domingo, 14 de junho de 2015

SAM 008-Poema com versos livres Nº 5936-MEU TEMPO É QUANDO CAI A FOLHA SOB ANUÊNCIA CÓSMICA DO CRIADOR-Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil

-

5936-MEU TEMPO É QUANDO CAI A FOLHA SOB ANUÊNCIA CÓSMICA DO CRIADOR
-
SAM 008-Poema com versos livres nº 5936
Por Sílvia Araújo Motta/BH/MG/Brasil
-
A natureza traz a maior lição,
lição para medir a duração,
duração do tempo de cada obra,
obra que durará eternamente,
eternamente, por isso os mortais,
mortais devem seguir os propósitos,
propósitos do nascer, crescer e morrer;
morrer para o retornar ao pó,
pó, de que são feitos, os eleitos,
eleitos para ver nascer o dia,
dia, tarde, anoitecer e a madrugada,
madrugada que apaga estrelas,
estrelas que tanto piscam,
piscam para chamar a atenção,
atenção do passo a passo,
passo para morrer a cada segundo,
segundo no espaço do minuto,
minuto completo que a humanidade
humanidade que se não cansa de buscar
buscar a explicação pela passagem
passagem que se faz na terra
terra que tanto bem encerra,
encerra o oposto mal que tem
tem presença constante
constante nesta existência
existência para o rumo norte,
norte da bússola universal,
universal que a todos indica,
indica a aceitação do oeste,
oeste que não esconde a morte,
morte, a única certeza da vida,
vida que tem ponteiros marcados,
marcados para a despedida,
despedida, marcada pelo Criador,
Criador do céu, terra e do mar
mar que tem cais, para receber
receber seu navegantes,
navegantes do bom tempo,
tempo de espera, dos ventos...
ventos a favor dos marinheiros,
marinheiros e seus passageiros,
passageiros para outra margem,
margem do novo horizonte,
horizonte de quem cumpre
cumpre a missão de colher
colher a folha que cai sob anuência
anuência cósmica da predestinação
predestinação de um Redentor,
Redentor, Salvador e Criador.
---Meu tempo é quando...e o seu?---
-
Belo Horizonte, 14 de junho de 2015.
-
http://www.recantodasletras.com.br/poesiasdedicatorias/5277451

-