre os mares e, correlativamente, de aprofundar a capacidade das entidades públicas e privadas neste domínio, em particular dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento;

 Reiterar a importância de capacitar todos os intervenientes relevantes com os instrumentos e informação com vista a um processo decisório eficaz e capaz de identificar os riscos e as oportunidades na economia do oceano, de acordo com os princípios do desenvolvimento sustentável;

 Recordar ainda o papel complementar de todos os atores, públicos e privados, para o desenvolvimento sustentável dos oceanos, nomeadamente o papel central do sector privado e, em particular, das pequenas e médias empresas, bem como das universidades, dos centros de investigação, da sociedade civil, da indústria e das organizações não-governamentais, entre outras;

 Sublinhar a importância da economia azul, no contexto do desenvolvimento sustentável, para os seus países, numa perspetiva de criação de riqueza e de emprego, de combate à pobreza, crescimento económico sustentado, segurança alimentar e proteção do ambiente marinho e da biodiversidade;

 Reiterar a importância dos vários sectores ligados à economia do mar e o seu contributo essencial para o desenvolvimento das respetivas economias, ao nível das pescas sustentáveis, da aquacultura, da navegação, da exploração dos recursos vivos e não vivos, da biotecnologia, do turismo náutico e costeiro, dos desportos náuticos, entre outros; 

 Articular os esforços e ações de cooperação no domínio da fiscalização e no combate à pesca ilegal, não declarada e não regulamentada;

 Recomendar a criação de uma rede de pontos focais para o tema do Lixo Marinho, que avalie mecanismos para a troca de experiências e cooperação neste domínio, apelando à participação das estruturas competentes dos Estados-membros na Conferência Portuguesa de Lixo Marinho, realizar em 2016, em Lisboa, organizada pela Associação Portuguesa para o Lixo Marinho (APLM), com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Ambiente (UNEP);

 Reconhecer ainda que os assuntos relacionados com o debate sobre o futuro do oceano devem ser considerados de forma global, holística, coerente e integrada; 

 Instar a presidência pro tempore da CPLP a desenvolver esforços político- diplomáticos junto dos Estados-membros para acolher a realização da III Reunião Ordinária de Ministros dos Assuntos do Mar da CPLP em Díli, em maio de 2016.


Lisboa, 6 de junho de 2015

FONTE:
http://www.cplp.org/id-4447.aspx?Action=1&NewsId=3721&M=NewsV2&PID=10872

-



PARABÉNS!
QUE LINDA FESTA!
O DEZ DE JUNHO EM BELO HORIZONTE, NO SALÃO DO CENTRO DA COMUNIDADE LUSO-BRASILEIRA É COMEMORADO HÁ MAIS DE CEM ANOS.

http://academiadeletrasdobrasildeminasgerais.blogspot.com.br/2015/06/festa-no-centro-da-comunidade-luso.html

-